Mulheres de Areia (1993)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mulheres de Areia
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero drama
romance
suspense
Duração 50 minutos
Criador(es) Ivani Ribeiro
Baseado em Mulheres de Areia e O Espantalho de Ivani Ribeiro
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Wolf Maya
Produtor(es) Wolf Maya
Elenco
Tema de abertura "Sexy Yemanjá", Pepeu Gomes
Tema de encerramento "Sexy Yemanjá", Pepeu Gomes
Composto por Pepeu Gomes e Tavinho Paes
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 1 de fevereiro – 25 de setembro de 1993
Episódios 201
Cronologia
Despedida de Solteiro
Sonho Meu
Programas relacionados Mulheres de Areia (1973)
O Espantalho

Mulheres de Areia é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela TV Globo de 1º de fevereiro a 25 de setembro de 1993 em 201 capítulos.[nota 1][3] Substituiu Despedida de Solteiro e foi substituída por Sonho Meu, sendo a 44ª "novela das seis" exibida pela emissora.

Escrita por Ivani Ribeiro, a trama foi um remake mixado de duas novelas da própria autora – Mulheres de Areia (1973) e O Espantalho (1977), exibidas na TV Tupi e RecordTV, respectivamente.[4] Contou com a colaboração de Solange Castro Neves, a direção foi de Wolf Maya, Carlos Magalhães e Ignácio Coqueiro, com Wolf Maya na direção geral[4].

Contou com as participações de Glória Pires, Vivianne Pasmanter, Guilherme Fontes, Marcos Frota, Laura Cardoso, Sebastião Vasconcelos, Paulo Goulart e Susana Vieira.[1]

Produção[editar | editar código-fonte]

Para escrever esta trama, Ivani Ribeiro se inspirou em uma radionovela de sua autoria chamada As noivas morrem no mar, escrita em 1965. Por sua vez essa radionovela era inspirada no filme Uma vida roubada, lançado em 1946 com Bette Davis no papel das gêmeas[5].

Em 1990 Ivani apenas cogitou fazer um remake de Mulheres de Areia. Porém como ela não estava satisfeita com O sexo dos anjos, que era adaptação de O terceiro pecado, ela optou por engavetar o projeto[6]. Em 1991 a autora foi escalada para substituir Manoel Carlos no horário das 6; daí ela tomou a decisão de adaptar Mulheres de areia e O espantalho numa obra só[6].

Nas cenas em que as gêmeas contracenavam, Glória Pires contava com a ajuda de Graziela de Laurentis. A atriz surgia na novela de perfil ou de costas e também decorava os textos. A produção da novela fez com que a aparência entre ambas ficasse o mais igual possível[6].

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

De imediato, por seu trabalho como as gêmeas Ruth e Raquel na versão original, Eva Wilma foi convidada por Ivani Ribeiro para estar no elenco, porém devido a estar no ar na novela Pedra sobre Pedra, não pode aceitar o convite[6].

Ivani queria somente Glória Pires para protagonizar a novela, porém como ela engravidou na época não pôde aceitar o convite. Cogitaram-se, então, Lúcia Veríssimo e Maria Padilha, que tinha acabado de sair da telenovela O Dono do Mundo em 1991[6].

Diante da insistência de Ivani em ter apenas Glória Pires no papel, a solução foi esperar. Então, a novela foi adiada mais uma vez e Felicidade acabou sendo esticada em quase 50 capítulos. Walther Negrão foi chamado, então, para escrever a substituta de Felicidade, no espaço que seria a cidade cenográfica de Mulheres de Areia; Despedida de Solteiro foi criada, com Reynaldo Boury e Carlos Manga Filho remanejados para Despedida de Solteiro[6]. .

Inicialmente, cogitou se Cecil Thiré e José Wilker como intérpretes de Virgílio, porém este ficou com Raul Cortez. Marcos Frota, que estava confirmado como Tonho da Lua quando o remake entrou em pré-produção em 1992, disputou o papel com Angelo Antônio, Eduardo Moscovis e Irving São Paulo, ficando com o papel. Porém, os dois últimos participaram da telenovela como o pescador Tito e o médico Zé Luís, respectivamente[6]. .

