Movimento 57

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
57 : folha independente de cultura
Formato (44 cm)
Sede Cascais / Lisboa  Portugal
Fundação 1957
Director António Quadros
Idioma Português europeu
Término de publicação 1962


O Movimento 57, (ou Movimento da Cultura Portuguesa) só começa verdadeiramente em Maio de 1957 com a publicação do 1º número do jornal 57 (1957-1962) dirigido por António Quadros. No entanto, no que diz respeito às suas origens, o 57 teve como precursor a revista Acto "onde colaboraram, entre outros, Teixeira de Pascoaes, ainda vivo, Álvaro Ribeiro, José Marinho, António Quadros, Orlando Vitorino, Raul Leal, Francisco da Cunha Leão, José Blanc de Portugal, Martins Correia, e os brasileiros Augusto Frederico Schmidt, Lêdo Ivo e Luís Washington Vita." [cf. Gama: 1987)

No primeiro manifesto do jornal escreveu-se: "Aqui começa um novo ciclo da cultura portuguesa. Nós somos solidários desses milhares de jovens indiferentes à cultura, que enchem os estádios, os cinemas e os cafés. [...] Divergimos de todos e combatemos todos quantos, quaisquer que sejam os seus credos políticos ou religiosos, pretendem [sic] chegar aos mesmos fins através de meios que, não se adequando à especificidade do espírito, da alma e do corpo da pátria portuguesa, mais não poderão provocar senão [sic] a dor, o mal estar, a angústia, a divisão e, principalmente, a estagnação, pela luta aniquilante de forças contrárias que se anulam mutuamente, conforme se tem verificado tragicamente na Europa dos últimos 50 anos." ("Manifesto 57" in 57, nº 1, Cascais, Maio de 1957, p. 2)

Entre 1957 e 1962 publicaram-se 11 números, que pode consultar em linha na Hemeroteca Digital. Entre os colaboradores do jornal estiveram: Agostinho da Silva, Avelino Abrantes, Afonso Botelho, Afonso Cautela, Azinhal Abelho, José A. Ferreira, Agustina Bessa Luís, José Marinho, Fernando Morgado, Ernesto Palma, Álvaro Ribeiro, Ana Hatherly, Natércia Freire, Rui Carvalho dos Santos, Francisco Sottomayor, António Telmo, Carlos Vaz, Orlando Vitorino, entre outros. [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Álvaro de Matos (24 de Junho de 2008). «Ficha histórica: 57 : folha independente de cultura» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 30 de Janeiro de 2015 

Fontes:[editar | editar código-fonte]

  • Manuel Gama, "Movimento "57" e a Filosofia Portuguesa, in Revista Portuguesa de Filosofia, T. 43, Fasc. 3/4, Filosofia Portuguesa Contemporânea, (Jul. - Dec., 1987), pp. 383-400.

Ligações externas:[editar | editar código-fonte]