Movimento para a Democracia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Movimento para a Democracia
(MpD)
Presidente Ulisses Correia e Silva
Fundação 14 de março de 1990 (27 anos)
Sede Praia, Cabo Verde
Ideologia Centrismo,
Liberalismo,
Progressismo,
Liberalismo social,
Democracia-cristã
Afiliação internacional Internacional Democrata Centrista
Assembleia Nacional de Cabo Verde
40 / 72
Espectro político Centro-direita[1]
Cores Verde, azul e branco
Página oficial
http://www.mpd.cv

O Movimento para a Democracia, conhecido também pela sigla MpD, é um partido político de centro-direita de Cabo Verde. Esteve no poder entre 1991 e 2001. Os seus membros têm como alcunha "os ventoinhas", por causa do emblema do partido que faz lembrar uma ventoinha, e identificam-se com a cor verde.

História[editar | editar código-fonte]

MpD foi criado dia 14 de Março de 1990, e a sua primeira convenção celebrou-se em Novembro de 1990. Ganhou as primeiras eleições depois do fim do sistema de partido único imposto pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (agora PAICV), nas quais obteve mais de 2/3 dos deputados da Assembleia Nacional.[1]

Neste período de transição, o MpD participou na supressão do artigo 4º da Constituição de Cabo Verde de 1980, que codificou o sistema de partido único. O MpD também ajudou a estabelecer um calendário para o período de transição.

O MpD é um partido de centro direita, que favorece o livre comércio, uma política económica aberta e uma maior cooperação com organizações internacionais como a OMC.

Enquanto que o MpD tem o seu maior apoio nas Ilhas Barlavento, tem ganho apoio crescente nas cidades secundárias das Ilhas Sotavento, como Mosteiros, Calheta, Assomada e Tarrafal.

Nas eleições presidenciais celebradas de 11 a 25 de Fevereiro de 2001, Carlos Veiga, que ganhou 45,83% dos votos na primeira ronda, foi derrotado por uma estreita margem (só 12 votos) pelo candidato do PAICV candidato Pedro Pires na segunda volta.[1]

Na última eleição para o ramo legislativo,celebrada a 22 de Janeiro de 2006, o partido obteve 44.02% do voto popular e 29 dos 72 deputados na Assembleia Nacional de Cabo Verde.

Na última eleição presidencial de Cabo Verde celebrada a 12 de Fevereiro de 2006, Carlos Veiga foi novamente derrotado por Pedro Pires, por uma margem de 49,02% a 50,98%.

Nas eleições parlamentares de 2011 o MpD não conseguiu a maioria das cadeiras, ficando em segundo lugar.[2] O MPD vence as eleições de 20 de Março de 2016, voltando assim a governar a República de Cabo Verde. A nível histórico o MPD foi fundado a 14 de Março de 1990 por:

18 cidadãos que fundaram o MPD no dia 14 de Março de 1990

Os Assinantes da Declaração Política

Carlos Alberto Wahnon de Carvalho Veiga

Daniel Pedro Amadeu dos Santos

Élvio Gonçalves Napoleão Fernandes

Arnaldo Pereira Silva

António do Espírito Santo Fonseca

Alfredo Gonçalves Teixeira

António Carlos Gomes

Artur Jorge Correia

José Manuel Pinto Monteiro

Jacinto Abreu dos Santos

Mário Gomes Fernandes

Péricles Africano Évora Barros

José António Mendes dos Reis

Eduíno Carvalho Moniz

Francisco dos Reis Pinto

Luís Araújo

José Manuel Almeida

Fernando Luís Évora Santos


Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]