Mosteiro de Singeverga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Mosteiro de São Bento de Singeverga
O Licor de Singeverga, produzido no mosteiro beneditino.

O Mosteiro de São Bento de Singeverga da ordem religiosa beneditina encontra-se situado na freguesia de Roriz, concelho de Santo Tirso. Foi fundado a 25 de Janeiro de 1892 pelo Mosteiro de São Martinho de Cucujães, na casa e quinta homónima. De todo o seu património, conta-se a tela A Adoração dos Reis Magos atribuída a Tintoretto. Esta obra pode ser contemplada mesmo atrás do altar do mosteiro. O Mosteiro de Singeverga conta ainda com uma colecção de borboletas única na Europa, que pode ser visitada, e com seu famoso licor de Singeverga.

A recuperação do Mosteiro de Cucujães, marca o início da restauração da Ordem Beneditina em Portugal, iniciada por Dom João de Santa Gertrudes Amorim, abade daquele Mosteiro, em finais do século XIX.

O Mosteiro de Singeverga foi agraciado em 1938, pela Santa Sé com o título de Abadia, sendo o seu primeiro abade, Dom Plácido de Carvalho entre (1938-1948). O Mosteiro de São Bento de Singeverga foi marcado por grande desenvolvimento e expansão entre 1930 e 1960, com uma forte afluência de vocações, e a necessária ampliação dos edifícios, fundando mesmo novas comunidades ou missões.

Missões[editar | editar código-fonte]

  • Nas Missões do Moxico, em Angola, trabalharam cerca cinquenta monges;

Dom Francisco Esteves Dias, Prior Claustral foi nomeado Bispo do Luso (Angola) em 1963. Ampliada novamente, construiu-se mais uma parte do novo Mosteiro de Singeverga, habitado então desde 1957, durante a vigência e abaciado de Dom Gabriel de Sousa entre (1948-1966). Sucederam-lhe Dom Teodoro Monteiro (1969-1977) e Dom Lourenço Moreira da Silva (1977).

Ora et Labora[editar | editar código-fonte]

Desde 2013 até à actualidade, é abade do Mosteiro de São Bento de Singeverga Dom Bernardino Costa. A vocação monástica, segundo a Regra de São Bento ("Ora et Labora") "Reza e Trabalha", implica características específicas como:

  • A escuta da Palavra de Deus no silêncio ou na reflexão, no recolhimento, na leitura e na contemplação;
  • O trabalho quotidiano, de ordem pastoral, intelectual, agrícola, artesanal, manual, entre outros;
  • O acolhimento, na hospedaria, de todos quantos vivem no mundo e procuram no Mosteiro, um lugar e tempo de reflexão, descanso e oração.

É neste espírito que a comunidade religiosa do Mosteiro de São Bento de Singeverga vive o seu dia-a-dia. O exemplar trabalho feito pela Ordem Beneditina no campo educativo ao longo de décadas, no Mosteiro de Singeverga e na "Escola Claustral", fomentaram muito para lá das vocações também o ensino escolar básico preparatório.

A Ordem em Portugal[editar | editar código-fonte]

  • Nome - Beneditinos – O.S.B.
  • Nome oficial - Ordem de São Bento (Ordem Beneditina)
  • Nome em Portugal - Ordem de São Bento (Ordem Beneditina) / Província Portuguesa da Ordem Beneditina
  • Entrada em Portugal - Século X
  • Carisma e missão - Vida monástico-cenobítica
  • Superior Maior - Dom Bernardino Ferreira da Costa (Dom Abade).
  • Eleição - 10 de Julho de 2013; bênção abacial: 06 de outubro de 2013.
  • Duração do Mandato - 8 anos

Comunidades diocesanas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.