Mulan (2020)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mulan
Pôster com a data de estreia de antes do cancelamento
 Estados Unidos
2020 •  cor •  115 min 
Direção Niki Caro
Produção Chris Bender
Tendo Nagenda
Jason T. Reed
Jake Weiner
Roteiro Rick Jaffa
Amanda Silver

Lauren Hynek
Elizabeth Martin
Baseado em Mulan
por Hua Mulan
Elenco Liu Yifei
Donnie Yen
Jason Scott Lee
Yoson An
Ron Yuan
Gong Li
Jet Li
Gênero
Música Harry Gregson-Williams
Cinematografia Mandy Walker
Edição David Coulson
Companhia(s) produtora(s) Walt Disney Pictures
Jason T. Reed Productions
Good Fear
Distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures
Disney+
Lançamento Estados Unidos 9 de março de 2020 (Dolby Theatre)
Estados Unidos 4 de setembro de 2020
Brasil Portugal 4 de dezembro de 2020
Idioma inglês
Orçamento US$ 200 milhões

Mulan é um filme estadunidense de 2020, dos gêneros fantasia, aventura, drama, guerra e ação, dirigido por Niki Caro com o roteiro de Elizabeth Martin, Lauren Hynek, Rick Jaffa e Amanda Silver, e produzido pela Walt Disney Pictures. É uma adaptação em live-action do filme de animação homônimo da Disney de 1998, que por sua vez é uma adaptação da lenda chinesa de Hua Mulan. O filme é estrelado por Liu Yifei como a personagem-título e conta também com os atores Donnie Yen, Tzi Ma, Jason Scott Lee e Jet Li.

O filme teria uma grande estreia mundial agendada para 9 de março de 2020, que veio a ser cancelada nos Estados Unidos diversas vezes por conta da decorrente pandemia de COVID-19. Em setembro do mesmo ano, o filme foi lançado através do Disney+ nos países em que o serviço de streaming está disponível e contará com uma estreia tradicional nos países que permitirem a reabertura gradual de salas de cinema. Mulan recebeu observações positivas de críticos que elogiaram as sequências de ação, figurino e as performances.

No dia 16 de agosto de 2019, após a atriz Liu Yifei, protagonista do filme, declarar publicamente seu apoio aos policiais acusados de agirem brutalmente contra manifestantes pró-democráticos em Hong Kong, um grupo de pessoas sugeriu que o filme sofresse um boicote.[1][2] A notícia se espalhou rapidamente pelo Twitter e logo tomou conta de toda a internet.[3]

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Liu Yifei como Fa Mulan: Filha mais velha do lendário soldado Hua Zhou que desafia a tradição milenar e a lei de seu povo ao se disfarçar como homem no Exército Imperial, protegendo seu pai doente.
  • Donnie Yen como Comandante Tung: O severo e respeitado comandante do Exército Imperial e mentor de Mulan. É baseado no personagem Li Shang do filme animado.
  • Gong Li como Xianniang: Uma poderosa feiticeira cujas habilidades incluem assumir a forma de outros seres humanos. Por seu domínio de magia antiga, tem seu lugar rejeitado na corte chinesa e alia-se a Bori Khan sob promessa de ser aceita em uma nova era. Personagem introduzido nesta nova adaptação, tem paralelos com o personagem Hayabusa do filme animado.[4]
  • Jet Li como O Imperador: O sábio e benevolente líder do povo chinês que, para combater a ameaça de invasores do Norte, ordena a mobilização de tropas do Exército Imperial com o alistamento de um homem de cada família.[5][6]
  • Jason Scott Lee como Bori Khan: Um guerreiro habilidoso e líder dos Rouranos que busca vingança do Imperador da China pela morte de seu pai. É baseado no personagem Shan Yu, antagonista do filme animado.[7]
  • Yoson An como Chen Honghui: Um confiante e ambicioso recruta que faz parte da unidade comandada por Tun e cria uma grande admiração por Mulan. É baseado no personagem Li Shang do filme animado.
  • Ron Yuan como Sargento Qiang: O fiel subordinado de Comandante Tung no Exército Imperial.
  • Tzi Ma como Hua Zhou: Pai de Mulan e um respeitado veterano de guerra, conclamado pelo Exército Imperial contra os invasores do Norte apesar de sua saúde frágil.
  • Jimmy Wong como Ling: Um recruta da unidade do Exército Imperial comandada por Tung.[8]
  • Doua Moua como Chien-Po: Um recruta da unidade do Exército Imperial comandada por Tung.[8]
  • Chen Tang como Yao: Um recruta da unidade do Exército Imperial comandada por Tung.[8]
  • Nelson Lee como O Chanceler: Mais importante conselheiro do Imperador da China que emite um decreto convocando cada homem de uma família chinesa na guerra contra a invasão dos povos do Norte. É baseado no personagem Chi-Fu do filme animado.[9]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A cineasta neozelandesa Niki Caro tornou-se a segunda mulher a dirigir uma produção da Disney, após Ava DuVernay em A Wrinkle in Time. Com orçamento de 200 milhões de dólares, o filme também é o mais caro já dirigido por uma mulher.[10]

