Mr. Bean

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nota: Se procura o personagem, veja Mr. Bean (personagem). Para o desenho, veja Mr. Bean (série animada).
Mr. Bean
Informação geral
Formato Sitcom
Gênero Comédia
Humor britânico
Duração 29 minutos
Criador(es) Rowan Atkinson
Richard Curtis
País de origem  Reino Unido
Idioma original Inglês
Produção
Diretor(es)
  • John Howard Davies (Episódios 1–3, 15)
  • John Birkin (Episódios 4–7, 10–14)
  • Paul Weiland (Episódios 8–9)
Produtor(es) John Howard Davies (Episódios 1–3)
Sue Vertue (Episódios 4–9, 12–14)
Peter Bennett-Jones (Episódios 10–11)
Produtor(es) executivo(s) Peter Bennett-Jones
Distribuída por
Roteirista(s) Ben Elton (Episódio 1)
Richard Curtis (Episódios 1–7)
Robin Driscoll (Episódios 2–14)
Rowan Atkinson
Elenco Rowan Atkinson
Tema de abertura "Ecce homo qui est faba" (coral Southwark Cathedral)
Tema de encerramento "Vale homo qui est faba" (coral Southwark Cathedral)
Compositor da música-tema Howard Goodall
Empresa(s) de produção Tiger Aspect Productions
Exibição
Emissora de televisão original Televisão:

Reino Unido ITV e Nickelodeon
Brasil Rede Globo, Rede Bandeirantes, A&E e Canal Viva
Portugal RTP1, RTP Memória e SIC K

Internet: Reino Unido YouTube (mundialmente)

Formato de exibição 576i (SDTV)
Formato de áudio Stereo
Transmissão original 1 de janeiro de 199015 de dezembro de 1995
N.º de temporadas 1
N.º de episódios 15 (lista de episódios)

Mr. Bean é uma sitcom de comédia e humor britânico, estrelada pelo personagem de mesmo nome, criado e interpretado pelo ator e comediante Rowan Atkinson. A série, criada por Atkinson e Richard Curtis, teve originalmente 15 episódios, exibidos pela ITV, produzidos pela Tiger Aspect Productions e escritos por Atkinson, Curtis, Robin Driscoll e Ben Elton. O sucesso da série e do personagem deram origem a dois filmes e a uma série de desenho animado.

Origem e influências[editar | editar código-fonte]

Rowan Atkinson interpretando Mr. Bean.

A personagem Mr. Bean foi criada e desenvolvida enquanto Rowan Atkinson estava a estudar o seu mestrado na Universidade de Oxford. Um sketch encarnando a personagem foi realizado no Edinburgh Fringe no inicio dos anos 80. Uma personagem similar chamada Robert Box, encarnada por Atkinson, apareceu na ITV sitcom de 1979 Canned Laughter, onde também utilizava várias cenas do filme de 1979, Bean. Em 1987, uma das primeiras aparições de Mr. Bean ocorreu no festival de comédia "Just For Laughs" em Montreal, Quebec, Canada. Quando os directores da programação do festival a agendar a estreia de Atkinson no programa do festival, Atkinson insistiu que ele actuaria no programa francófono em vez de no anglófono. Não tendo qualquer diálogo em francês na sua actuação, os directores de programação do festival não conseguiam compreender porque é que Atkinson queria actuar no programa francófono. Como se constatou, a actuação de Atkinson no festival foi uma plataforma de teste para a personagem de Mr. Bean e Atkinson queria constatar como a comédia física de personagem mudo se iria safar num palco internacional com uma audiência não anglófona.

O nome do personagem não estava decidido até ao fim da produção e gravação do primeiro programa, com um grande número de outros nomes sendo explorados, com base em legumes e vegetais, como por exemplo "Mr. Cauliflower"(Sr. Couve-flor). Atkinson citou a personagem precursora da comédia Monsieur Hulot, criada pelo comediante e director francês Jacques Tati, como influência para a personagem. Estatisticamente, Mr. Bean é também muito semelhante aos precursores dos filmes de comédia, fiando-se puramente da comédia física, com Mr. Bean falando um diálogo muito curto e pequeno (apesar de como em outras séries de comédia da TV da época, se ter uma faixa de riso). Isto permitiu à série ter sido vendido em todo o mundo praticamente sem significativas mudanças no diálogo original.

