Morro da Casa Verde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde fevereiro de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Morro da Casa Verde
Fundação 6 de abril de 1962 (56 anos)
Escola-madrinha Estação Primeira de Mangueira[1]
Cores

Verde

Rosa

Branco

Símbolo Casa no Morro
Bairro Casa Verde
Presidente Émerson de Campos "Careca"
Presidente de honra Dona Guga
Carnavalesco Babú Energia
Intérprete oficial Tuca Maia
Diretor de carnaval Vinicius Ferreira
Diretor de harmonia Lucas Mumu
Diretor de bateria Marcel Bonfim
Rainha da bateria Rafaella Oliveira
Madrinha da bateria Haonê Thinar
Musa da bateria Ingrid Gomez Garcez
Mestre-sala e porta-bandeira Leonardo Silva e Camila Moreira
Coreógrafo Gustavo Rangel
Desfile de 2019
Enredo Não julgue para não ser julgado, os humilhados serão exaltados
Posição de desfile 12ª - 05:10
4 de Março
morrodacasaverde.com.br

Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Morro de Casa Verde é uma escola de samba situada na cidade de São Paulo. Foi fundada em 6 de abril de 1962.

O Morro é uma das escolas de samba mais tradicionais da cidade, tendo participado do primeiro desfile organizado em São Paulo, em 1968.As cores da escola foram escolhidas pelo seu fundador, Sr. Zézinho do Banjo. Ele era mangueirense e resolveu homenagear sua escola de coração, daí a origem das cores verde e rosa. O nome da escola, Morro da Casa Verde, se deve ao fato de, na época da fundação, no local onde ela nasceu, havia uma ponte de madeira e ao chegar na ponte, só existia uma casinha, bem no "morro de cor verde". Da mesma origem é a ideia do emblema da escola.

História[editar | editar código-fonte]

A escola, na verdade, é uma dissidência da Unidos da Casa Verde, que deixou de existir em 1963. A Morro da Casa Verde iniciou sua vida na Passarela no final dos anos 60, fundada pelo Sr. Zezinho de Nazareth, o Zé do Banjo, um dos sambistas mais respeitados nas rodas de samba de São Paulo. Na década de 1970, oscilou entre os grupos I e II. Nos anos 80, teve uma recaída e ficou entre os grupos II e III. Nos anos 90, com a morte de Zezinho do Banjo (91), sua filha Laurinete Nazaré da Silva (Dona Guga) assumiu a presidência, com o auxílio de filhos e netos e a escola começou a se reerguer, passando a desfilar nos grupos II e I, chegando em 2000 ao grupo especial com o vice-campeonato no Grupo 1 de 1999.

Um fato que marcou muito aconteceu no ano de 1986, quando faltava uma semana para o carnaval e a escola realizava seu último ensaio antes do desfile. A Comissão de Frente era chefiada pela mãe de Dona Guga que estava doente e pediu para ver o ensaio. Claro que foi atendida, mas durante o ensaio, emocionou-se muito, não suportou e faleceu.

A história da escola, que é também uma escola dirigida por gerações de uma mesma família, a exemplo da Nenê de Vila Matilde e Leandro de Itaquera, teve momentos marcantes. Não fosse a teimosia e a garra de Dona Guga, uma das fundadoras da escola, talvez hoje a Morro da Casa Verde não estivesse desfilando nas passarelas do samba, já que chegou a ser ameaçada de extinção pelo seu fundador, que não agüentava mais ver a sua escola tão por baixo, já que chegou a estar no Grupo 3.

Antes de 2000 a morro participou do desfile principal em 1972 e de 1974 a 1977. Outras grandes personalidades da escola são os compositores Zeca da Casa Verde, que também fez parte da Rosas de Ouro, Talismã, do Camisa Verde e Branco e Nelson Dalla Rosa, um dos autores do samba da Estação Primeira de Mangueira campeã de 1998.

Em 2010 ela apresentou o enredo "De Quem é Essa Bola?" e ficou em 5º lugar. Em 2011 a Morro De Casa Verde levou um enredo muito empolgante sobre a Bahia e foi considerada como uma das favoritas ao acesso, mas, na apuração, a escola perdeu no desempate do quesito Evolução e ficou no mesmo Grupo.