Por várias vezes nos anos recentes, a Walt Disney Pictures manifestou o interesse em realizar uma adaptação live action do filme de animação Mulan, de 1998, estrelando Zhang Ziyi e com a provável direção de Chuck Russell. Os planos para uma adaptação se tornaram mais concretos a partir de 2010, mas o projeto nunca foi levado a cabo.[11]

Em 30 de março de 2015, o jornal The Hollywood Reporter informou que a companhia havia dado início a produção da adaptação tendo Chris Bender e J. C. Spink como produtores e Elizabeth Martin e Lauren Hynek como roteiristas.[12] Em 4 de outubro de 2016, foi anunciado que Rick Jaffa e Amanda Silver iriam reescrever o roteiro combinando a lenda original chinesa com elementos do filme animado de 1998, enquanto Jason T. Reed se juntaria a equipe de produtores.[13] Em 27 de fevereiro de 2020, Reed revelou que o personagem Mushu, coadjuvante do filme animado e dublado por Eddie Murphy, seria retirado da nova adaptação devido a baixa receptividade pelo público chinês.[14][15] Reed também afirmou que, ao contrário do filme original, os produtores se basearam em várias outras adaptações da lenda chinesa alegando que "o público tradicional da Disney e o público de ascendência asiática viam o filme de uma maneira, e o público chinês na China via o filme de uma maneira muito diferente", os cineastas "tentaram se certificar de que estavam atingindo ambos os públicos".[14]

Seleção do elenco[editar | editar código-fonte]

Devido a intensas críticas sofridas por filmes estadunidenses pela alegada prática de embranquecimento no cinema, Mulan esteve sobre intensa observação desde a divulgação de que a Disney realizaria uma nova adaptação.[16][17] Uma petição motiva por internautas intitulada "Tell Disney You Don't Want A Whitewashed Mulan!" ("Diga a Disney que não queremos uma Mulan embranquecida", em tradução livre) recebeu mais de 100 mil assinaturas virtuais. Em 4 de outubro de 2016, a empresa anunciou que estava realizando uma busca global pela atriz a interpretar a personagem-título.[18] Uma equipe de cineastas visitou diversos países do globo e examinou cerca de 1.000 atrizes para o papel, exigindo que a atriz ideal tivesse consideráveis habilidade em artes marciais, Inglês fluente e reconhecimento mundial.[19]

Em 29 de novembro de 2017, a atriz sino-estadunidense Yifei Liu foi confirmada como a protagonista da nova produção.[19][20] O fato foi amplamente celebrado como um triunfo da diversidade étnica nas produções da Disney.[21][22] Em abril do ano seguinte, o restante do elenco foi confirmado em conjunto, que contaria com a atuação de Donnie Yen, Gong Li, Jet Li e Xana Tang. Em maio de 2018, foram confirmadas as contratações de Utkarsh Ambudkar e Ron Yuan.[23]

