Movimento para a Democracia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Movimento para a Democracia
MpD
Presidente Ulisses Correia e Silva
Fundação 14 de março de 1990 (32 anos)
Sede Praia, Cabo Verde Cabo Verde
Ideologia Centrismo
Liberalismo
Liberalismo social
Democracia cristã
Espectro político Centro-direita[1][2][3]
Afiliação internacional Internacional Democrata Centrista
Assembleia Nacional de Cabo Verde
38 / 72
Cores      Verde
Página oficial
mpd.cv

O Movimento para a Democracia, conhecido também pela sigla MpD, é um partido político de cunho liberal de Cabo Verde. Foi fundado em 14 de março de 1990 com o advento do pluripartidarismo após o fim do regime de partido único do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV).

Desde a sua fundação, juntamente com o PAICV, é um dos dois principais partidos políticos de Cabo Verde. O MpD venceu as primeiras eleições parlamentares livres da história de Cabo Verde, governando o país de 1991 a 2001.[4][5] Em 2011, recuperou a presidência da República e voltou ao poder nas eleições parlamentares de 2016.[6]

Embora seja normalmente classificado como centro-direita do espectro político, o MpD tem sido um partido diverso e ideologicamente difuso desde a sua formação. Fundado em uma plataforma democrata-cristã, também possui setores economicamente liberais e sociais-liberais. Considera-se um partido "centrista, cívico e humanista", que centra os seus valores na defesa de uma democracia liberal moderna, realizando periodicamente eleições partidárias internas. A nível internacional, é membro da Internacional Democrata Centrista e defende uma posição favorável à UE, em contraste com a posição africanista do PAICV.

Membros do MpD têm como alcunha "os ventoinhas", por causa do emblema do partido que lembra uma ventoinha, e identificam-se principalmente com a cor verde apesar de que, desde a campanha presidencial de 2006, o uso da cor vermelha tem aumentado nas publicações partidárias.

História[editar | editar código-fonte]

MpD foi criado dia 14 de Março de 1990, e a sua primeira convenção celebrou-se em Novembro de 1990. Ganhou as primeiras eleições depois do fim do sistema de partido único imposto pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (agora PAICV), nas quais obteve mais de 2/3 dos deputados da Assembleia Nacional.[3]

Neste período de transição, o MpD participou na supressão do artigo 4º da Constituição de Cabo Verde de 1980, que codificou o sistema de partido único. O MpD também ajudou a estabelecer um calendário para o período de transição.

O MpD é um partido de centro direita, que favorece o livre comércio, uma política económica aberta e uma maior cooperação com organizações internacionais como a OMC.

Enquanto que o MpD tem o seu maior apoio nas Ilhas Barlavento, tem ganho apoio crescente nas cidades secundárias das Ilhas Sotavento, como Mosteiros, Calheta, Assomada e Tarrafal.

Nas eleições presidenciais celebradas de 11 a 25 de Fevereiro de 2001, Carlos Veiga, que ganhou 45,83% dos votos na primeira ronda, foi derrotado por uma estreita margem (só 12 votos) pelo candidato do PAICV candidato Pedro Pires na segunda volta.[3]

Na última eleição para o ramo legislativo,celebrada a 22 de janeiro de 2006, o partido obteve 44.02% do voto popular e 29 dos 72 deputados na Assembleia Nacional de Cabo Verde.

Na última eleição presidencial de Cabo Verde celebrada a 12 de fevereiro de 2006, Carlos Veiga foi novamente derrotado por Pedro Pires, por uma margem de 49,02% a 50,98%.

Nas eleições parlamentares de 2011 o MpD não conseguiu a maioria das cadeiras, ficando em segundo lugar.[7]

Resultados eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Data Candidato apoiado 1.ª Volta 2.ª Volta Resultado
Cl. Votos % Cl. Votos %
1991 António Mascarenhas Monteiro 1.º 70 623
73,4 / 100
Eleito
1996 1.º 81 821
92,1 / 100
Eleito
2001 Carlos Veiga 2.º 60 719
45,8 / 100
2.º 75 815
50,0 / 100
Não eleito
2006 2.º 83 241
49,0 / 100
Não eleito
2011 Jorge Carlos Fonseca 1.º 60 887
37,8 / 100
1.º 97 735
54,3 / 100
Eleito
2016 1.º 93 010
74,1 / 100
Eleito
2021 Carlos Veiga 2.º 78 613
42,39 / 100
Não eleito

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Cl. Votos % +/- Deputados +/- Status
1991 1.º 78 454
66,4 / 100
56 / 79
Governo
1995 1.º 93 249
61,3 / 100
Baixa 5,1
50 / 72
Baixa 6 Governo
2001 2.º 55 586
40,6 / 100
Baixa 20,7
30 / 72
Baixa 20 Oposição
2006 2.º 74 909
44,0 / 100
Aumento 3,4
29 / 72
Baixa 1 Oposição
2011 2.º 94 674
42,3 / 100
Baixa 1,7
32 / 72
Aumento 3 Oposição
2016 1.º 122 881
54,5 / 100
Aumento 12,2
40 / 72
Aumento 8 Governo
2021 1.º 119 388
48,8 / 100
38 / 72
Baixa 2 Governo

Referências

  1. «Partido de centro-direita no poder vence as eleições em Cabo Verde». Correio Braziliense. 28 de abril de 2021. Consultado em 12 de janeiro de 2023 
  2. «Movimento para a Democracia». DW 
  3. a b c «As ilhas afortunadas». Jornal Avante! 
  4. «M.p.D. party (Cabo Verde)». crwflags.com (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2023 
  5. «PAICV reforça maioria absoluta com mais um deputado». A Semana. 10 de fevereiro de 2011. Consultado em 12 de janeiro de 2023. Arquivado do original em 28 de janeiro de 2015 
  6. «Opposition returns to power in Cape Verde after 15 years». Yahoo! News (em inglês). 21 de março de 2016. Consultado em 12 de janeiro de 2023 
  7. Oposição admite derrota eleitoral em Cabo Verde - Reuters Brasil

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]