Em 2012 a escola apostou em sua história para tentar o acesso à elite do carnaval paulistana.

Em 2016 a escola falou de Dom Afonso, porém acabou sendo rebaixada para o Grupo 1-UESP em 2017, e viu a escola vizinha Império de Casa Verde ser campeã do Grupo Especial.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
José Narciso Nazaré "Zezinho do Banjo" 1962 - 1991
Laurinete Nazaré da Silva Campos "Dona Guga" 1991 - 2017 [2]
Émerson de Campos "Careca" 2017 - atualidade

Diretores[editar | editar código-fonte]

Período Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014 Tatá e Rosemar Lopes Marcão Guma Senna
2015 Comissão Klemen [3][4]
2016 Klemen
2017-2018 Pica-Pau Marcel Bonfim
2019- Vinicius Ferreira Lucas Mumu Marcel Bonfim

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2014-2015 Diego Motta e Erica Para-Assú [5][6]
2016 Marcos Godoy e Waleska Gomes [7]
2017 Marcos Godoy e Camila Moreira
2018 Brunno Mathias e Camila Moreira
2019- Leonardo Silva e Camila Moreira

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2015-2017 Camila Moraes [5]
2018 Walmir
2019 Gustavo Rangel

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Ref.
2013-2015 Dayane Macedo [5]
2016-atualidade Rafaella Oliveira

