Montecristo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Dezembro de 2008). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Montecristo
Tuscan archipelago.png
Localização da ilha de Montecristo
Geografia física
País Itália
Localização Mar Tirreno
Arquipélago Arquipélago Toscano
Ponto culminante Castelo de Monte Cristo m
Montecristo.jpg
Montecristo vista desde uma praia perto de Marina di Grosseto.

Montecristo é uma ilha italiana do arquipélago Toscano (região da Toscana), no mar Tirreno. Pertence à comuna de Portoferraio (província de Livorno). A ilha é constituída quase exclusivamente de granito. A ilha não é muito habitada, reside no local somente um vigia com sua família, alguns Toscanos, e algum agente do corpo florestal. Isso favoreceu a preservação da flora e da fauna.

A família da ilha mora em um pequeno castelo do século XVII, e mantém uma produção reservada de vinhos à maneira antiga, prensando as vinhas com pés em tonéis de madeira. Pela escassez de meios de viver nos anos entre 1800 e 1900, boa parte da família embarcava em navios saídos da Itália vindos para a América, principalmente Brasil e México, além de Estados Unidos e Canadá.

A ilha inspirou Alexandre Dumas em sua obra literária O Conde de Monte Cristo, porém a geografia da ilha atualmente não corresponde com o aspecto descrito no livro.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A história da ilha começa com a [Idade do Ferro]. Os etruscos exploraram as florestas de carvalhos necessários para abastecer as florescências da o continente onde o minério de ferro das minas de Elba foi derretido. Os gregos deram a Montecristo seu nome conhecido mais antigo, Oglasa ou Ocrasia, depois da cor amarelada das rochas. Os romanos, no entanto, sabiam que sob o nome "Mons Jovis", e erigiu um altar para Iuppiter Optimus Maximus na montanha mais alta, da qual alguns traços permanecem. Durante a era imperial, os romanos abriram algumas pedreiras para extrair granito, talvez usado na construção de moradias nas ilhas de Giglio, Elba e Giannutri.[1]

Referências

  1. «Timeline» (em Italian). Consultado em 27 de fevereiro de 2012.. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2014  archive.org
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Itália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.