Direção[editar | editar código-fonte]

Primeiramente, a Disney buscava a contratação de um cineasta asiático para o filme. A empresa considerou Ang Lee, cineasta taiwanês vencedor do Oscar de Melhor Diretor por Brokeback Mountain e Life of Pi em 2006 e 2013, respectivamente. A imprensa estadunidense mencionou que Lee foi contactado e recusou a oferta em 12 de outubro de 2016.[24] De acordo com a matéria publicada em 22 de novembro do mesmo ano, Lee concordava na contratação de um cineasta asiático para o longa, mas não assumiria a responsabilidade por estar envolvido na divulgação de Billy Lynn's Long Halftime Walk.[25] Em seguida, a Disney entrou em contato com Jiang Wen sem conclusões. Finalmente, em 14 de fevereiro de 2017, a cineasta neozelandesa Niki Caro foi anunciada como nova diretora do filme, sendo a segunda mulher a dirigir uma produção da Disney com orçamento acima de 100 milhões de dólares, depois da direção de Ava DuVernay em A Wrinkle in Time.[26][27]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

A produção principal começou em 13 de agosto de 2018 em diferentes locais na Nova Zelândia e na China.[28]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Teatro Dolby, em Hollywood, local da première internacional de Mulan. No entanto, o filme sofreu vários adiamentos posteriores por conta da pandemia de COVID-19.[29][30]

A première mundial de Mulan ocorreu no Teatro Dolby, em Hollywood, em 9 de março de 2020.[31] O filme estava agendado para uma estreia em 2 de novembro de 2018, que veio a ser cancelada em detrimento de The Nutcracker and the Four Realms. A produção foi, então, reagendada para lançamento em 27 de março de 2020, antes de ter seu lançamento definitivamente suspenso por conta da pandemia de COVID-19.[29][30] O filme foi projetado para ser lançado em 24 de julho do mesmo ano, assumindo a antiga data de estreia de Jungle Cruise e, então, foi adiado novamente para 21 de agosto.[32] Em 23 de julho, o filme foi removido do calendário de lançamentos sem novas previsões.

Em 4 de agosto de 2020, a Disney anunciou que cancelaria o lançamento tradicional do filme nos Estados Unidos e o lançaria nas plataformas digitais do Disney+ em 4 de setembro de 2020. Mulan estará disponível para aquisição na plataforma até 2 de novembro, antes de ser disponibilizado para todos os assinantes em 4 de dezembro. O filme não será oferecido na França para pré-lançamento, sendo lançado normalmente em data posterior ainda não anunciada. Sobre o valor de aquisição do filme, Bob Chapek afirmou: "Estamos tentando estabelecer uma janela de acesso ao lançamento para capturar o investimento sobre o filme."

Recepção[editar | editar código-fonte]

Vendas online[editar | editar código-fonte]

A revista estadunidense Variety estimava que Mulan precisaria de 8,4 milhões de compradores virtuais para ser considerado um sucesso comercial.[33] Na semana do lançamento do filme, a plataforma de streaming Disney+ registrou 68% a mais de downloads do que as vendas da semana anterior, em comparação aos 72% de Hamilton no mês de julho.[34] Após a semana de estreia, a Business Insider divulgou que o filme havia sido assistido por 1 milhão de pontos de acesso (incluindo aqueles conectados por aparelhos televisores), o que resultaria em 33,5 milhões de dólares em lucros para a companhia.[35]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

Até então, Mulan arrecadou 5,9 milhões de dólares em nove diferentes países durante sua semana de estreia, incluindo 1,2 milhão na Tailândia e 700 mil em Singapura, ambos países em que o filme é a maior estreia do ano. Mulan também arrecadou 800 mil nos Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita.[36][37] Na sua segunda semana de exibição, o filme somou 29 milhões de dólares em 17 países, incluindo 1,8 milhão na Rússia e sendo o filme mais assistido na Ucrânia, Hungria e África do Sul.[38]

Devido a diversos fatores, incluindo os agradecimentos às autoridades de Sinquião, a óbvia representação asiática em filmes de grande sucesso na China e o lançamento através plataformas digitais, Mulan foi um dos filmes mais subestimados comercialmente no mercado chinês.[39] O filme arrecadou 23,2 milhões de dólares na semana de estreia no país, números considerados baixos diante da campanha de divulgação e, no entanto, 23% mais rentável do que Aladdin, lançado um ano antes.