Ivani e Wolf decidiram que o papel era de Glória Pires, porém ela tinha acabado de dar a luz a sua filha e demorou a aceitar o convite. Com a recusa de Glória, cogitaram se Cláudia Abreu, Malu Mader e Carolina Ferraz, que a época era apresentadora do Fantástico para o papel. Mas Glória voltou atrás e aceitou o convite após ler a sinopse da telenovela a pedido do diretor artístico, Paulo Ubiratan. Glória, porém conseguiu liberação para amamentar sua filha nos estúdios, seguindo seu cronograma como mãe[6]. .

Enredo[editar | editar código-fonte]

Mulheres de Areia tem como tema central a rivalidade entre gêmeas. A história se passa na fictícia Pontal D’Areia, uma pequena cidade na Região dos Lagos, no litoral fluminense, para onde Ruth retorna depois de passar alguns anos dando aulas em uma escola primária. Nesta época ela morava em uma fazenda na Serra Fluminense, que é propriedade de Arlete, sua melhor amiga desde a infância (cenas gravadas na Fazenda São Fernando, em Vassouras).[7]) Ruth volta a morar com os pais, Isaura e Floriano, e com a sua gêmea, Raquel. Raquel e Ruth, apesar de fisicamente idênticas, têm personalidades muito diferentes. Ruth é doce, calma e tem um bom coração. Raquel, por sua vez, é egoísta, agressiva e má.

A gêmea má é super protegida pela mãe, que acata todas as suas decisões, mas está sempre em conflito com o pai, que não gosta do jeito fútil de Raquel, que nunca trabalhou e só pensa em ter um marido rico. Já a gêmea boa se dá bem com o pai, orgulhoso de como ela é trabalhadora e humilde, mas Ruth entra em conflito com a mãe, que a critica por não ser vaidosa e nem alegre.

Aproveitando-se da semelhança física com a irmã, Raquel planeja conquistar o namorado de Ruth, o bem-sucedido empresário Marcos Assunção, que se encanta com Ruth quando a conhece em Pontal D’Areia.

Raquel, a princípio, finge ser Ruth, e acaba conseguindo seduzir Marcos, que ao descobrir que é Raquel, tenta terminar tudo com ela, mas diante da recusa de Ruth em continuar o namoro por sentir-se traída, Marcos casa-se com Raquel, que está interessada somente na fortuna do rapaz. O casamento, no entanto, não impede que ela continue a se encontrar às escondidas com o mau-caráter Wanderley, seu amante. Em determinado momento da história, Tonho da Lua descobre a traição de Raquel. Portador de uma deficiência mental, Tonho esculpe mulheres de areia na praia de Pontal e alimenta um amor platônico por Ruth, sua protetora, fazendo tudo para vê-la feliz. Raquel, por sua vez, o persegue e inferniza sua vida, destruindo suas esculturas e o humilhando sempre que pode.

A descoberta de Tonho não traz nenhuma consequência para o casamento de Raquel, que arma um plano, convencendo Marcos de que Wanderley é amante de Ruth, o que deixa Marcos muito decepcionado. A mando de Raquel, Wanderley passa a perseguir Ruth, tentando abusar dela, o que a deixa apavorada. Ruth, que é bastante depressiva, não consegue esquecer Marcos, e sofre ao ver a irmã casada com seu grande amor. Marcos ama Ruth, mas deixou-se levar por sua atração física por Raquel, que é muito sensual. A história sofre uma reviravolta quando as gêmeas sofrem um acidente, durante uma canoagem no mar, após uma tempestade. Ruth é dada como morta, mas ela foi encontrada por Tonho da Lua desmaiada na areia, segurando a aliança de Raquel. Sabendo que ela é apaixonada por Marcos, Tonho coloca a aliança em Ruth. Quando ela é encontrada, todos pensam ser Raquel. Tentando desfazer essa confusão, Ruth acaba por sentir pena de Marcos, achando que ele ama Raquel. Para não vê-lo sofrer, ela, então, assume o lugar da irmã gêmea para ficar ao lado de Marcos. Raquel, na verdade, não morreu. Ela conseguiu nadar até uma ilha próxima e escondeu-se em uma caverna. Grávida de Marcos, sofreu um aborto espontâneo nesse acidente. Ela conseguiu ajuda de pescadores e voltou para Pontal. Ao saber que sua irmã está se passando por ela, Raquel se enfurece, mas continua se fingindo de morta, e planeja se vingar da irmã e de Marcos. Ela se une a Wanderley para dar um golpe na família Assunção. Raquel também se finge de assombração e passa a atormentar Virgílio e Tonho da Lua.

