Mosteiro de Paço de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mosteiro de Paço de Sousa
Nomes alternativos Igreja do Salvador de Paço de Sousa, Igreja Matriz de Paço de Sousa, Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa
Tipo Mosteiro
Estilo dominante Românico
Início da construção século XIII
Função inicial Mosteiro masculino
Função atual Igreja paroquial
Website Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa
Património Nacional
Classificação  Monumento Nacional
Ano 1910
DGPC 70583
SIPA 5317
Geografia
País Portugal
Cidade Penafiel
Coordenadas 41° 9' 57" N 8° 20' 40" O
Localização em mapa dinâmico
Mosteiro de Paços de Sousa: pormenor dos capitéis.

O Mosteiro de Paço de Sousa, também referido como Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa localiza-se em Paço de Sousa, no concelho de Penafiel, distrito do Porto, em Portugal. É um dos 21 monumentos que integram a chamada Rota do Românico do Vale do Sousa.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundado no século X por D. Godo Trutesindo Galindes, ascendente de Egas Moniz, o aio, que fez erguer neste local o seu paço. Serviu de refúgio ao abade Radulfo, aquando das invasões de Almançor (994). Constituía-se em uma comunidade beneditina.

O mosteiro foi desocupado muitos anos depois e veio a cair em estado de degradação. Foi alvo de algumas obras de manutenção no século XI, vindo a ser completamente recuperado em meados do século XIII. Nesta mesma época foi feita a ampliação da Igreja anexa.

Novas campanhas de conservação e restauro foram empreendidas no século XVIII e, mais tarde, no século XX, após um violento incêndio ter devorado os tetos de madeira da igreja em 1927.

Após a extinção das ordens religiosas, em 1834, o convento foi vendido em hasta pública, mas a igreja manteve-se aberta ao público.

Encontra-se classificado como Monumento Nacional por Decreto de 16 de junho de 1910, publicado no DG nº 136, de 23 de junho de 1910; 67/97, DR 301, de 31 de dezembro de 1997.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

Apresenta um estilo arquitetónico na transição entre o estilo românico e o estilo gótico.

Integra o conjunto do mosteiro uma igreja românica de três naves de apreciáveis proporções, na qual se destaca uma bela rosácea na fachada. A sua traça teve influência sobre toda a região de Penafiel, podendo dizer-se que este templo se enquadra no estilo doutros monumentos românicos, como os de Roriz, Gândara, Travanca e Pombeiro.

No interior deste mosteiro encontra-se sepultado Egas Moniz, preceptor de Afonso I de Portugal. No interior do túmulo existe uma pequena caixa de cobre com as suas cinzas fúnebres. O túmulo em si é uma magnífica peça com altos-relevos que retratam a ida do aio de D. Afonso Henriques à Corte do reino de Leão.

Personagens ligadas a este mosteiro[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Mosteiro de Paço de Sousa
Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.