Movimento Popular de Libertação do Sudão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Movimento Popular de Libertação do Sudão (MPLS) é um partido político do Sudão do Sul. Inicialmente foi fundado como uma ala política do Exército Popular de Libertação do Sudão (EPLS, principal protagonista da Segunda Guerra Civil Sudanesa) em 1983.[1] Em 9 de janeiro de 2005, o EPLS, o MPLS e o governo do Sudão assinaram o Tratado de Naivasha, encerrando a guerra civil. O MPLS obteve então representação no governo do Sudão e foi o principal componente do governo do então semi-autônomo Sudão do Sul. Quando o Sudão do Sul se tornou um Estado soberano em 9 de julho de 2011, o MPLS tornou-se o partido governista na nova república. Os ramos do MPLS no Sudão se separariam, formando o Movimento Popular de Libertação do Sudão - Setor Norte. Além disso, o faccionalismo surgiria como resultado da Guerra Civil Sul-Sudanesa de 2013-2014, com o presidente Salva Kiir liderando o MPLS-Juba e o ex-vice-presidente Riek Machar liderando o Movimento Popular de Libertação do Sudão na Oposição.

Referências