Muraena helena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Como ler uma infocaixa de taxonomiaMuraena helena
moreia-comum, moreão
Muraena helena.
Muraena helena.
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Infrafilo: Gnathostomata
Superclasse: Osteichthyes
Classe: Actinopterygii
Subclasse: Neopterygii
Infraclasse: Teleostei
Superordem: Elopomorpha
Ordem: Anguilliformes
Família: Muraenidae
Género: Muraena
Espécie: M. helena
Nome binomial
Muraena helena
Linnaeus, 1758
Distribuição geográfica
Muraena helena distmap.png
Sinónimos

Muraena helena é uma espécie de peixes anguiliformes da família Muraenidae.[2] Não se conhecem subespécies validamente descritas.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

A espécie M. helena tem um corpo alongado, serpentiforme, parecido a enguia, que pode alcançar um comprimento de 1,5 metros e pesar mais de 15 kg. A coloração da pele varia do cinzento ao castanho escuro, com pequenas manchas. A pele é viscosa e sem escamas.

A espécie carece de barbatanas peitorais e as aberturas branquais estão reduzidas a pequenos orifícios. A barbatana dorsal começa atrás da cabeça e prolonga-se ininterruptamente até à barbatana caudal, a qual está fundida com a barbatana anal.

Os dentes são grandes e, como ocorre noutras moreias, pontiagudos. A boca é grande e robusta, prolongando-se para atrás das guelras.

A espécie habita nas águas costeiras do Oceano Atlântico oriental, desde as Ilhas Britânicas à costa do Senegal, estando também presente nas águas de Cabo Verde, Canárias, Madeira e Açores, e no Mar Mediterrâneo.

Prefere os fundos rochosos e vive em profundidades entre os 5 e os 80 metros. É uma espécie solitária e territorial que passa a maior parte do dia em cavidades e gretas entre as rochas, estando mais activa durante a noite. Caça peixes, caranguejos e cefalópodes, mas também se alimenta de animais mortos.

A reprodução é pouco conhecida, sabendo-se que em cada postura produzem cerca de 60 000 ovos, libertados em águas abertas.

Um crustáceo parasita,[3] o tremátodo Folliculovarium mediterraneum[4] e o platelminta (Digenea) Lecithochirium grandiporum[5] são parasitas de M. helena.

A mordedura é venenosa devido a uma secreção hemolítica da sua mucosa palatina.

A espécie é pescada comercialmente, sendo consumida frita. A pele é utilizada para fazer um couro decorativo.

Notas

  1. «Muraena helena». Lista Vermelha da IUCN de espécies ameaçadas da UICN 2020 (em inglês). ISSN 2307-8235 
  2. a b ITIS
  3. P.Sasal et al.,Determinants of parasite species richness in Mediterranean marine fishes, Mar.Ecol.Prog.Ser. Vol. 149: 61-71. 1997
  4. Bartoli,B et al.First report of a species of Folliculovarium Gu & Shen, 1983 (Bucephalidae: Prosorhynchinae) from European marine waters, with the description of F. mediterraneum n. sp. Systematic Parasitology, Vol 56, Number 2, Oct. 2003
  5. P.Bartoli1, D.I.Gibson, The status of Lecithochirium grandiporum (Rudolphi, 1819) (Digenea: Hemiuridae), a rarely reported and poorly known species from the Mediterranean moray eel Muraena helena L. in the Western Mediterranean. Systematic Parasitology, Vol 68, 3 Nov. 2007

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Muraena helena
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Muraena helena