Multivac

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Multivac é o nome de um supercomputador ficcional que apareceu em várias histórias de ficção científica do escritor americano Isaac Asimov. De acordo com sua autobiografia In Memory Yet Green, Asimov cunhou o nome imitando UNIVAC, um dos primeiros computadores mainframes . Asimov assumiu que o nome “Univac” denotava um computador uma única válvula termiônica (na verdade é um acrônimo para “Universal Automatic Computer”), e com a base de que um computador com muitas válvulas iria ser mais poderoso, chamou seu computador ficcional de “Multivac”. [1] Seu conto posterior, “The Last Question”, entretanto, diz que o suffixo AC é “analog computer”. [2]

Como muitas das tecnologias que Asimov descreve em sua ficção, as exatas especificações do Multivac variam em suas aparições. Em todos os casos, é um computador operado pelo governo que responde perguntas, e é normalmente colocado no subterrâneo por segurança. Entretanto, Asimov nunca fala um tamanho em particular para o computador (exceto mencionar que é bem grande) ou as instalações de apoio em seu redor. No conto “Franchise” é descrito como sendo de meia milha (c. 800 metros) e três andares de altura, até onde o público sabe, enquanto em “All the Troubles of the World” diz que ele enche Washinghton D.C.. Tem menções frequentes de corredores e pessoas no interior de Multivac. Ao contrário de muitas inteligências artificiais apresentadas na Série Robôs, a interface de Multivac é mecanizada e impessoal, consistindo em consoles de comandos complexos onde poucos humanos podem operar (com exceção do “Key Item”).

Pensando que a tecnologia dependeria de tubos a vácuo, o conceito – de que toda informação poderia ser contida no computador e acessada de um terminal doméstico – constitui uma referência inicial à possibilidade da Internet (como em “Aniversary”.[3] Em “The Last Question”, é mostrado que Multivac teve uma vida de vários milhares de anos, crescendo ainda mais a cada seção da história, o que pode explicar seus tamanhos diferentes apresentados na linha do tempo interna da história.

Linhas da História[editar | editar código-fonte]

Em uma história antiga do Multivac, “Franchise”, Multivac escolhe a pessoa “mais representativa” da população dos Estados Unidos, que o computador interroga para determinar a orientação geral do país. Todos os escritórios eleitos são enchidos por candidatos que o computador calcula como aceitáveis para a população. Asimov escreveu essa história como a culminação lógica – e/ou possivelmente o reductio ad absurdum – da habilidade do UNIVAC de prever resultados eleitorais a partir de pequenas amostras.

Na que é possivelmente a história mais famosa do Multivac, “The Last Question”, dois técnicos meio bêbados perguntam a Multivac se a Humanidade pode reverter o aumento da entropia. Multivac falha, mostrando a mensagem de erro “DADOS INSUFICIENTES PARA RESPOSTA SIGNIFICATIVA”. A história continua através de muitas versões da tecnologia do computador, cada um mais poderoso e etéreo que o anterior. A cada um desses computadores é feita a pergunta, e cada um retorna com a mesma resposta até finalmente o Universo morre. Nesse ponto, o sucessor final do Multivac, o AC Cósmico (que existe inteiramente no hiperespaço) coletou todos os dados que foi possível, e então coloca a questão para si mesmo, e persevera até finalmente responder A Última Pergunta. Finalmente, o AC Cósmico conseguiu decifrar a pergunta, anunciando “Que Haja Luz!” e essencialmente ascendeu ao estado de Deus no Antigo Testamento. Asimov disse que essa é sua história favorita. [4]

Em “All the Troubles of the World”, a versão apresentada do Multivac revela um problema bem inesperado. Tendo carregado o peso de toda a Humanidade em seus ombros figurativos por eras, acabou ficando cansado, e faz planos para causar sua própria morte.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Histórias de Asimov que apresentam Multivac:

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Multivac».

Referências

  1. Asimov, Isaac (1979). In Memory Yet Green: The Autobiography of Isaac Asimov, 1920-1954. New York: Doubleday. p. 663. ISBN 9780385136792. OCLC 4491369. Univac is an acronym for 'Universal Automatic Computer' but I somehow got it into my head, without thinking, that it meant 'uni-vac', or 'one vacuum tube.' From then on, I wrote a series of stories featuring a giant computer I called 'Multivac.' 
  2. Asimov, Isaac (1990). The Complete Stories Volume 1. New York: Doubleday. p. 179. ISBN 0-385-41606-7. OCLC 2864093626. Someone had once told Jerrodd that the "ac" at the end of "Microvac" stood for "analog computer" in ancient English, but he was on the edge of forgetting even that 
  3. "About MultiVAX"
  4. Seiler, Edward (11 de julho de 2014). «Frequently Asked Questions about Isaac Asimov». Asimov Online. Of his own work, what were Asimov's favorite and least favorite novels? What were his favorite and least favorite stories? 
  5. Jenkins, John H. «Question». Asimov Reviews 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]