Movimento ameboide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de «Amoeboid movement» na Wikipédia em inglês. Ajude e colabore com a tradução.

O movimento ameboide é o modo mais comum de locomoção em células eucarióticas.[1] Trata-se de um tipo de movimento de rastreamento realizado pela protrusão do citoplasma da célula que envolve a formação de pseudópodos e posteriormente urópodos. O citoplasma desliza e forma um pseudópodo na frente para mover a célula para a frente. Este tipo de movimento tem sido associado a mudanças no potencial de ação; O mecanismo exato ainda é desconhecido. Este tipo de movimento é observado em ameboides, bolores limosos e alguns protozoários, tais como Naegleria gruberi,[2] bem como em algumas células humanas tais como glóbulos brancos leucócitos. Sarcomas, ou cânceres decorrentes de células do tecido conjuntivo, são particularmente adeptos ao movimento amebóide, levando a sua alta taxa de metástase.

Embora várias hipóteses tenham sido propostas para explicar o mecanismo do movimento amebóide, o mecanismo exato ainda é desconhecido.[3]

Mecanismo molecular de locomoção de células[editar | editar código-fonte]

Com base em alguns modelos matemáticos, estudos recentes hipotetizam um novo modelo biológico para o mecanismo biomecânico e molecular do movimento celular.[4] Propõe-se que os microdomínios tecem a textura do citoesqueleto e suas interações marcam a localização para a formação de novos locais de adesão. De acordo com este modelo, a dinâmica de sinalização de microdomínios organiza o citoesqueleto e sua interação com o substrato. À medida que os microdomínios activam e mantêm a polimerização activa dos filamentos de actina, o seu movimento de propagação e ziguezague na membrana gera uma rede altamente interligada de filamentos curvos ou lineares orientados num amplo espectro de ângulos para o limite da célula. Também é proposto que a interação microdomínio marca a formação de novos locais de adesão focal na periferia celular. A interação da miosina com a rede de actina então gera retração / ondulação da membrana, fluxo retrógrado e forças contrácteis para o movimento para a frente. Finalmente, a aplicação contínua de stress nos antigos locais de adesão focal pode resultar na ativação de calpaína induzida pelo cálcio e, consequentemente, no desprendimento de adesões focais que completam o ciclo.

Outro mecanismo proposto, o mecanismo de locomoção amebóide, propõe que o córtex celular actomiosina se contraia para aumentar a pressão hidrostática dentro da célula. O aumento da pressão hidrostática faz com que o córtex celular seja quebrado na direção do fluxo desejado. Durante o movimento amebóide movido pela bolha, o estado sol-gel citoplasmático é regulado.[1]

A locomoção da ameba ocorre devido à conversão sol-gel do citoplasma Dentro de sua célula. O Ectoplasma (biologia celular) é chamado de gel de plasma e endoplasma do plasma sol. "A conversão Sol-gel é a contração e os eventos de relaxamento que são aplicados pela pressão osmótica e outras cargas iónicas".[5]


As células de Dictyostelium e os neutrófilos também podem nadar, usando um mecanismo semelhante ao rastejamento.[6][7]

Referências

  1. a b Nishigami, Yukinori; Ichikawa, Masatoshi; Kazama, Toshiya; Kobayashi, Ryo; Shimmen, Teruo; Yoshikawa, Kenichi; Sonobe, Seiji; Kabla, Alexandre J. (5 August 2013). «Reconstruction of Active Regular Motion in Amoeba Extract: Dynamic Cooperation between Sol and Gel States». PLoS ONE. 8 (8): e70317. PMC 3734023Acessível livremente. PMID 23940560. doi:10.1371/journal.pone.0070317. Consultado em 29 October 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  2. Preston, TM; Cooper, LG; King, CA (Jul–Aug 1990). «Amoeboid locomotion of Naegleria gruberi: the effects of cytochalasin B on cell-substratum interactions and motile behavior.». The Journal of protozoology. 37 (4): 6S-11S. PMID 2258833. doi:10.1111/j.1550-7408.1990.tb01139.x  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. R D Allen, and N S Allen. "Cytoplasmic Streaming in Amoeboid Movement" http://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev.bb.07.060178.002345 Allen, R. D.; Allen, N. S. (1978). «Cytoplasmic Streaming in Amoeboid Movement». Annual Review of Biophysics and Bioengineering. 7: 469–495. PMID 352246. doi:10.1146/annurev.bb.07.060178.002345 
  4. Coskun, Hasan; Coskun, Huseyin. (March 2011). «Cell physician: reading cell motion. A mathematical diagnostic technique through analysis of single cell motion». Bull Math Biol. 73 (3): 658–82. doi:10.1007/s11538-010-9580-x  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. Rastogi, S.C. (2010). Cell and molecular biology. 3rd ed. New Delhi: New Age International. p. 461. ISBN 9788122430790. Consultado em 29 October 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. Van Haastert, Peter J. M.; Hotchin, Neil A. (8 November 2011). Hotchin, Neil A, ed. «Amoeboid Cells Use Protrusions for Walking, Gliding and Swimming». PLoS ONE. 6 (11): e27532. PMC 3212573Acessível livremente. PMID 22096590. doi:10.1371/journal.pone.0027532  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. Bae, A. J.; Bodenschatz, E. (4 October 2010). «On the swimming of Dictyostelium amoebae». Proceedings of the National Academy of Sciences. 107 (44): E165–E166. PMC 2973909Acessível livremente. PMID 20921382. doi:10.1073/pnas.1011900107  Verifique data em: |data= (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia celular é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.