Muriqui

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: "Muriqui" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Muriqui (desambiguação).
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMuriquiErro de citação: Elemento <ref> inválido; nomes inválidos (por exemplo, são demasiados)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Atelidae
Subfamília: Atelinae
Género: Brachyteles
Spix, 1823
Espécie-tipo
Ateles arachnoides
É. Geoffroy, 1806
Espécies

Muriqui é uma denominação comum as duas espécies de macacos do Novo Mundo da família Atelidae e gênero Brachyteles também conhecidos como buriquins, buriquis, mariquinhas, mariquinas, muriquinas, muriquinhas e mono-carvoeiro.[1] É o maior macaco americano, medindo 0,70 metros de corpo e igual medida de cauda. Tem polegar reduzido e pelo amarelo. Vive nas matas dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, nos fragmentos de mata atlântica que restam nestes estados do Brasil.[1][2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Muriqui", "buriquim", "buriqui", "mariquinha", "mariquinhas", "mariquina", "muriquinas" e "muriquinhas" originaram-se do termo tupi muri'ki, que significa "gente que bamboleia, que vai e vem", ou então "povo manso da floresta", graças a seus hábitos solidários e de permanência em grupo.[1][3]

Espécies[editar | editar código-fonte]

São reconhecidas duas espécies do gênero, e existe certa concordância quanto esses dois táxons serem espécies separadas:[4]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikispecies Diretório no Wikispecies


Referências

  1. a b c FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.1 172
  2. http://oglobo.globo.com/economia/miriam/ visitado em 24/06/2012
  3. Alves, Thaís (31 de outubro de 2011). «Muriqui é candidato a mascote das Olimpíadas 2016». Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (CPB/ICMBio). Consultado em 3 de janeiro de 2012 
  4. Rylands AB e Mittermeier RA (2009). «The Diversity of the New World Primates (Platyrrhini): An Annotated Taxonomy». In: Garber PA, Estrada A, Bicca-Marques JC, Heymann EW, Strier KB (eds). South American Primates: Comparative Perspectives in the Study of Behavior, Ecology, and Conservation 3rd edition ed. Nova Iorque: Springer. pp. 23–54. ISBN 978-0-387-78704-6 
Ícone de esboço Este artigo sobre Macacos do Novo Mundo, integrado ao WikiProjeto Primatas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.