MongoDB

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
MongoDB
MongoDB Logo.svg
Desenvolvedor MongoDB Inc.
Lançamento 11 de fevereiro de 2009 (11 anos)[1]
Versão estável 4.0.0[2] (27 de junho de 2018)
Idioma(s) Inglês
Linguagem C++, C, Go e JavaScript
Sistema operativo Multiplataforma[3] FreeBSD[4]
Gênero(s) Banco de dados orientado a documentos
Licença Server Side Public License (SSPL)
Estado do desenvolvimento Ativo
Página oficial Página oficial.

MongoDB é um software de banco de dados orientado a documentos livre, de código aberto e multiplataforma, escrito na linguagem C++.[5] Classificado como um programa de banco de dados NoSQL, o MongoDB usa documentos semelhantes a JSON com esquemas. É desenvolvido pela MongoDB Inc. e publicado sob uma combinação da GNU Affero General Public License e Licença Apache.

Suas características permitem com que as aplicações modelem informações de modo muito mais natural, pois os dados podem ser aninhados em hierarquias complexas e continuar a ser indexáveis e fáceis de buscar.

O desenvolvimento de MongoDB começou em outubro de 2007 pela 10gen, atual MongoDB Inc., e sua primeira versão pública foi lançada em fevereiro de 2009.[6]

Em 20 de outubro de 2017, MongoDB se tornou uma empresa pública, listada no NASDAQ como MDB e com o preço de $24 por ação.[7]

Características principais[editar | editar código-fonte]

Consultas Ad hoc[editar | editar código-fonte]

MongoDB suporta buscas por campo, range(intervalo), e por expressões regulares(regex).[8] As consultas suportam funções JavaScript personalizadas. Também é possível fazer consultas que retornam amostras aleatórias dos dados..

Indexação[editar | editar código-fonte]

Campos em um documento no MongoDB podem ser indexados com índices primários ou secundários.

Replicação[editar | editar código-fonte]

MongoDB oferece alta disponibilidade, usando conjuntos replicados.[9] Um conjunto replicado consiste em um ou mais cópias dos dados. Cada cópia do pode agir como primária ou secundária. Por padrão, operações de leitura e escrita são executadas na cópia primária enquanto as secundárias mantém uma cópia da primária. Se houver uma falha na cópia primária, o conjunto replicado automaticamente conduz um processo de eleição para determinar qual das cópias secundárias deve assumir o papel de primária. Existe a opção de realizar operações de leitura, mas a consistẽncia dos dados ocorrerá de forma eventual.

JavaScript no lado do Servidor[editar | editar código-fonte]

No MongoDB, Javascript pode ser usado em consultas, funções de agregação (como por exemplo MapReduce), e enviado direto ao banco de dados para ser executado.

Transações[editar | editar código-fonte]

Suporte para transações ACID multi-documento foram adicinadas ao MongoDB a partir da versão 4.0 lançada em Junho de 2018.[10]

Edições[editar | editar código-fonte]

MongoDB Community Server[editar | editar código-fonte]

A edição MongoDB Community Edition é totamente gratuita e disponível para Windows, Linux e MacOS.[11]

MongoDB Enterprise Server[editar | editar código-fonte]

MongoDB Enterprise Server é a edição comercial do MongoDB, disponível como parte da inscrição MongoDB Enterprise Advanced.[12]

MongoDB Atlas[editar | editar código-fonte]

MongoDB também está disponível como um serviço sob-demanda totalmente gerenciável. MongoDB Atlas funciona em diversas plataformas de computação em nuvem, como AWS, Microsoft Azure, e Google Cloud Platform.[13]

Grandes empresas que usam o MongoDB[editar | editar código-fonte]

Por sua versatilidade, performance e segurança, MongoDB é utilizado por grandes empresas como Rede Globo, Codecademy, Google Search, Foursquare, IBM, Orange S.A., The Gap, Inc., Uber, HSBC, eBay, e Cisco.[14][15][16]

MongoDB World[editar | editar código-fonte]

MongoDB World é uma conferẽncia anual de DBA's e desenvolvedores realizada pela MongoDB, Inc.[17]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «State of MongoDB March, 2010». DB-Engines (em inglês) 
  2. «Release Notes for MongoDB 4.0». MongoDB 
  3. «How to Set Up a MongoDB NoSQL Cluster Using Oracle Solaris Zones». Oracle 
  4. «How-To: MongoDB on FreeBSD 10.x». FreeBSD News 
  5. MongoDB website
  6. MongoDB Blog - March 2010
  7. Witkowski, Wallace (21 de outubro de 2017). «MongoDB shares rally 34% in first day of trading above elevated IPO price». MarketWatch. Dow Jones. Consultado em 26 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2018 
  8. Davis Kerby. «Why MongoDB is the way to go». DZone. Consultado em 6 de julho de 2017. Cópia arquivada em 12 de junho de 2018 
  9. «Ridiculously fast MongoDB replica recovery Part 1 of 2». ClusterHQ. Arquivado do original em 30 de outubro de 2017 
  10. «MongoDB Drives NoSQL More Deeply into Enterprise Opportunities». 27 de junho de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2018 
  11. «MongoDB Download Center». MongoDB (em inglês). Consultado em 14 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2018 
  12. «MongoDB Download Center». MongoDB (em inglês). Consultado em 14 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2018 
  13. «MongoDB Launces Global Clusters to Put Geographic Data Control Within Reach of Anyone». MongoDB (em inglês). Consultado em 27 de junho de 2018. Cópia arquivada em 27 de junho de 2018 
  14. https://www.mundodevops.com/grandes-empresas-que-utilizam-nosql/
  15. Esayas Aloto (4 de novembro de 2015). «Who's Using MongoDB and Why?». Datavail. Consultado em 12 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 12 de novembro de 2018 
  16. «Companies that use MongoDB & MongoDB Integrations». StackShare. Consultado em 12 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 12 de novembro de 2018 
  17. «MongoDB World». www.mongodb.com. Consultado em 10 de abril de 2019. Cópia arquivada em 26 de abril de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]