A série e o personagem[editar | editar código-fonte]

Mr. Bean é uma série humorística da televisão inglesa protagonizada por Rowan Atkinson no papel de Mr. Bean.[1] O primeiro episódio foi transmitido em 1º de janeiro de 1990 pela ITV (Independent Television)[2] e a série seguiu no ar até 15 de dezembro de 1995.

Durante os cinco anos, foi aumentando sua audiência, até alcançar 18,74 milhões de espectadores durante o episódio "The Trouble With Mr Bean", em 1992. Além disso, recebeu um número relevante de prêmios internacionais, entre eles "A Rosa de Ouro" (Rose d'Or).[3] O programa também deu origem a dois filmes e uma série de desenhos animados.

A personalidade de Mr. Bean é agradável, divertida e inclusive ingênua e, algumas vezes, malvada. Rowan Atkinson (protagonista) sempre enxergou o personagem como sendo um garoto de 6 anos no corpo de um adulto. Vive em seu pequeno apartamento em Highbury, no norte de Londres (Inglaterra), com seu ursinho de pelúcia e melhor amigo, Teddy. Mr. Bean fala poucas vezes e quando o faz é sempre com poucas palavras ou com um resmungo. Seu nome e sua profissão nunca foram mencionadas nem por ele nem por seus criadores. O humor da comédia vem em grande parte das originais e excêntricas soluções que Mr. Bean encontra para resolver seus problemas e sua indiferença total por solucionar outros, além de sua habilidade em gerar confusão com as pessoas e entre elas. Mr. Bean usa sempre uma jaqueta de lã e uma gravata vermelha fina.

Teddy[editar | editar código-fonte]

O boneco original em exposição no museu

Teddy é o ursinho de pelúcia de Mr. Bean e, aparentemente, seu melhor amigo. Este pequeno urso pardo é feito de malha, com olhos de botão e membros (pernas e braços) em forma de salsicha. Embora Teddy seja inanimado, Mr. Bean costuma fingir que ele está vivo, comprando-lhe um presente de Natal ou tentando não acordá-lo pela manhã. Por exemplo, quando Mr. Bean hipnotiza Teddy (querendo que ele durma), ele estala os dedos e a cabeça do urso cai para trás como se ele tivesse adormecido instantaneamente (Bean usa o dedo para sustentar a cabeça de Teddy). Aparece em vários episódios. Em "Mr. Bean in Room 426", foi decapitado. Já em "Tee Off, Mr. Bean", foi encolhido na máquina de lavar roupa.

Ao longo dos anos, Teddy passou por várias mudanças. Quando estreou em "The Trouble with Mr. Bean", tinha uma cabeça menor. Dois episódios depois, sua cabeça era do tamanho de seu corpo, mas seus "olhos" não estavam presentes até que Bean colocou tachinhas de ouro em seu rosto. Os "olhos" foram substituídos por dois pequenos botões brancos costurados no rosto de Teddy, dando-lhe uma imagem distinta.

Depois que a série terminou, Teddy foi doado por Rowan Atkinson para o museu Teddy Bear, de Gyles Brandreth, em Stratford-upon-Avon. Em 2008, após o fechamento do museu, Teddy foi vendido em leilão por £ 180 milhões.

Irma Gobb[editar | editar código-fonte]

  • Interpretada por Matilda Ziegler

Mr. Bean também tem uma namorada chamada Irma Gobb e ela aparece em três episódios da série original. Ela é tratada sem muita consideração por Mr. Bean, que parece levar uma relação mais de amigo do que de uma companheira amorosa, entretanto ele ficou enciumado quando viu ela dançando com outro homem no episódio Mr. Bean Goes to Town. Apesar de ter um nome próprio, era creditada somente como "A namorada" nos créditos finais. Ela reapareceu no desenho, onde é revelado que Mr. Bean a conheceu numa biblioteca local.