Ruth esconde um grande segredo do passado: engravidou de um homem casado, sem saber que o mesmo era comprometido, mas o bebê morreu no parto. Ela jamais contou essa história trágica para a família, o que a levou a ser mais retraída e deprimida do que já era. Ela, fingindo ser Raquel, acaba por reencontrar este homem, César, que é sócio de Marcos, e seu comportamento amedrontado acaba por colocar em dificuldades seu plano de continuar se passando por Raquel.

Outro obstáculo no caminho de Raquel será o pai de Marcos, Virgílio Assunção, um empresário ambicioso e sem escrúpulos, que é contra o casamento do filho por ele ter se casado com uma mulher de origem humilde, tendo certeza que Raquel é uma golpista, a chamando em tom pejorativo de caiçara de beira de praia. Vice-prefeito e dono do maior hotel da cidade, Virgílio sonha em transformar Pontal D’Areia em um centro turístico. A ele, opõem-se o prefeito ambientalista Breno - irmão de sua mulher Clarita - e a jovem Tônia, uma engajada comerciante local. O clímax dessa trama acontece quando Breno decide proibir o banho de mar na cidade, devido à poluição das águas. A decisão afasta os turistas da cidade, o que desespera Virgílio.[8] Malu, irmã de Marcos, culpa o pai, Virgílio, pela morte do noivo, e vive em atrito com ele por conta disso, pois o mesmo não aceitava o relacionamento, visto que o rapaz era pobre. A jovem tem um bom coração, mas um comportamento rebelde, se veste de preto, anda de moto, gosta de ouvir rock e não respeita ninguém, até conhecer e se apaixonar pelo vaqueiro Alaor. Apesar de rude e ambos terem personalidades opostas, Alaor, após muitas brigas, idas e vindas, consegue domar as impetuosidades de Malu, e os dois vivem uma inusitada e divertida história de amor.[8]

Ao longo da trama, Wanderley é assassinado. Supostamente teria sido Raquel a assassina, pois ela havia disparado um tiro contra o corpo desacordado dele, achando que estaria dormindo, visto que o amante a chantageava e queria dinheiro para ficar em silêncio. Wanderley, no entanto, já estava morto depois de levar uma garrafada na cabeça. No final, é revelado que a autora do crime é Vilma, que também havia se envolvido com Wanderley.[9]

Além de Raquel, Tonho da Lua também sofre mas mãos de Donato, seu padrasto, um homem rude e violento, que explora todos os pescadores de Pontal D'Areia e tenta abusar da enteada Glorinha, irmã e protetora de Tonho, que acaba se apaixonando pelo pescador Tito.[8]

Ruth, sem conseguir mais esconder a verdade, revela tudo a Marcos, inclusive sobre seu passado. Ele, surpreso mas emocionado, revela que sempre a amou. Pouco tempo depois, Raquel volta, destratando a todos, passando a beber demais e ficando mais agressiva que antes. Ela ameaça Virgílio e quer participação nos lucros da empresa. Marcos já não a suporta mais e quer o divórcio, mas a megera não assina, exigindo pensão milionária e regalias. Ela acaba tentando seduzir Marcos novamente, mas Ruth passa a enfrentá-la. Clarita, mulher muito honesta e bondosa, a mãe de Marcos, torna-se inimiga de Raquel, fazendo de tudo para ela deixar seu filho.