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Morro da Casa Verde
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
1968 5º lugar Acesso Almirante Tamandaré José Narciso Nazaré [8]
1969 Vice-campeã Acesso Ouro Branco Talismã
1970 6º lugar Especial Segundo Casamento de D. Pedro I Talismã
1971 Campeã Acesso Brasil, Samba e Flores Zeca da Casa Verde
1972 Desclassificada Especial O Brasil Recebe o Mundo de Braços Abertos Zeca da Casa Verde
1973 Vice-campeã Acesso Brasil, Amor e Paz Zeca da Casa Verde
1974 7º lugar Especial Redenção Zeca da Casa Verde
1975 8º lugar Especial Serenata Talismã
1976 7º lugar Especial A Feira de Santana Talismã
1977 11º lugar Especial Cacilda Becker Luiz Parreiras Fernando Bom Cabelo
1978 6º lugar Acesso Viva os Carnavais José Alcântara do Nascimento
1979 7º lugar Acesso Folguedos de uma Raça Fernando Bom Cabelo Chabes
1980 10º lugar Acesso O Guarani Mogiani L. Moraes
1981 5º lugar 1-UESP História de um Negro Brasileiro Jangada
1982 6º lugar 1-UESP No Reino da Cantoria Talismã e Fernando Bom Cabelo Chabes
1983 9º lugar 1-UESP Nossos Valores - Maracatu Fernando Bom Cabelo Chabes e Douglas Franco
1984 4º lugar 2-UESP Escola de Samba: Raça e Coração Maurinho da Mazzei
1985 4º lugar 2-UESP Um Rei no Esplendor do Carnaval Cridinho
1986 4º lugar 2-UESP Carnaval, Alegria de Viver Cridinho
1987 6º lugar 2-UESP Apoteose do Samba Lagrila
1988 7º lugar 2-UESP Oxumaré - A Serpente e o Arco Íris Luizinho Salvador e Paulo Priscila
1989 4º lugar 2-UESP O Seio da Vida Fernando Bom Cabelo Chabes
1990 4º lugar 2-UESP Carmem Miranda, "A Estrelinha Brilhante" Bal
1991 Vice-campeã 2-UESP Do Jeito Que Vocês Queriam Tito Arantes
1992 11º lugar 2-UESP O Arauto dia Ilusão Osvaldo Arouche
1993 Campeã 2-UESP De Onde Vim, Para Onde Vou... Adivinha Quem Sou? Vitché
1994 3º lugar 1-UESP Canto das Três Raças Toninho Sereno
1995 Campeã 1-UESP Sonho em Verde e Rosa Ednei Mariano Nelson Dalla Rosa
1996 5º lugar Acesso Abata - Caminhada de uma Raça Ednei Mariano Nelson Dalla Rosa
1997 7º lugar Acesso A Rosa de Sarom Comissão de Carnaval
(Ligeiro, Ednei e Marcos)
Nelson Dalla Rosa
1998 8º lugar Acesso De Louco do Morro... Todo Mundo Tem um Pouco Comissão de Carnaval
(Ligeiro, Ednei e Marcos)
Nelson Dalla Rosa
1999 Vice-campeã Acesso Os Fantasmas nas Óperas do Teatro Municipal Nilson Lourenço Nelson Dalla Rosa
2000 9º lugar Especial Nobre, Nobreza Nilson Lourenço Nelson Dalla Rosa
2001 10º lugar Especial O maior sonho do universo. Extraterrestres no Carnaval de São Paulo Orlando Midaglia Cláudia França, Edua Alves e Carlinhos Marques
2002 13º lugar Especial O Morro canta Zeca Pagodinho o poeta de Xerém Vaníria Nejelschi Cláudia França
2003 7º lugar Acesso Manaus, A Paris da Selva Toninho Pita Cláudia França e Leandro Di Menor
2004 7º lugar Acesso Municipal, da Construção às Apresentações o Palco Cultural Paulistano Toninho Pita Marquinhos Trindade
2005 Campeã 1-UESP Bahia: Terra de São Salvador Vaníria Nejelschi Marquinhos Trindade
2006 6º lugar Acesso Algodão: do tesouro branco à riqueza colorida Mi Benaffi
2007 7º lugar Acesso Morro da Casa Verde, um triunfo entre as pérolas Quim Ferreira Adeilton Almeida
2008 Vice-campeã 1-UESP Palmares: a República Aqui Chegou! Liberdade, Democracia e Heróis Negros em Terras Brasileiras Ednei Mariano Adeilton Almeida
2009 5º lugar Acesso Abram-alas para esta cultura popular! Da Terra do chão rachado ao Rei do cangaço Babu Energia Adeilton Almeida
2010 5º lugar Acesso De Quem é Essa Bola? Babu Energia Adeilton Almeida
2011 3° lugar Acesso Sorria, você está na Bahia! A festa vai começar, os tambores anunciam Babu Energia Fernandinho SP
2012 5º lugar Acesso Guerreiros não morrem jamais! São Jorge, olhai por nós... Salve Morro da Casa Verde, 50 anos de glória!!! Babu Energia Edson Liz e Rubinho Martins
2013 5º lugar Acesso Ecoou no Morro... É festa no grito da liberdade! Babu Energia Adeilton Almeida
2014 4º lugar Acesso O Bicho vai pegar... Medos!!! Babu Energia Adeilton Almeida
2015 6º lugar Acesso Entre plumas e paetês Nilson Lourenço Adeilton Almeida [9][9][10][4]
2016 9º lugar Acesso Mvemba-a-Nizinga, Dom Afonso I - um rei cristão no Império Africano do Congo Marcelo Portela Adeilton Almeida
2017 5° lugar 1-UESP No terreiro do Morro, o Canto de Kianda, a sereia de Angola se faz brilhar Fábio Flish Juninho Branco
2018 3º lugar Acesso 2 A luta de um povo, a força de uma raça… Luiza Mahin, a luz de Daomé Fábio Flish Juninho Branco [11]
2019 Acesso 2 Não julgue para não ser julgado, os humilhados serão exaltados

Compositores: Ademarzinho do Cavaco, Walid Omar, Rafa Neves, Willian Cabello, Hans Magalhães, Wilsinho do Pandeiro e Erick Sappão.

Babu Energia Tuca Maia

Títulos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.carnavalpaulistano.com.br/a_escola.asp?rg_escola=23#.W-SinPZFzIU
  2. [1]
  3. SRZD-Carnaval/SP (26 de março de 2014). «Morro da Casa Verde definiu mestre de bateria para 2015». 12h00. Consultado em 26 de março de 2014. 
  4. a b [2]
  5. a b c [3]
  6. [4]
  7. 1)
  8. [5]
  9. a b SRZD-Carnaval/SP (20 de março de 2014). «Exclusivo: Morro divulga enredo para 2015». 18h58. Consultado em 21 de março de 2014. 
  10. SRZD-Carnaval/SP (2 de maio de 2014). «'Assim como o Neguinho é da Beija-Flor, sou do Morro', diz Adeilton». 13h22 
  11. «Morro da Casa Verde». Liga SP. Consultado em 25 de janeiro de 2018.