O Mini[editar | editar código-fonte]

Mr. Bean e seu Mini amarelo em cena do episódio "Mr. Bean Vai a Cidade".
O Mini de Mr. Bean

Outro fator que deixou o seriado mais engraçado foram as proezas que Mr. Bean fazia com seu carro, um Mini amarelo e preto. Seu volante removível, junto com a tranca de cadeado na porta, eram as soluções originais de Bean para evitar que o carro fosse furtado.[4]

Haviam reservados cinco carros do mesmo modelo, e com as mesmas cores. No episódio "Back to School Mr. Bean", o carro do personagem é esmagado por um tanque, e substituído nos outros episódios por um modelo idêntico ACW 497V (só que com a mesma placa do outro). O carro mais utilizado na série foi um Mini geração 3 de 1976 placa SLW 287R.

A série começou com Mr. Bean usando um Morris Mini MKII de 1969, cor laranja, com a placa RNT 996H, mas ele acabou sendo destruído no final do primeiro episódio.

Depois que as filmagens terminaram, um dos Minis originais foi vendido a Kariker Kars para participar de vários eventos, sendo temporariamente exibido como uma grande atração no museu do Grupo Rover. Em 1997, foi comprado pelos Museu de Carros das Estrelas Motor e exibido por vários anos, depois sendo vendido para um museu nos Estados Unidos. O principal Mini é de propriedade privada e está próximo do fim de uma restauração no sul da Inglaterra.

Para promover o Mr. Bean: The Animated Series, uma réplica do Mini, com o número de registro DRW 221T, foi usada. Este Mini está atualmente em exposição no National Motor Museum, em Beaulieu.

O Reliant[editar | editar código-fonte]

Outro carro que costuma aparecer em alguns episódios Desde o episódio piloto, Mr. Bean tem uma longa rivalidade com o condutor (nunca visto) de um Reliant Regal Supervan III de 1972 (número de registro 'GRA 26K'), da cor azul-claro e de três rodas, que aparece em alguns episódios. O Reliant também apareceu no desenho, sob o n. de registro 'DUW 742', onde finalmente é revelado o rosto de seu condutor.

Episódios originais[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de episódios de Mr. Bean

A série teve 15 episódios, sendo o último um especial de 1 hora. No entanto, o último episódio não foi exibido em algumas emissoras lusófonas.

Ano Episódio Título em Português Título Original
1989/1990 01 Mr. Bean Mr. Bean
1990 02 A Volta de Mr. Bean The Return of Mr. Bean
1990 03 A Maldição de Mr.Bean The Curse of Mr. Bean
1990 04 Mr. Bean Vai à Cidade Mr. Bean Goes to Town
1990/1991 05 O Problema com Mr. Bean The Trouble with Mr. Bean
1990/1991 06 Mr. Bean Ataca Novamente Mr. Bean Rides Again
1992 07 Feliz Natal, Mr. Bean Merry Christmas, Mr. Bean
1993 08 Mr. Bean no Quarto 426 Mr. Bean in Room 426
1993 09 Cuidado com o Bebê, Mr. Bean Mind the Baby, Mr. Bean
1993/1994 10 Mr. Bean em Faça você Mesmo Do-It-Yourself, Mr. Bean
1994 11 Mr. Bean Volta à Escola Back to School, Mr. Bean
1995 12 Cai Fora, Mr. Bean Tee Off, Mr. Bean
1995 13 Boa Noite, Mr. Bean Goodnight, Mr. Bean
1995 14 Mr. Bean o Cabeleireiro Hair by Mr. Bean of London
1995 15 - The Best Bits of Mr. Bean

Além dos catorze episódios oficiais, produzidos de 1989 a 1995, Rowan Atkinson chegou a filmar mais de quinze outros esquetes como Mr. Bean entre 1993 e 2007 (sem contar com uma participação especial na Olimpíada de Londres, em 2012). Alguns nunca foram lançados em vídeo, sendo apresentados somente na televisão britânica, ao vivo ou gravados. Outros, como o "O Ponto de Ônibus" (The Bus Stop) e "A Biblioteca" (The Library), podem ser encontrados em relançamentos da série original em DVD, inclusos como material extra.

No país de produção[editar | editar código-fonte]

A série estreou no Reino Unido em 1 de janeiro de 1990 e foi exibida até 15 de dezembro de 1995 pela ITV. Também foi exibida (com censuras) nos canais infantis da Nickelodeon e Disney Channel UK.

Desde janeiro de 2006, foi lançado um canal oficial do personagem no YouTube, com os episódios da série e do desenho.