No final, Virgílio passa a ser assombrado pelo espantalho, uma figura de palha criada por ele para zombar de Breno.[10] Em uma dessas aparições, o espantalho atrai Virgílio para a praia e dança freneticamente em sua frente. Ao tentar perseguir a figura, o vilão sofre um infarto e morre.[11] É então revelado que Tônia era o espantalho, e que queria se vingar de Virgílio pela morte de seu irmão Reginho - que morre de hepatite ao nadar nas águas poluídas - e por todas as vezes que o vilão tentou fechar seu comércio e também agarrá-la a força. A divertida comerciante Manuela é a única a descobrir o fato e promete guardar segredo para ajudar a amiga.[11]

Donato é preso. Depois de ter armado um novo golpe para separar Ruth e Marcos, Raquel, por interesse, torna-se amante de César. Ele, apesar de sócio de Marcos, é mau caráter e rouba a empresa. Raquel então aplica um novo golpe, e rouba todo o dinheiro roubado de César. O mesmo promete vingança. Tentando fugir, Raquel se envolve em uma perseguição de carros com César, que bate no carro dela, que cai no precipício. O carro bate nas pedras e explode, matando Raquel. O advogado queria vingar o atropelamento do irmão Zé Luís, que quase morre após uma mentira contada pela vilã.[8] Após o enterro de Raquel, Isaura, que sempre estivera ao lado da filha má, decide contar a Ruth o plano da irmã para separá-la de Marcos. Isaura revela que Raquel dopou o rapaz e deitou-se ao seu lado para que Ruth acreditasse que os dois haviam dormido juntos. Na ocasião, Ruth flagrou Raquel na cama do amado e rompeu com ele, achando que, mais uma vez, seu grande amor a tivesse traído. Ao saber da verdade, Ruth vai atrás de Marcos e conta que tudo não passou de uma armação de Raquel para separá-los. Os dois finalmente conseguem se entender e, apaixonados, casam-se e terminam a novela juntos, com Ruth grávida.[12]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Fontes: Teledramaturgia[13]; Memória Globo[14]

Ator / Atriz Personagem
Glória Pires Ruth Araújo
Raquel Araújo
Guilherme Fontes Marcos Assunção
Marcos Frota Tonho da Lua
Vivianne Pasmanter Malu Assunção
Humberto Martins Alaor de Almeida Passos
Laura Cardoso Isaura Araújo
Sebastião Vasconcelos Floriano Araújo
Susana Vieira Clarita Assunção
Raul Cortez Virgílio Assunção
Paulo Betti Wanderley Amaral
Andrea Beltrão Antônia (Tônia)
Eloísa Mafalda Manuela
Paulo Goulart Donato
Nicette Bruno Julieta Sampaio (Juju)
Adriano Reys Oswaldo Sampaio (Sampaio)
Daniel Dantas Breno Soares de Azevedo
Isadora Ribeiro Vera Soares de Azevedo
Evandro Mesquita Joel
Giovanna Gold Alzira
Eduardo Moscovis Tito Belo
Thaís de Campos Arlete Assunção
Jonas Bloch Walter Hartmann (Alemão)
Stepan Nercessian Delegado Rodrigo
Irving São Paulo Zé Luiz
Edwin Luisi Dr. Munhoz
Oscar Magrini Vitor
Denise Milfont Vilma
Antônio Pompeo Servílio
Alexandra Marzo Carola Sampaio
João Carlos Barroso Daniel
Henri Pagnoncelli César
Joel Barcellos Chico Belo
Karina Perez Andréia Sampaio
Gabriela Alves Glória (Glorinha)
Maurício Ferrazza Vasco
Toi Bressane Rozendo
Cibele Larrama Luzia
Chico Tenreiro Mathias
Marcelo Mansfield Santiago
Lu Mendonça Maria do Carmo (Do Carmo)
Alexia Deschamps Maria Helena
Marco Miranda Duarte
Serafim Gonzalez Garnizé
Suely Franco Celina de Almeida Passos
Carlos Zara José Pedro (Zé Pedro)
Ricardo Blat Marujo
Fabrício Bittar Regino (Reginho)
Luciano Vianna Otávio (Tavinho)
Theresa de Castro Cida

