Morfologia (linguística)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Conceito[editar | editar código-fonte]

O termo morfologia é constituído pelos elementos [morf(o)] e [logia], que são provenientes do grego morphe que significa forma e logía que significa estudo.[1]

A morfologia trata de um modo geral do estudo da estrutura e formação das palavras.[2][3][4] Ao estudar morfologia, estudamos a formação de palavras através de elementos morfológicos (ou mórficos),[5] que são as unidades que formam uma palavra. Alguns elementos morfológicos são: radical, tema, vogal temática, vogal ou consoante de ligação, afixo, desinência (nominal ou verbal).

Em linguística, no nível de análise morfológica encontramos duas unidades formais: a palavra e o morfema. Uma das questões centrais no estudo da morfologia é decidir se a abordagem será pela perspectiva do morfema ou se a partir da palavra, da formação e da classificação das palavras. A peculiaridade da morfologia é estudar as palavras olhando para elas isoladamente e não dentro da sua participação na frase ou período. A Gramática tradicional fez opção clara pela abordagem a partir da perspectiva da palavra, tanto que a morfologia tradicional é centrada no estudo das classes de palavras. Alguns linguistas sugerem que a abordagem a partir dos morfemas é mais sensata, vistas as dificuldades da percepção da morfologia em algumas palavras. Apesar de em algumas situações serem mais perceptíveis.

Na morfologia, há classes de palavras variáveis (substantivos, adjetivos, verbos, pronomes, numerais e artigos) e invariáveis (advérbios, conjunções, interjeições e preposições).[2][3][4]

Formação das palavras[editar | editar código-fonte]

Na morfologia existem vários tipos de formação, entre estes processos temos a formação por derivação; por composição, onde palavras são formadas por aglutinação ou justaposição; por redução ou abreviação; por empréstimos lexicais; na criação de neologismos. [6]

Referências

  1. Lemos., Monteiro, José (1991). Morfologia portuguesa [3. ed.] ed. Campinas, S.P.: Pontes. ISBN 8571130566. OCLC 31056946 
  2. a b FERREIRA, Aurélio Buarque de Hollanda (2010). mini Aurélio (ISBN 8538542391) 8 ed. Curitiba: Positivo. p. 516 
  3. a b «Dicionário Terminológico para consulta em linha». Ministério da Educação e Ciência de Portugal. Consultado em 17 de fevereiro de 2014. 
  4. a b «Dicionário de Termos Linguísticos». Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC). Consultado em 17 de fevereiro de 2014. 
  5. Mesquita, Roberto Melo; Martos, Cloder Rivas (1994). Português - Linguagem & Realidade. 1 3 ed. São Paulo: Saraiva. p. 113. ISBN 85-02-01251-7 
  6. Abaurre, Maria Luiza; Pontara, Marcela Nogueira; Fadel, Tatiana (2005). Português: língua e literatura. 1 4 ed. São Paulo: Moderna. p. 161 - 162. ISBN 85-16-03845-9 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • ReVEL — edição destinada à Morfologia
  • ReVEL — entrevista com Margarida Basílio.
  • ReVEL — entrevista com Mark Aronoff.
  • Webjspell — um analisador Morfológico e Corrector ortográfico open source para o português europeu.


Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.