Em outros países[editar | editar código-fonte]

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Nos Estados Unidos, a série foi exibida pela HBO a partir de 2 de abril de 1992. Mr. Bean também foi exibido em alguns canais da PBS e pela Fox Family no final da década de 1990.

Brasil[editar | editar código-fonte]

A primeira vez em que Mr. Bean foi exibido no Brasil foi no ano de 1995, como um quadro do Fantástico, na Rede Globo. O sucesso foi muito grande, tendo sido encontrado na época até um sósia brasileiro de Rowan Atkinson.

Desde 1999, a Rede Bandeirantes possui os direitos de exibição da série no Brasil, e costuma exibir na TV aberta como tapa-buraco na programação em diversos horários, em versão legendada. Em 2012, a Globosat também comprou os direitos da série e passou a exibi-la na TV por assinatura através do Canal Viva, em versão dublada pelo estúdio carioca Gramophone.

Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal, a série estreou na RTP1 no dia 30 de abril de 2001, sendo exibida em grande parte das noites de semana até ao dia 24 de maio de 2001, quando terminou a primeira transmissão. Houve nesse mesmo ano, a transmissão do especial de Natal e no dia 1 de janeiro de 2002 foi transmitido às 14h10 da tarde.

Com o passar do tempo, a RTP1 começou a exibir a série em horários alternados e pouco tempo depois deixou de apostar muito na série, no entanto, a RTP no separador das programações escrevia que Mr. Bean ia ser exibido aquela hora.

Anos depois, antes da sua entrada na RTP Memória, a série foi exibida aos sábados e domingos antes das 13h, nessa altura, a série teve horário próprio. Pouco tempo depois, a RTP1 passou a exibir os episódios especiais de Merry Christmas Mr. Bean no dia de Natal ou na véspera de Natal e o episódio Do-It-Yourself, Mr. Bean no dia de Ano Novo ou na passagem de ano. A última transmissão na RTP1 foi no dia 1 de janeiro de 2010 com o especial de Ano Novo Do-It-Yourself, Mr. Bean, exibido entre as 18h36 e as 19h09 da tarde.

Duas semanas depois, a série mudou para a RTP Memória, já no dia 13 de janeiro de 2010, com exibição semanal às 21h30 e ainda voltou a ser exibida mais tarde ao fim de semana antes das 13h (tal como foi na RTP1).

Apesar da RTP2 ter tido um espaço de transmissão de série britânicas chamada Britcom, a série foi exibida na RTP1.

Em 2017, o canal infantil SIC K decidiu adquirir os direitos de autor a série live-action para o Natal de 2017, sendo exibida em Widescreen (16:9) na versão original e sem legendas. Foi reexibida em Setembro e Outubro de 2018. [5]

Ecce homo qui est faba[editar | editar código-fonte]

Nas aberturas dos episódios de Mr. Bean (exceto o primeiro episódio) é cantada uma música em coral, no tom de C maior, que diz "Ecce homo qui est faba" que quer dizer: "Eis o homem que é feijão" em latim. A música é uma referência ao nome do personagem ser "Bean" que em inglês significa feijão. Já no encerramento, é cantado "Vale homo qui est faba" que significa "Adeus homem que é feijão". A música foi escrita por Howard Goodall e cantada pelo coral da Catedral de Southwark.

Abertura[editar | editar código-fonte]

A partir do segundo episódio, a abertura da série mostrava Mr. Bean caindo do céu através de um feixe de luz. Em dois episódios, essa sequência de abertura era em preto e branco. No entanto, os episódios posteriores, mostravam Bean caindo do céu, durante a noite, em uma rua deserta de Londres, com fundo para a Catedral de São Paulo. No final dos episódios três e seis, também é mostrado ele sendo sugado de volta para o céu (cena em preto e branco no episódio 3, e cena da rua no episódio 6). Em relação aos créditos de abertura, Rowan Atkinson disse que Bean "tem um aspecto ligeiramente alienígena para ele".

No desenho, episódio "Double Trouble", a cena de abertura da série original é parodiada quando Bean é sugado por uma nave alienígena repleta de Beans iguais a ele e até com seus próprios bichos de pelúcia. Ao final do episódio, os alienígenas mandam Mr. Bean de volta a Terra em um feixe de luz e uma música semelhante à abertura da série original é tocada. Se o personagem é de fato um alienígena, não está claro.