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator / Atriz Personagem
Bia Feres Ruth (criança) [carece de fontes?]
Branca Feres Raquel (criança) [carece de fontes?]
Wolf Maya Dr. Otacílio Galvão
Fernando José Detetive Benvenutti
Totia Meireles Sônia
Germano Filho Ataliba
Felipe Carone Comendador Jacomani
Cleyde Blota Hilda
Dary Reis Sebastião (Bastião)
Ingrid Guimarães Jurema
Sônia de Paula Lurdes
Roney Villela Carijó
Ignácio Coqueiro Gilberto
Suzana Abranches Mariah
Moacyr Deriquém Jacomini
Jorge Cherques Abílio
Renato Rabello Editor da revista em que Malu posa nua
Paulo Gracindo Padre do casamento de Carola e Zé Luiz
Cláudio Cavalcanti Dr. Murilo
Natalia Timberg Juíza do julgamento de Ruth
Marcus Vinícius Policial
Luciano Rabelo Duda
Ronaldo Tasso Igor
Dayse Tenório Alice
Ênio Santos Joaquim
Leonardo Miranda Jota
Eliska Altman Krika
Kleber Drable Padre João
Ivan Senna Médico
Vinícius Marques Daniel
Francisco Dantas Padre Onildo
Lafayette Galvão Médico do sanatório
Graziela di Laurentis Ruth (dublê)
Raquel (dublê)
Andre Luiz Klevenhusen Tonho da Lua (criança)
Chitãozinho & Xororó Eles mesmos
Asa Branca Ele mesmo
Isabel Ela mesma
Grande Circo Popular do Brasil Eles mesmos
Easy Rider Eles mesmos

Reexibições[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 25 de novembro de 1996 a 25 de abril de 1997, substituindo Meu Bem, Meu Mal e sendo substituída por A Viagem, em 110 capítulos[15].

Foi reexibida novamente pelo Vale a Pena Ver de Novo de 12 de setembro de 2011 a 9 de março de 2012, substituindo O Clone e sendo substituída por Chocolate com Pimenta, em 129 capítulos.[16] Durante a exibição desta reprise, o capítulo de número 46, que seria exibido em 14 de novembro de 2011, uma segunda-feira, não foi ao ar devido à transmissão do amistoso de futebol entre Brasil e Egito. Com isso, a reprise, que teria 130 capítulos, fechou com 129.[17]

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva entre 29 de fevereiro a 21 de outubro de 2016, substituindo Despedida de Solteiro (sua antecessora também na exibição original em 1993) e sendo substituída por A Gata Comeu.[18][19]

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de março de 2021, a novela foi liberada na íntegra no Globoplay[20].

Classificação indicativa[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2011, a emissora teve que adequar a novela para a classificação 'L - Livre para todas as idades", Com isso a primeira adequação foi eliminar a nudez da abertura de Mulheres de Areia e a Rede Globo usou recursos de computação para que os seios de Mônica Carvalho não aparecessem.

Em 11 de outubro de 2011, a emissora foi notificada que a trama de Ivani Ribeiro apela para o assédio moral, nudez sugestiva e apologia ao tabagismo e ao alcoolismo. Com isso, a trama conteria cenas inadequadas para menores de dez anos, e a emissora teve que fazer mais cortes, evitando que cenas impróprias para o horário vespertino fossem exibidas, atendendo à classificação "10 anos - Este programa contém cenas inadequadas para menores de dez anos".

Em junho de 2012, logo após o fim da segunda reprise, o Ministério da Justiça reclassificou a trama como inadequada para menores de doze anos.[21]

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Em sua exibição original no horário das 18 horas que foi de 1.º de fevereiro a 25 de setembro de 1993 a novela obteve média geral de 50 pontos, qualificada como "megassucesso", que na época tinha meta de 35 pontos.[22]

Reprise

Em seu primeiro capítulo de sua segunda reprise, exibido no dia 12 de setembro de 2011, os índices foram os mesmos conseguidos no primeiro capítulo da antecessora da faixa, O Clone, que conseguiu 15 pontos, os índices são satisfatórios para o horário vespertino.

Em seu segundo capítulo, exibido no dia 13 de setembro, os índices caíram, e registrou uma média de 13 pontos.

Em seu terceiro capítulo, exibido no dia 14 de setembro, os índices subiram, e marcou uma média de 16 pontos.

No dia 20 de setembro, os índices caíram mais ainda, registrando uma média de 12 pontos, o índice mais baixo da reprise até então.

