Montanhas (Rio Grande do Norte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Montanhas
  Município do Brasil  
Símbolos
Brasão de armas de Montanhas
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Suíça do Agreste"
Gentílico montanhense
Localização
Localização de Montanhas no Rio Grande do Norte
Localização de Montanhas no Rio Grande do Norte
Montanhas está localizado em: Brasil
Montanhas
Localização de Montanhas no Brasil
Mapa de Montanhas
Coordenadas 6° 29' 09" S 35° 17' 16" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Norte
Região intermediária[1] Natal
Região imediata[1] Canguaretama
Municípios limítrofes Ao norte: Pedro Velho; Ao sul: Jacaraú (PB); Ao Leste: Pedro Velho; Ao oeste: Nova Cruz.
Distância até a capital 87 km[2]
História
Fundação 8 de janeiro de 1962
Aniversário 20 de julho
Administração
Prefeito(a) Manuel Gustavo de Araújo Moreira (PR, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 82,213 km²
População total (IBGE/2012[4]) 11 333 hab.
 • Posição RN: 54º
Densidade 137,85 hab./km²
Clima tropical
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,557 baixo
PIB (IBGE/2008[6]) R$ 42 747,403 mil
PIB per capita (IBGE/2008[6]) R$ 3 349,58

Montanhas é um município no estado do Rio Grande do Norte, no Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Em 4 de dezembro de 1754, o padre José Vieira Afonso recebeu uma sesmaria na Lagoa das Queimadas, às margens do Rio Curimataú, iniciando a povoação da área. O nome Queimada referia-se à queima inicial dos aceiros para a fundação de plantios. A Lagoa de Queimadas mudou de nome no século XIX, passando a se chamar Montanhas, numa referência direta à sua localização. A Lagoa de Montanhas sempre teve um clima agradável e ameno, a ponto de ser considerada a Suíça do Agreste.

A povoação de Lagoa de Montanhas alcançou progresso a partir da fertilidade de suas terras, que sempre garantiu grande produção de cereais. A chegada da estrada de ferro, interligando a região à capital do Estado, no ano de 1882, foi um acontecimento que veio garantir o crescimento do povoado. Lagoa de Montanhas foi considerado distrito do município de Pedro Velho, em outubro de 1938. No dia 8 de janeiro de 1962, de acordo com a Lei nº 2.727, o distrito foi desmembrado de Pedro Velho e se tornou município. Mas somente em 20 de julho de 1963, o município passou a se chamar definitivamente Montanhas.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2007, sua população é de 12.393 habitantes. Área territorial de 82 km² IBGE 2007. O acesso rodoviário para Montanhas é feito pela BR-101, sentido Sul. Em Canguaretama, entra-se à direita, na RN-269. Depois de Pedro Velho, são mais 9 km. A distância de Montanhas até a capital Natal é de 103 km.

Turismo[editar | editar código-fonte]

  • Janeiro
    • Dia 06 — Tradicional Festa de Reis.
  • Fevereiro
    • Data Móvel — Prévia carnavalesca — Acontece na sexta-feira de carnaval
  • Junho
    • Durante todo o mês acontece a comemoração em homenagem ao padroeiro do município, São João Batista, com muitos festejos próprios da época junina, atos religiosos, muita fé e devoção.
    • Dia 13 — Festejos a Santo Antônio, comemorado no bairro cidade nova.
    • Dia 24 — Festejos a São João, comemorado no centro da cidade.
    • Dia 29 — Festejos a São Pedro, comemorado no bairro boa esperança.
  • Julho
    • Dia 20 — Aniversário da cidade. Um dia inteiro de comemorações, com varias modalidades esportivas, shows de calouros, tradicional pau-de-sebo dentre outras. Os festejos culmina com a partilha de um bolo gigante, cuja quantidade de metros é igual a idade da cidade. Por fim, shows com bandas musicais durante toda a noite.
  • Agosto
    • Data Móvel — Vaquejada Parque Manoel Januário.
  • Dezembro
    • Dia 13 — Festejos a Santa Luzia, comemorado no Sítio Ingá.

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

  • 19621962 — Fase de emancipação política
  • 19631964 — José Galvão Tavares "Zé Galvão"
  • 19651970 — Cícero Firmino de Lima
  • 19711971 — Manuel Ferreira de Farias "Neco Ferreira" (Renunciou em março de 1971, após três meses de mandato)
  • 19711972 — José Inácio Coutinho (Assumiu após a renúncia do Prefeito Manuel Ferreira de Farias)
  • 19731974 — João Soares de Melo
  • 19751978 — Cícero Firmino de Lima
  • 19791982 — João Soares de Melo
  • 19831988 — José Firmino de Lima e Silva
  • 19891992 — José Balduino Bispo "Dedé Balduino"
  • 19931996 — Otêmia Maria de Lima e Silva
  • 19972000 — José Balduino Bispo "Dedé Balduino"
  • 20012004 — Otêmia Maria de Lima e Silva
  • 20052008 — Otêmia Maria de Lima e Silva
  • 20092012 — Maria Eliete Coutinho Bispo "Letinha"
  • 20132016 — Algacir Antônio de Lima Januário
  • 2017–2020 — Manuel Gustavo de Araújo Moreira

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. FEMURN. «Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN». Consultado em 7 de agosto de 2011. Arquivado do original em 16 de dezembro de 2010 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  4. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 30 de agosto de 2011. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 04 de setembro de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.