Longa-metragens e o desenho[editar | editar código-fonte]

Mr. Bean: O Filme[editar | editar código-fonte]

O modelo British Leyland Mini 1000 utilizado por Mr. Bean.
Ver artigo principal: Bean (filme)

Em 1997, um filme baseado na série de televisão foi produzido. No filme, uma galeria de arte americana decide comprar um famoso quadro chamado A Mãe de Whistler. Para a sua primeira exposição ao público, a galeria pede à Royal National Gallery que lhes seja enviado o seu mais ilustre conhecedor de arte, para discursar na abertura. É quando os conselheiros decidem mandar Mr. Bean, o mais atrapalhado funcionário da galeria, como tentativa de se livrar dele.

Rowan Atkinson promovendo o filme Bean no Cinema UCI em Hürth, Alemanha em agosto de 1997.

O filme, dirigido por Mel Smith, teve um orçamento de US$ 22 milhões, com o filme arrecadando cerca de US$ 232 milhões nas bilheterias de todo o planeta.

As Férias de Mr. Bean[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Mr. Bean's Holiday

Em 2007, estreou nos cinemas uma segunda adaptação cinematográfica chamada As férias de Mr. Bean, um filme dirigido por Steve Bendelack. No filme, Mr. Bean ganha o 1º prêmio em uma rifa local: uma máquina de filmar nova, 200 euros e uma semana de férias no sul da França.

Rowan Atkinson declarou que As férias de Mr. Bean provavelmente seria o último filme sobre o personagem Mr. Bean. Mas que a série poderia voltar em 2014, fato que não ocorreu.

Mr. Bean: A Série Animada[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Mr. Bean: The Animated Series
Logotipo da série animada

Sete anos após o final da série original, Mr. Bean reapareceu em uma série de desenho animado, com o próprio Rowan Atkinson dublando o personagem-título e fornecendo referências para todas as ações animadas de Bean. Muito parecido com a série original, o spin-off animado contém pouco diálogo, apesar de algumas palavras serem faladas, a maioria são pequenos efeitos de som ou resmungos. A série introduziu novos personagens junto com os regulares da série original (Teddy e Irma Gobb), incluindo a desagradável senhoria de Mr. Bean chamada Sra. Wicket e seu gato de um olho só chamado Scrapper. As vozes de outros personagens são fornecidas por Jon Glover, Rupert Degas, Gary Martin, Lorelei King.

De 2002 a 2004, 52 episódios foram transmitidos pela ITV1, cada um consistindo em dois segmentos de 11 minutos. Em 2015, o CITV encomendou uma nova série de episódios. A nova série alterou o formato em que apresentava episódios que tinham muito mais diálogos do que o normal. 78 novos episódios começaram a ser transmitidos a partir de 6 de fevereiro de 2015.

Olimpíadas[editar | editar código-fonte]

Mr. Bean se tornou um ícone tão famoso da cultura pop inglesa que até fez parte da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de 2012, sediados em Londres. No evento, Bean atrapalhou a orquestra enquanto utilizava seu smartphone, e realizou outros atos cômicos. Em certa hora, ele adormeceu e o público começou a acompanhar seu sonho em um telão, onde o personagem aparecia correndo na maratona, em uma paródia da clássica cena do filme Carruagens de Fogo.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

O sucesso de Mr. Bean em todo o mundo permitiu que o personagem ocupasse um lugar na cultura popular de diversos países. Notavelmente, várias figuras públicas foram comparadas ao personagem, geralmente como uma forma de zombação.

  • Em Os Simpsons, no episódio "Os Monólogos da Rainha", da 15ª temporada, a família desembarca na Inglaterra e encontra o primeiro ministro do Reino Unido, Tony Blair. Quando este vai embora, Homer diz "Não acredito que acabamos de conhecer o Mr. Bean", supostamente demonstrando a visão estereotipada que os americanos tem dos britânicos.
  • O árbitro da NRL Sean Hampstead foi apelidado de "Mr. Bean" pelo locutor esportivo Ray Warren. O ex-primeiro ministro espanhol José Luis Rodríguez Zapatero também é muitas vezes ridicularizado em seu país devido a sua semelhança com o personagem.
  • Em 2007, Vincent Cable, líder dos liberais democratas da época, descreveu o recente declínio da fortuna do primeiro-ministro Gordon Brown como uma "notável transformação, nas últimas semanas, de Stalin a Mr. Bean".
  • Uma imagem de Bean sorrindo maliciosamente tem sido usada como meme da internet para destacar duplos sentidos sexuais, geralmente acompanhados da frase "Se você sabe o que eu quero dizer". Outras imagens dos personagem também se tornaram populares na internet.
  • Várias das piadas visuais da série foram usadas como experiências na série MythBusters, do Discovery Channel.
  • Embora Rowan Atkinson não costume usar o estilo de Bean em outros personagens, ele interpretou personagens com características semelhantes nos filmes Rat Race e Johnny English.