No início de setembro até meados de outubro a audiência ficou em baixa, mas logo depois foi reconquistando o público de O Clone e recuperando parte do que havia perdido com a reprise de Sete Pecados, antecessora de O Clone.

No dia 15 de novembro, a audiência foi surpreendente, e registrou 21 pontos com pico de 25.

Em seu último capítulo, exibido no dia 9 de março, registrou média de 19 pontos.[23]

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Mulheres de Areia Nacional
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento Março de 1993
Gênero(s) Vários
Duração 58:25
Formato(s) LP, K7, CD
Gravadora(s) Som Livre
Produção Roger Henri
Cronologia de Vários intérpretes
-
Mulheres de Areia Internacional

Trilha sonora sobe a direção musical de Mariozinho Rocha, produção musical de Roger Henri e masterização de Sérgio Seabra.[24] Na capa está estampada a protagonista Ruth, vivida por Glória Pires. Na contracapa, a atriz está caracterizada como a vilã Raquel. Conta com temas em português, sendo alguns deles em inglês.

N.º TítuloMúsica Duração
1. "Ai Ai Ai Ai Ai" (tema de Raquel e Wanderley)Ivan Lins 4:08
2. "Pensando em Minha Amada" (tema de Alaôr)Chitãozinho & Xororó 3:37
3. "Sexy Yemanjá" (tema de abertura)Pepeu Gomes 3:43
4. "Encontro das Águas" (tema de Marcos)Maurício Mattar 4:13
5. "Caminhos Cruzados" (tema de Clarita)Gal Costa 3:39
6. "Ovelha Negra" (tema de Malu)Os Fantasmas 3:56
7. "Paraíso" (tema de locação: Pontal d'Areia)Marianna Leporace 2:46
8. "Down"  T Set Squad 1:32
9. "Toque de Emoção" (tema de Andréia)Joanna 4:02
10. "A Vida é Festa" (tema da aldeia dos pescadores)Banda Beijo 3:50
11. "Desafios" (tema de Arlete)Simone 4:03
12. "Figura" (tema de Ruth)Orlando Morais 3:43
13. "Fantasia Real" (tema de Tonho da Lua)Byafra 3:41
14. "Gita" (tema de Tônia)Raul Seixas 4:50
15. "Dirty Game" (tema dos amigos de Malu)Easy Rider 2:52
16. "Voyager"  Franco Perini 1:36
Duração total:
58:25

Internacional[editar | editar código-fonte]

Mulheres de Areia Internacional
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento julho de 1993
Gênero(s) Vários
Duração 1:06:45
Formato(s) LP, K7, CD
Gravadora(s) Som Livre
Produção Roger Henri
Cronologia de Vários intérpretes
Mulheres de Areia Nacional
-

Trilha sonora sobe a direção musical de Mariozinho Rocha, produção musical de Roger Henri, seleção de repertório por Sérgio Motta e masterização de Sérgio Seabra.[24] A capa é estampada pelo protagonista Marcos, vivido por Guilherme Fontes. Conta apenas com temas estrangeiros, sendo todos deles em inglês. Foi uma das trilhas internacionais que pouquíssimas vezes ou raramente tocou na novela, sendo a maior parte tocada durante o encerramento, o que marcaria as produções televisivas da emissora nos anos 90.

N.º TítuloMúsica Duração
1. "Easy" (tema de Ruth e Marcos)Faith no More 3:05
2. "Sweat (A La La La La Long)"  Inner Circle 3:46
3. "Bed Of Roses" (tema de Malu e Alaôr)Bon Jovi 5:03
4. "See The Light"  Snap 5:42
5. "Let It Be Me" (tema de Marcos)Ouriel Clark 3:51
6. "Close Encounters"  Clouseau 3:48
7. "Forever In Love"  Kenny G 4:57
8. "Bad Bad Boys"  Midi, Maxi & Efti 3:23
9. "Wild Thing"  Tone Loc 4:26
10. "Simple Life"  Elton John 6:24
11. "Looking At My Girl"  Double You 3:15
12. "No Ordinary Love" (tema de Raquel)Sade 7:16
13. "Latin Motion"  Frank Shadow 3:54
14. "Groovin' In The Midnight"  Maxi Priest 4:08
15. "The Colour 0f The Risk"  Franco Perini 3:30
Duração total:
1:06:45