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

No site Rotten Tomatoes, o filme mantém taxa de aprovação de 75% baseada em 253 análises, com média de 6,8/10. O consenso crítico do site afirma que "o filme poderia ter contado sua história clássico com maior profundidade, porém a adaptação live action de Mulan é uma maravilha visual que serve como uma renovação enérgica ao seu predecessor."[40] No site Metacritic, o filme possui média avaliativa de 76/100, baseada em 51 análises, indicando "críticas majoritariamente positivas".[41]

Richard Roeper, do Chicago Sun-Times concedeu ao filme 3,5 de 4 estrelas, elogiando "o elenco refinado, ação excitante e visuais espetaculares" e escreveu que "é um belo filme, com maravilhosos cenários e ação deslumbrante e cores tão vibrantes que poderiam impressionar uma fábrica da Crayola, ainda será bem exibido em nossos monitores. Há ótimos tons de laranja e magenta, azul e amarelo, é como se estivéssemos vendo tais cores pela primeira vez."[42] Kate Erbland, da revista IndieWire, deu ao filme uma nota "B+", considerando-o "uma ação marcante que marca seu próprio caminho" e acrescentou que "Mulan talvez seja o melhor exemplo de como unir o original com o novo."[43]

Referências

  1. «'Mulan' boycott: Pro-democracy activists rally over». CNN. 04 de abril de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. «Calls to boycott Mulan rise after Disney release». The Verge. 07 de setembro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «Filme 'Mulan' pode sofrer boicote após atriz apoiar violência policial». Entretenimento UOL. 16 de agosto de 2019. Consultado em 17 de agosto de 2019 
  4. Vinney, Chintya (5 de setembro de 2020). «Mulan: Xianniang, the Shape-Shifting Witch, Is Disney's Most Baddass Villain». CBR 
  5. «There are no talking dragons or singing generals in this live action Mulan trailer». Forbes. 7 de julho de 2019 
  6. «Jet Li returns to screen after four years as powerful Emperor». 8 de setembro de 2020 
  7. «Mulan: Why Original Villain Shan Yu Isn't Disney's Remake?». ScreenRant. 8 de setembro de 2020 
  8. a b c «Disney's Mulan casts Jimmy Wong and Doua Moua». Deadline. 14 de agosto de 2018 
  9. Sprague, Mike (6 de julho de 2019). «Mulan Adaptation Drops This Sunday». Movie Web 
  10. «'Mulan' Director Niki Caro on 200 million budget.». IndieWire. Março de 2020 
  11. «Zhang Ziyi to produce and star in 3D Mulan film». New Asia. 28 de julho de 2010 
  12. Ford, Rebecca (30 de março de 2015). «Disney Developing Live Action Mulan». The Hollywood Reporter 
  13. Kroll, Justin. «Disney's Live-Action 'Mulan' to Hit Theaters in November 2018; Rick Jaffa and Amanda Silver Rewriting». Variety 
  14. a b Szany, Wendy Lee (27 de fevereiro de 2020). «'Mulan': The Biggest Changes from the Animated Version in Disney's Live-Action Remake». Collider 
  15. He, Gregory (2 de setembro de 2020). «What Can we expect from a Mulan without Mushu?». Vulture 
  16. Kang, Inkoo (20 de outubro de 2016). «Mulan, Whitewashing, And The Problem Of Asian American Representation in Hollywood». MTV 
  17. Campbell, Tina (11 de outubro de 2016). «Disney responds to Mulan remake whitewashing allegations». The Sun 
