Monumento a Vítor Emanuel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Monumento a Vítor Emanuel II
O Vittoriano, à noite
Visto ao pôr-do-sol

O Monumento Nacional a Vítor Emanuel II (em italiano: Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II ou Altare della Patria ou ainda Il Vittoriano) é um monumento em honra a Vítor Emanuel II da Itália, primeiro rei da Itália unificada e considerado o pai da pátria italiana. Situa-se em Roma entre a Piazza Venezia e o monte Capitolino tendo sido projetado por Giuseppe Sacconi em 1885. Foi inaugurado em 1911 e completado em 1935.[1]

Feito de puro mármore branco de Botticino, Bréscia, apresenta majestosa escadaria, colunas coríntias, fontes, uma enorme estátua equestre de Vítor Emanuel e duas estátuas da deusa Vitória em quadrigas. A estrutura tem 135 m de largura e 70 m de altura, mas se as quadrigas e as vitórias aladas forem incluídas, a altura passa a ser de 81 m.[1] A base do monumento abriga o museu da Unificação Italiana.[1] [2] Em 2007, um elevador panorâmico foi instalado, permitindo aos visitantes ir ao teto e ter uma visão 360° de Roma.[3]

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

O monumento é controverso desde sua construção pois significou destruir uma grande área do monte Capitolino, a qual guardava vestígios medievais no local. A construção em si é frequentemente considerada pomposa e demasiado grande.[2] [4] [5] É facilmente visível da maior parte de Roma, apesar de ter um formato de caixa e de não possuir um domo ou uma torre.[1] O prédio é também muito branco, chamando muito à atenção no meio dos edifícios marrons que o rodeiam, fazendo com que tenha vários apelidos. Os estrangeiros por vezes referem-se a este monumento como "bolo de casamento", e os romanos apelidaram-no de "máquina de escrever".[6] Apesar de todo esse criticismo, o monumento ainda atrai um grande número de visitantes. O ex-presidente italiano Carlo Azeglio Ciampi promoveu a abertura do Vittoriano como um fórum público e mirador do centro da cidade. Essa nova acessibilidade permitiu aos turistas tornarem-se familiares com este marco histórico, possibilitando assim o crescimento da sua reputação entre os populares e até entre os seus críticos.

Filmes[editar | editar código-fonte]

O monumento apareceu no filme The Core (O Núcleo), de 2003, desabando devido a raios de luz.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Vidotto, Vittorio. «The Invention of Two Capital Cities. Archaeology and Public Spaces in Athens and Rome» (PDF) European Association for Urban History [S.l.] Arquivado desde o original (PDF) em 2007-02-21. Consultado em 2007-02-26. 
  2. a b d'Aquino, Niccolo (2001). «Capitals: Rome». Europe [S.l.: s.n.] (403): 36–38.  Parâmetro desconhecido |month= ignorado (|data=) (Ajuda)
  3. http://roma.repubblica.it/dettaglio/Vittoriano-su-con-lascensore-da-oggi-le-terrazze-con-vista/1313015 Vittoriano, su con l'ascensore da oggi le terrazze con vista
  4. Atkinson, David; Cosgrove, Denis (1998). «Urban Rhetoric and Embodied Identities: City, Nation, and Empire at the Vittorio Emanuele II Monument in Rome, 1870-1945». Annals of the Association of American Geographers [S.l.: s.n.] 88 (1): 28–49. doi:10.1111/1467-8306.00083.  Parâmetro desconhecido |month= ignorado (|data=) (Ajuda)
  5. Peter Davey (1996). «Outrage». The Architectural Review [S.l.: s.n.] 200 (1196): 25.  Parâmetro desconhecido |month= ignorado (|data=) (Ajuda)
  6. Steeves, Rick (2009-02-04). «Here's what's new in Italy for 2009». The Seattle Times Tribune Media Services [S.l.] Consultado em 2009-02-05.