Museu Dom Diogo de Souza (Bagé)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Museu Dom Diogo de Souza
Tipo museu
Inauguração 1956 (61 anos)
Geografia
Coordenadas 54°6'_S_54_6_0_W 31° 18' S, 54°6'" S 54° 6' O{{#coordinates:}}: latitude inválida
Cidade Bagé
País Brasil

O Museu Dom Diogo de Souza é um museu sediado no município brasileiro de Bagé, estado do Rio Grande do Sul. Foi fundado em 20 de setembro de 1956, e funciona desde 22 de março de 1975 no prédio da Sociedade Portuguesa de Beneficência de Bagé,[1] na Rua Emílio Guilain, 759.[2]
Pertencente à Urcamp, o Museu tem um acervo com mais de 2.000 obras que retratam a história de Bagé e da região, como vestuário, objetos pessoais, artigos de casa (como luminárias e louças) e móveis. Conta ainda com duas hemerotecas (coleções de jornais) e duas fototecas (contendo 15.000 fotos históricas).[3]

História[editar | editar código-fonte]

Em 2 de maio de 1955, foi inaugurada a Exposição Histórica e Cultural de Bagé, na sede do Centro Social Católico, na Avenida General Osório, esquina com a Rua Profª Melanie Granier, para assinalar o bicentenário de nascimento de Dom Diogo de Souza, fundador de Bagé. A iniciativa foi do historiador Tarcísio Antônio Costa Taborda, que reuniu farto material cedido por diversas pessoas da comunidade.[1]
No encerramento da exposição, o Secretário de Educação e Cultura do Estado, Liberato Salzano Vieira da Cunha, anunciou a fundação do museu de Bagé e solicitava que o material exposto fosse doado para a formação do novo museu. Como vereador, Tarcísio apresentou um projeto no Legislativo, sugerindo que o município criasse o museu. Diante da impossibilidade manifestada pelo Executivo, Tarcísio formou uma comissão, composta por: Félix Contreiras Rodrigues, Eurico Sallis e Túlio Lopes, para assumir o encargo. E, assim, o material doado foi recolhido a uma sala do asilo Vila Vicentina, graças a compreensão do seu diretor, Áttila Taborda.[1]
Em 20 de setembro de 1956, o Museu Dom Diogo de Souza foi ali inaugurado, permanecendo naquele local até 22 de março de 1975, quando se transferiu para a atual sede da Sociedade Portuguesa de Beneficência, fruto do empenho de Tarcísio junto ao então prefeito de Bagé Antônio Pires. Posteriormente, foi celebrado convênio com a Fundação Áttila Taborda, que assumiu a manutenção do Museu.[1]

Referências

  1. a b c d Bagé - A nossa Rainha da Fronteira: Início do Museu Dom Diogo de Souza. Página visitada em 19 de novembro de 2011.
  2. Museus. Página visitada em 19 de novembro de 2011.
  3. BAGÉ RAINHA DA FRONTEIRA: MUSEU DOM DIOGO DE SOUZA. Página visitada em 19 de novembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um museu é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.