Monumento ao Batalhão Suez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Monumento ao Batalhão Suez
"Monumento da ONU" ou "Monumento do capacete azul"
Praça Batalhão Suez 3.png

Monumento do globo com seu capacete azul e ao fundo o prédio do Centro Administrativo do Estado do Rio Grande do Sul iluminado durante a noite

Apresentação
Tipo
Monumento em homenagem nacional ao batalhão Suez
Material
Metal esculpido e um bloco de granito
Inauguração
Proprietário
Estatuto patrimonial
Monumento militar nacional
Website
Localização
Endereço
R. Antônio Klinger Filho, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 Brasil
Coordenadas

O Monumento ao Batalhão Suez, regionalmente conhecido como Monumento da ONU e/ou Monumento do capacete azul, é um monumento militar nacional localizado na cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e faz homenagem aos soldados gaúchos envolvidos nas missões de paz da ONU no oriente médio no ano de 1959. Estes soldados são conhecidos por pertencerem ao batalhão Suez.[1][2][3]

Localização[editar | editar código-fonte]

O monumento ao Batalhão Suez está localizado na região central da cidade de Porto Alegre, entre os bairros praia de belas e cidade baixa. O monumento em questão fica na esquina entre o Centro Administrativo do Estado do Rio Grande do Sul e o Monumento aos Açorianos.[4]

Mesmo de tamanho singelo, o monumento chama a atenção por sua localização, uma esquina cercada por diversos prédios administrativos do estado e alguns federais como o prédio do ministério da economia. Além disto, fica relativamente próximo á Orla do Guaíba e o bairro boêmio da Cidade Baixa.[1][3]

Composição[editar | editar código-fonte]

O monumento é composto principalmente por um bloco de granito esculpido em formato de pirâmide e em seu topo em metal o símbolo da ONU e a cima um capacete azul representando os capacetes utilizados pelos combatentes na missão.[5]

No corpo da pirâmide de granito avaliada em cerca de 70 mil reais, existem quatro placas de ferro, que descrevem consecutivamente, o nome dos soldados plotados no batalhão e a história da operação.[4]

História[editar | editar código-fonte]

O exemplar foi inaugurado no mês de janeiro do ano de 2016, no dia em questão, pelo então comandante do exercito Hamilton Mourão e os praças ainda vivos que foram enviados á Suez.[3]

Durante o mês de outubro do mesmo ano, o monumento foi alvo de vandalismo, depredadores tingiram o bloco de granito com tinta vermelha, após reparos o monumento foi novamente aberto ao público; desde então não foram relatados novos atos de vandalismo ao monumento.[6][5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Batalhão Suez». www.batalhaosuez.com.br. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  2. «DefesaNet - Panorama Haiti - Batalhão Suez- Inaugurado Monumento». DefesaNet. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  3. a b c «Monumento aos integrantes do Batalhão Suez - Noticiário do Exército». Mídia Impressa. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  4. a b Comércio, Jornal do. «Homenagem aos soldados gaúchos que foram a Suez». Jornal do Comércio. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  5. a b «Vândalos destroem símbolo da paz em Porto Alegre». GZH. 14 de outubro de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  6. Comércio, Jornal do. «Monumento da Praça Batalhão Suez é depredado em Porto Alegre». Jornal do Comércio. Consultado em 20 de setembro de 2021