Remasterização da série[editar | editar código-fonte]

No final da década de 2000, os episódios da década de 1990 foram remasterizados. Os episódios Mr. Bean, The Return of Mr. Bean e The Curse of Mr. Bean tiveram as abertura editadas.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

O primeiro episódio da série ganhou o Rosa de Ouro, bem como outros dois grandes prêmios no Rose d' Or Light Entertainment Festival, de 1991, em Montreux. No Reino Unido, o episódio "The Curse of Mr. Bean" foi indicado para vários prêmios BAFTA. Rowan Atkinson foi indicado três vezes para "Melhor Performance de Entretenimento Leve", em 1991 e 1994.

Críticas e controvérsias[editar | editar código-fonte]

Censuras na TV[editar | editar código-fonte]

Merry Christmas Mr. Bean - O episódio Merry Christmas Mr. Bean teve a abertura completa e o encerramento com as letras a subir na remasterização, mas por alguma razão desconhecida, as cenas onde Mr. Bean faz batota para conseguir o perú e coloca-o dentro do carro foram cortadas.

Do it Yourself Mr. Bean - A seguinte cena foi originalmente cortada do episódio no meio do Ato 2, embora tenha sido incluída nos lançamentos anteriores da VHS dos Estados Unidos. O Mr. Bean quer comprar um sofá numa loja de departamentos. Ao aproximar-se da cadeira reclinada, ele descobre que um assistente de vendas já está demonstrando suas características para um casal idoso. Na tentativa de enganá-los em pensar que está quebrado, ele o desconecta, o que é quase imediatamente percebido pelo assistente.

Enquanto a mulher idosa sentada com prazer em uma cadeira, Bean então mexe num painel de controlo no braço da cadeira e adulterando os fios dentro, desconhecido para a mulher idosa. À medida que a mulher idosa experimenta a característica reclinada desta vez, ela se dobra, empurrando-a no meio, ela grita para o marido com deficiência auditiva, mas não é ouvida, apesar de estar a apenas alguns metros de distância. Além disso, Bean mostra a música tocando no interfone da loja, para dificultar a sua audição. Em última análise, ela cai para trás.

As razões desta censura são desconhecidas. Na televisão, nunca chegou a ir ao ar em todos os países. Em Portugal, nunca foi mostrada em DVD. Em 24 de maio de 2017, um YouTuber publicou na internet, a cena cortada. O vídeo chama-se "Mr. Bean (deleted scence) Chair scence (RARE)".

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2006, Mr. Bean foi acusado pela agência LUSA de autismo e de promover o atraso mental ao público mais jovem. Segundo eles "O Mr. Bean tem tudo de Asperger, como um comportamento bizarro, uma fixação pelo seu ursinho e não compreende as dicas sociais, mas o Asperger também pode ser o professor solitário ou o homem do computador". [6] A página de notícia é da RTP, que é uma emissora que transmitia o programa naquela altura.

Referências

  1. "Atkinson has Bean there and he's done with that", interview by Lucy Cavendish in The Scotsman (30 November 2005), URL accessed 3 August 2006.
  2. Mr Bean’s Best Birthday Bits – 20 Greatest Scenes Arquivado em 5 de setembro de 2013, no Wayback Machine., URL accessed 15 September 201
  3. Viewing figures at the Internet Movie Database, URL accessed 14 March 2008
  4. Cars of the Stars Museum Arquivado em 18 de fevereiro de 2011, no Wayback Machine., URL accessed 1 September 2010
  5. «Novidades de Dezembro». SIC K 
  6. LUSA, RTP, Rádio e Televisão de Portugal - Agência. «A doença do professor solitário ou do técnico informático» 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]