Montemor-o-Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Montemor-o-Velho
Brasão de Montemor-o-Velho Bandeira de Montemor-o-Velho
Brasão Bandeira
Montemor-o-Velho.jpg
Vista de Montemor-o-Velho
Localização de Montemor-o-Velho
Gentílico Montemorense,
Montemaiorense
Área 228,96 km2
População 26 171 hab. (2011)
Densidade populacional 114,3 hab./km2
N.º de freguesias 11
Presidente da
Câmara Municipal
Emílio Torrão (PS)
Fundação do município
(ou foral)
1212
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Baixo Mondego
Distrito Coimbra
Antiga província Beira Litoral
Orago Nossa Senhora da Vitória
Feriado municipal 8 de Setembro (Natividade da Virgem Maria - Nª Srª da Vitória)
Código postal 3140 Montemor-o-Velho
Sítio oficial www.cm-montemorvelho.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Montemor-o-Velho é uma vila portuguesa no Distrito de Coimbra, região Centro e sub-região do Baixo Mondego, com cerca de 3 100 habitantes.

É sede de um município com 228,96km² de área[1] e 26 171 habitantes (2011),[2][3] subdividido em 11 freguesias.[4] O município é limitado a norte pelo município de Cantanhede, a leste por Coimbra e por Condeixa-a-Nova, a sul por Soure e a oeste pela Figueira da Foz. Situa-se a uma altitude média de 5 m acima do nível médio do mar.

Trata-se de um dos poucos municípios de Portugal territorialmente descontínuos. O caso de Montemor-o-Velho é único no contexto português, pois a descontinuidade do concelho[5] deve-se à existência, na zona sudeste do seu território, de um pequeníssimo enclave pertencente ao vizinho concelho de Soure (freguesia de Figueiró do Campo), encaixado entre as freguesias montemaiorenses de Pereira e Santo Varão.

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Montemor-o-Velho.

O concelho de Montemor-o-Velho está dividido em 11 freguesias:

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
19 799 21 405 22 042 22 361 24 410 23 864 25 162 27 912 27 978 27 925 26 468 27 274 26 375 25 478 26 171

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [7]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 7 256 8 625 7 345 7 744 8 240 7 288 6 853 6 190 6 084 4 778 3 536 3 382
15-24 Anos 4 083 3 938 4 236 4 682 4 512 4 826 4 382 3 795 4 123 3 906 3 346 2 658
25-64 Anos 9 330 9 755 10 248 11 066 12 304 12 984 13 863 12 935 12 878 13 194 13 270 14 285
= ou > 65 Anos 1 298 1 544 1 535 1 803 2 194 2 552 2 827 3 490 4 189 4 497 5 326 5 846
> Id. desconh 0 54 91 83 69

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

História[editar | editar código-fonte]

Vista exterior da muralha do castelo.

[carece de fontes?] Montemor-o-Velho é uma antiga vila cujos vestígios remontam à Pré-história, designadamente ao período Neolítico. Existem referências documentais ao seu castelo desde o século IX. Em 848, Ramiro I das Astúrias passou a dominar o castelo de Montemor, mas a reconquista definitiva do Mondego foi empreendida pelo Rei Fernando Magno de Leão, que entregou o castelo ao Conde Sesnando. Este castelo é bastante bonito de visitar, estando em bom estado de conservação. De lá se desfruta de uma bela vista sobre os arrozais do rio Mondego e restantes terrenos de cultivo.

A sua importância estratégica fez desta vila um centro de atracção, tendo recebido o primeiro foral em 1212. Montemor foi ainda, durante séculos, terra de infantado, primeiro de D. Sancho e D. Teresa, depois de D. Afonso IV (1322), mas também de D. Pedro, Duque de Coimbra (1416). Em 1472, D. Afonso V faz Marquês de Montemor-o-Velho D. João de Portugal, mais tarde Duque de Bragança.

Património[editar | editar código-fonte]

Paisagem[editar | editar código-fonte]

Montemor-o-velho era assim descrito em 1947:

"O aspecto moderno desta vila, bastante antiga, é interessante e agradável: ruas espaçosas, direitas e bem calçadas, largos de vistosa aparência. Os subúrbios formam um quadro de impressionante formosura, vendo-se por toda a parte extensos campos cobertos de olivais, vinhedos, hortas e pomares, encontrando-se a cada passo admiráveis pontos de vista como o sítio chamado Santo António."[8]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Realiza-se anualmente o festival internacional de teatro, Citemor. No castelo realiza-se também o festival Montemor Mediaval.

O antigo Mercado Municipal foi convertido numa galeria de arte. Existe ainda na vila o teatro Esther de Carvalho.

O Paul de Arzila e o Paul do Taipal são importantes parques naturais, locais de desova e crescimento de peixes e anfíbios e onde se pode avistar aves sedentárias e migratórias.

A Feira da Cebola realiza-se anualmente no dia 8 de setembro, feriado municipal.

Economia[editar | editar código-fonte]

Montemor-o-Velho, que em tempos foi terra de agricultores, está hoje virada para as actividades do sector terciário, em parte devido à instalação das repartições da administração, instituições financeiras e de serviços; o pequeno comércio é variado. A indústria está representada com vários estabelecimentos fabris de pequena e média dimensão.

A agricultura continua a ter grande importância. Cultiva-se o milho e o arroz com recurso a processos cada vez mais modernos e a existência de uma Escola Profissional Agrícola, a par da Cooperativa e dos serviços da Zona Agrária da DRABL, contribuem com o saber técnico que permite melhorar a produtividade dos campos.

Personalidades Notáveis[editar | editar código-fonte]

Cidades Irmãs[editar | editar código-fonte]

Desporto[editar | editar código-fonte]

A vila de Montemor-o-Velho possui uma das melhores pistas para canoagem da europa,sendo um local que já recebeu provas internacionais dessa modalidade.A Selecção Nacional de Canoagem treina com regularidade nesta pista.

Referências

  1. Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28/11/2013. 
  2. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Centro (Lisboa: Instituto Nacional de Estatística). p. 98. ISBN 978-989-25-0184-0. ISSN 0872-6493. Consultado em 27/07/2013. 
  3. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27/07/2013. 
  4. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  5. Instituto Geográfico do Exército (cartografia): Limites do concelho de Montemor-o-Velho
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  8. Gazeta dos Caminhos de Ferro n.º 1417, 1 de Janeiro de 1947, pág. 38.
  9. hhttp://www.sjp.pr.gov.br/noticias/exposicao-de-litogravura-simboliza-aproximacao-de-sjp-com-cidades-irmas
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Montemor-o-Velho