Mu Centauri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
μ Centauri
Dados observacionais (J2000)
Constelação Centaurus
Asc. reta 13h 49m 37,0s[1]
Declinação -42° 28′ 25,4″[1]
Magnitude aparente 3,43[1]
Características
Tipo espectral B2 IV-Ve[2][3]
B2Vnpe[1]
Cor (U-B) -0,90[1]
Cor (B-V) -0,16[1]
Variabilidade γ Cassiopeiae[4]
Astrometria
Velocidade radial 9,20 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -24,25 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -18,64 mas/a[1]
Paralaxe 6,45 ± 0,16 mas[1]
Distância 510 ± 10 anos-luz
155 ± 4 pc
Magnitude absoluta −2,52
Detalhes
Massa 9,1 ± 0,2[2] M
Raio 3,4 × 4,2[3] R
Gravidade superficial log g =
3,95 cgs[5]
3,86-4,33 cgs[3]
Luminosidade 2 089[3] L
Temperatura 22 410 K[5]
17 600-23 000[3] K
Rotação 440 ± 40 km/s[3]
Idade 19,8 ± 1,7 milhões[2]
de anos
Outras denominações
CD-41 8172, FK5 508, HR 5193, HD 120324, HIP 67472, SAO 224471.[1]
Mu Centauri
Centaurus constellation map.png

Mu Centauri (µ Cen, µ Centauri) é uma estrela na constelação de Centaurus. Tem uma magnitude aparente visual de 3,43,[1] sendo visível a olho nu. Com base em medições de paralaxe, está localizada a aproximadamente 510 anos-luz (155 parsecs) da Terra.[1]

O espectro de Mu Centauri corresponde a uma classificação estelar de B2 IV-Ve.[2] O sufixo 'e' indica a presença de linhas de emissão, o que significa que esta é uma estrela Be, cercada por um disco circunstelar de gás quente formado a partir de material ejetado da estrela. Mu Centauri é uma estrela variável pulsante com múltiplos ciclos não radiais com um período primário de 0,503 dias. Outros três ciclos de pulsação têm períodos similares, e outros dois têm um período mais curto de 0,28 dias. Ela também apresenta eventos eruptivos que resultam na transferência de mais material para o disco circunstelar.[6] Durante esses eventos, a estrela pode apresentar outros períodos de variabilidade temporários.[7] Mu Centauri é classificada como uma estrela variável do tipo Gamma Cassiopeiae e seu brilho varia entre magnitude +2,92 e +3,47.[4]

Mu Centauri está girando rapidamente, com uma velocidade de rotação de 440 km/s, completando uma rotação em cerca de 11,615 horas. Essa velocidade é equivalente a 85% da velocidade crítica na qual a estrela entraria em colapso pela força centrífuga no equador, resultando em um raio equatorial 26% superior ao polar. Como a estrela tem forma de um esferoide oblato, as regiões polares estão a uma temperatura maior que o equador—23 000 K contra 17 600 K, respectivamente. Da mesma forma, a força gravitacional nos polos é maior que no equador. O eixo de rotação da estrela está inclinado em um ângulo de (19 ± 3)° em relação à linha de visão da Terra.[3]

Com uma idade estimada em quase 20 milhões de anos,[2] esta estrela já completou 55–65% de seu período evolucionário na sequência principal.[5] Tem cerca de 9 vezes a massa solar,[2] 4 vezes o raio solar e está brilhando com mais de 2 000 vezes a luminosidade do Sol.[3] Sua atmosfera tem uma temperatura efetiva média de 22 410 K,[5] dando à estrela uma coloração azul-branca.[8]

Mu Centauri é membro do subgrupo Centaurus Superior-Lupus da associação Scorpius–Centaurus, a associação OB mais próxima do Sol.[9] Possui uma estrela companheira de natureza desconhecida, com magnitude aparente de 10, a uma separação de 4,64 segundos de arco na esfera celeste.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m «SIMBAD query result - mu. Cen». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  2. a b c d e f Tetzlaff, N.; Neuhäuser, R.; Hohle, M. M (janeiro de 2011). «A catalogue of young runaway Hipparcos stars within 3 kpc from the Sun». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 410 (1): pp. 190-200. Bibcode:2011MNRAS.410..190T. doi:10.1111/j.1365-2966.2010.17434.x 
  3. a b c d e f g h Rivinius, Th.; et al. (abril de 2001). «Stellar and circumstellar activity of the Be star µ Centauri. III. Multiline nonradial pulsation modeling». Astronomy and Astrophysics. 369: p.1058-1077. Bibcode:2001A&A...369.1058R. doi:10.1051/0004-6361:20010185 
  4. a b Samus, N. N.; Durlevich, O. V.; et al. (janeiro de 2009). «VizieR Online Data Catalog: General Catalogue of Variable Stars (Samus+ 2007-2013)». VizieR On-line Data Catalog: B/gcvs. Bibcode:2009yCat....102025S 
  5. a b c d Zorec, J.; Frémat, Y.; Cidale, L (outubro de 2005). «On the evolutionary status of Be stars. I. Field Be stars near the Sun». Astronomy and Astrophysics. 441 (1): pp.235-248. Bibcode:2005A&A...441..235Z. doi:10.1051/0004-6361:20053051 
  6. Rivinius, Th.; et al. (maio de 1998). «Stellar and circumstellar activity of the Be star µ Centauri. I. Line emission outbursts». Astronomy and Astrophysics. 333: p.125-140. Bibcode:1998A&A...333..125R 
  7. Rivinius, Th.; Baade, D.; Štefl, S (novembro de 2003). «Non-radially pulsating Be stars». Astronomy and Astrophysics. 411: p.229-247. Bibcode:2003A&A...411..229R. doi:10.1051/0004-6361:20031285 
  8. «The Colour of Stars». Australia Telescope, Outreach and Education. Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation. 21 de dezembro de 2004. Consultado em 11 de fevereiro de 2017 
  9. Chen, Christine H.; Pecaut, Mark; Mamajek, Eric E.; Su, Kate Y. L.; Bitner, Martin (setembro de 2012). «A Spitzer MIPS Study of 2.5-2.0 M ⊙ Stars in Scorpius-Centaurus». The Astrophysical Journal. 756 (2): artigo 133, 24 pp. Bibcode:2012ApJ...756..133C. doi:10.1088/0004-637X/756/2/133 
  10. Eggleton, P. P.; Tokovinin, A. A (setembro de 2008). «A catalogue of multiplicity among bright stellar systems». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 389 (2): pp. 869-879. Bibcode:2008MNRAS.389..869E. doi:10.1111/j.1365-2966.2008.13596.x 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]