  18. McClintock, Pamela (4 de outubro de 2016). «Disney's Live-Action 'Mulan' Gets Winter 2018 Release Date». The Hollywood Reporter 
  19. a b Sun, Rebecca (29 de novembro de 2017). «Disney's Mulan Finds Its New Star». The Hollywood Reporter 
  20. «Mulan: Disney casts Chinese actress Liu Yifei in lead role». BBC News. 30 de novembro de 2017 
  21. «Who Is Yifei Liu? 5 Things On The 'Mulan' Actress». Hollywood Life. 4 de setembro de 2020 
  22. Granshaw, Lisa (2 de setembro de 2020). «How 'Mulan' Director Niki Caro Cast Her Warrior». BackStage 
  23. N'Duka, Amanda (23 de maio de 2018). «'Mulan': Utkarsh Ambudkar & Ron Yuan Added To Disney's Live-Action Adaptation». Deadline 
  24. Ford, Rebecca (12 de outubro de 2016). «Mulan Mania: Disney, Sony Hunt for Asian Directors to Helm Rival Action Pics». The Hollywood Reporter 
  25. Lee, Ashley (22 de novembro de 2016). «Ang Lee on Disney's Live-Action 'Mulan': "It'd Be Great to See an Asian Director». The Hollywoood Reporter 
  26. Sun, Rebecca (16 de fevereiro de 2017). «Disney's Live-Action 'Mulan' Finds Director (Exclusive)». The Hollywood Reporter 
  27. «Mulan director Niki Caro on authenticity and nixing classic songs». DigitalSpy. 31 de agosto de 2020 
  28. AdoroCinema. «Mulan: Diretora divulga bela foto do set de filmagens». AdoroCinema 
  29. a b «Mulan e Tenet ficam sem data de estreia». MSN 
  30. a b Redação. «Mulan: Live-action da Disney tem estreia adiada para 2020». Observatório do Cinema. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  31. «Mulan: First Reactions to Premiere». The Hollywood Reporter. 9 de março de 2020 
  32. «'Mulan' estreia em julho e 'Viúva Negra' em novembro após adiamentos de filmes da Disney». G1. 3 de abril de 2020. Consultado em 20 de abril de 2020 
  33. Vary, Adam (6 de agosto de 2020). «Disney's 'Mulan' Gamble: How Much Can It Make By Skipping Theaters?». Variety 
  34. Katz, Brandon (8 de setembro de 2020). «'Mulan' Drove a Huge Surge of New Disney+ Sign-Ups Despite Boycotts». The Observer 
  35. Clark, Travis (9 de setembro de 2020). «'Mulan' viewership data and revenue from Disney Plus premiere weekend». Business Insider 
  36. Mendelson, Scott (6 de setembro de 2020). «Box Office: 'Mulan' Nabs $6M Overseas As 'Bill & Ted' Rules VOD». Forbes 
  37. D'Alessandro, Anthony (6 de setembro de 2020). «'Tenet' Finally Opens Stateside: Warner Bros. Movie Resuscitates Exhibition With $20M+ Over Labor Day Weekend, $150M WW To Date». Deadline 
  38. Tartaglione, Nancy (13 de setembro de 2020). «'Mulan' Moola Muted In China With $23.2M Opening – International Box Office». Deadline 
  39. Frater, Patrick (11 de setembro de 2020). «Disney's Mulan Soft Start». Variety 
  40. «Mulan (2020)». Rotten Tomatoes 
  41. «Mulan (2020)». Metacritic 
  42. Roeper, Richard (3 de setembro de 2020). «Dazzling 'Mulan' comes to life with flying colors». Chicago Sun-Times 
  43. Erbland, Kate (3 de setembro de 2020). «'Mulan' Review: Niki Caro's Sweeping Live-Action Disney Epic Reimagines a Heroine Worth Fighting for». IndieWire 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]