Melhoria de Processos do Software Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mps.br)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O MPS.BR ou Melhoria de Processos do Software Brasileiro é simultaneamente um movimento para a melhoria da qualidade (Programa MPS.BR) e um modelo de qualidade de processo (Modelo MPS). Voltado para a realidade do mercado de pequenas e médias empresas de desenvolvimento de software no Brasil, ele é baseado em normas relacionadas aos processos de Engenharia de Software (ISO/IEC 12207) e de desenvolvimento de software (ISO/IEC 15504) e compatível com o CMMI.

O projeto tem apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia, da FINEP e do Banco Interamericano de Desenvolvimento. No Brasil o projeto é desenvolvido pela Softex, interagindo com as universidades e com o Governo Federal. Um dos objetivos do projeto é replicar o modelo na América Latina, incluindo o Chile, Argentina, Costa Rica, Peru e Uruguai.

Uma das principais vantagens do modelo é seu custo reduzido de certificação em relação às normas estrangeiras, sendo ideal para micro, pequenas e médias empresas, que são a grande maioria no Brasil.

Motivação[editar | editar código-fonte]

O Brasil é um país cujo desenvolvimento de produtos de software está entre os maiores do mundo, e a cada dia, aumenta o nível de exigência por parte dos clientes no que diz respeito à qualidade e complexidade dos produtos. A partir deste ponto, podemos observar que as empresas estão buscando cada vez mais a maturidade nos seus processos de software para atingir padronizações de qualidade e produtividade internacionais, que são essenciais para a sobrevivência no mercado de TI.

Porém, o custo de uma certificação para uma empresa pode ser de até US$ 400 mil, o que se torna inviável para empresas de micro, pequeno e médio porte. Então, de uma parceria entre a Softex, Governo e Universidades, surgiu o projeto MPS.BR (melhoria de processo de software brasileiro).

O MPS.BR está em conformidade com as normas ISO/IEC 12207 e 15504 e é a solução brasileira compatível com o modelo CMMI.

O modelo[editar | editar código-fonte]

O MPS.BR é dividido em 3 partes: MR-MPS, MA-MPS, MN-MPS

MR-MPS (Modelo de Referência para melhoria do processo de software)[editar | editar código-fonte]

O MPS.BR apresenta 7 níveis de maturidade (o que é um diferencial em relação aos outros padrões de processo) que são:

  • A - Em Otimização, o mais alto nível;
  • B - Gerenciado quantitativamente;
  • C - Definido;
  • D - Largamente Definido;
  • E - Parcialmente Definido;
  • F - Gerenciado;
  • G - Parcialmente Gerenciado, o mais baixo nível.

Cada nível de maturidade possui suas áreas de processo, onde são analisados:

  • processos fundamentais
    • aquisição;
    • gerência de requisitos;
    • desenvolvimento de requisitos;
    • solução técnica;
    • integração do produto;
    • instalação do produto;
    • liberação do produto.
  • processos organizacionais
    • gerência de projeto;
    • adaptação do processo para gerência de projeto;
    • análise de decisão e resolução;
    • gerência de riscos;
    • avaliação e melhoria do processo organizacional;
    • definição do processo organizacional;
    • desempenho do processo organizacional;
    • gerência quantitativa do projeto;
    • análise e resolução de causas;
    • inovação e implantação na organização.
  • processos de apoio
    • garantia de qualidade;
    • gerência de configuração;
    • validação;
    • medição;
    • verificação;
    • treinamento.

Em seguida vem a capacidade, isto é, o grau de refinamento e institucionalização com que o processo é executado na organização.

A capacidade do processo no MPS.BR possui os seguintes atributos de processos:

  • AP 1.1 - O processo é executado;
  • AP 2.1 - O processo é gerenciado;
  • AP 2.2 - Os produtos de trabalho do processo são gerenciados;
  • AP 3.1 - O processo é definido;
  • AP 3.2 - O processo está implementado;
  • AP 4.1 - O processo é medido;
  • AP 4.2 - O processo é controlado;
  • AP 5.1 - O processo é objeto de inovações;
  • AP 5.2 - O processo é otimizado continuamente.

MA-MPS (Método de Avaliação para melhoria do processo de software)[editar | editar código-fonte]

Tem como objetivo orientar a realização de avaliações, em conformidade com a norma ISO/IEC 15504, em empresa e organizações que implementaram o MR-MPS.

Características da avaliação MA-MPS:

  • Equipe de avaliação: 3 a 8 pessoas, sendo:
    • 1 avaliador líder
    • no mínimo 1 avaliador adjunto
    • no mínimo 1 técnico da empresa
  • Duração: 2 a 4 dias;
  • Validade: 3 anos.

Estruturação da Avaliação:

  • Planejar e preparar avaliação: Plano de Avaliação / Descrição dos indicadores de processo;
  • Conduzir Avaliação: Resultado da avaliação;
  • Relatar resultados: Relatório da avaliação;
  • Registrar e publicar resultados: Banco de dados Softex (vide portal MPS.BR nas 'Ligações Externas').

MN-MPS (Modelo de Negócio para melhoria do processo de software)[editar | editar código-fonte]

Instituições que se propõem a implantar os processos MPS.BR (Instituições Implementadoras) podem se credenciar através de um documento onde é apresentada a instituição proponente, contendo seus dados com ênfase na experiência em processos de software, estratégia de implementação do modelo, estratégia para seleção e treinamento de consultores para implementação do MR.MPS, estratégia para seleção e treinamento de avaliadores, lista de consultores de implementação treinados no modelo e aprovados em prova específica, lista de avaliadores treinados no modelo e aprovados em prova específica.

Cursos e certificação[editar | editar código-fonte]

A Softex realiza cursos para formação de consultores, compradores e avaliadores MPS.BR.

São ao todo 4 cursos:

  • Curso de Introdução - C1
  • Curso de Implementação - C2
  • Curso de Avaliação - C3
  • Curso de Aquisição - C4

Periodicamente, são realizadas provas em nível nacional para certificar profissionais em cada um dos cursos descritos acima. Tanto os cursos e as provas são realizadas nos Agentes Softex, por exemplo:

  • SOFTEX, Campinas/SP
  • ITS, São Paulo/SP
  • FUMSOFT, Belo Horizonte/MG
  • RIOSOFT, Rio de Janeiro/RJ
  • SOFTSUL, Porto Alegre/RS
  • Entre outras.

Próximos passos[editar | editar código-fonte]

O modelo MPS.BR tem como objetivo principal implementar o Modelo de Referência para melhoria de processo de software em 120 empresas. E como objetivos secundários, a disseminação em diversos locais do país, capacitação no uso do modelo e o credenciamento de instituições implementadoras e avaliadoras do modelo, especialmente instituições de ensino e centros tecnológicos e também a implementação e avaliação do modelo com foco em grupos de empresas. A avaliação conjunta de grupos empresariais objetiva à redução dos custos, porém, há uma perda de foco, pois não há uma especificidade para cada empresa e sim um mesmo modelo de referência para todas elas.

O MPS.BR já é uma realidade e existe um projeto para, dentro de alguns anos, a sua implantação em seis países da América Latina, são eles: Chile, Argentina, Costa Rica, Peru, Uruguai e Cuba.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]