Prêmios[editar | editar código-fonte]

APCA (1993)
Troféu Imprensa (1993)

Melhor Atriz - Glória Pires[26]

Prêmio TV Press (1993)
  • Melhor Atriz - Glória Pires[27]

Notas

  1. Foram 201 capítulos escritos, mas 203 exibidos. O capítulo 73 teve o desmembramento 73A e o capítulo 79 teve o desmembramento 79A.[2]

Referências

  1. a b «Veja e compare elenco de Mulheres de Areia 22 anos depois da estreia». GShow. 1 de fevereiro de 2015. Consultado em 8 de janeiro de 2016. Arquivado do original em 19 de abril de 2015 
  2. Mulheres de Areia (1993) Teledramaturgia, seção Bastidores
  3. Memória Globo. «Ficha técnica». Consultado em 21 de dezembro de 2008 
  4. a b «A primeira experiência da TVS em novela foi um original da grande Ivani Ribeiro». R7. Consultado em 20 de julho de 2017 
  5. Nilson Xavier (21 de agosto de 2021). «Trama baseada em filme, ator cortado e mais: 10 segredos de Mulheres de Areia». TV História. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  6. a b c d e f g h «25 anos de Mulheres de Areia; tudo sobre os bastidores da trama!». TV História. 1 de fevereiro de 2018. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  7. «'MULHERES DE AREIA' NO TELHADO». memoria.bn.br. 21 de agosto de 1993. 20 de junho de 2012. Consultado em 10 de abril de 2016 
  8. a b c d «Tramas - Mulheres de Areia». Memória Globo. Consultado em 3 de junho de 2020 
  9. «Mulheres de Areia: Quem matou Wanderley?». Consultado em 3 de junho de 2020 
  10. «O Espantalho entra em cena». Consultado em 3 de junho de 2020 
  11. a b «O Final de Virgílio em 'Mulheres de Areia'». Hipertensão. 19 de janeiro de 2012. Consultado em 3 de junho de 2020 
  12. Memória Globo. «Ficha técnica». Consultado em 21 de dezembro de 2008 
  13. «Mulheres de Areia (1993)». Teledramaturgia. 17 de julho de 2016. Consultado em 17 de julho de 2016 
  14. «Personagens - Mulheres de Areia». Memória Globo. Consultado em 3 de junho de 2020 
  15. «25 de novembro na história da TV: em 1996, Mulheres de Areia em Vale a Pena Ver de Novo». TV História. 25 de novembro de 2017. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  16. «Globo escala Mulheres de Areia para o Vale a Pena Ver de Novo». O Diário. 16 de julho de 2011. Consultado em 19 de agosto de 2015 
  17. «Amistoso entre Brasil e Egito desperta faceta humorística de internautas». Jornal do Brasil. 14 de novembro de 2011 
  18. «Canal Viva vai reprisar a novela "Mulheres de Areia"». UOL. 29 de setembro de 2015. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  19. «'Mulheres de areia' será reprisada no Viva ano que vem - Patrícia Kogut, O Globo». 29 de setembro de 2015. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  20. «'Mulheres de areia' estreia no Globoplay: relembre rivalidade entre as gêmeas Ruth e Raquel». G1. 29 de março de 2021. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  21. «Ministério da Justiça proíbe exibição de "Mulheres de Areia" antes das 20h». UOL. 20 de junho de 2012. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  22. RD1. «Audiência Detalhada: Mulheres de Areia». Arquivado do original em 4 de novembro de 2013 
  23. «"Mulheres de Areia" termina com boa audiência na Globo». Na Telinha. 12 de março de 2012 
  24. a b «Ficha Técnica de Mulheres de Areia». Memória Globo. Consultado em 1 de setembro de 2011. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2012 
  25. RD1. «Audiência Detalhada: Mulheres de Areia». RD1. Arquivado do original em 18 de julho de 2012 
  26. Troféu Imprensa Melhores de 1993 - Parte 6, consultado em 13 de abril de 2021 
  27. «Premiações Artísticas». 1993. Consultado em 14 de maio de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]