Museu Histórico e Artístico do Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Museu Histórico e Artístico do Maranhão
Tipo museu
Inauguração 1960 (59 anos)
Website oficial
Geografia
Localidade Solar Gomes de Sousa
Logradouro Rua do Sol, 302 – Centro | São Luis, Maranhã
Cidade São Luís
País Brasil

O Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHAM) é um museu público localizado na cidade de São Luís, no Solar Gomes de Souza, com a missão de zelar, incentivar e divulgar o patrimônio cultural do estado. [1]

Sede[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Solar Gomes de Sousa

Uma das principais atrações turísticas da cidade, o solar que abriga o museu foi construído em 1836, tendo pertencido inicialmente ao major Ignácio Gomes de Souza, um fazendeiro da região do vale do Itapecuru, e pai do intelectual maranhense e pioneiro na pesquisa matemática no Brasil Souzinha (Joaquim Gomes de Souza). Também foi moradia de Alexandre Colares Moreira (senador e vice-governador do Maranhão entre 1902-1904) e de José Francisco Jorge, grande industrial têxtil do Maranhão, que o vendeu ao governo do estado em 1968.[2][3]

Integram a estrutura do museu: um jardim, a galeria Floriano Peixoto (para exposições de curta exposição), pavimento térreo, pavimento superior (com exposições de longa duração e reconstituição de uma casa do século XIX), teatro Apolônia Pinto e um mirante.[3]

Acervo[editar | editar código-fonte]

O MHAM abriga o acervo erudito mais importante do estado. É composto por aproximadamente 10.000 mil peças, dentre elas: mobiliário maranhense da primeira metade do século XIX, o maior acervo de azulejaria de São Luís, porcelana, coleção numismática, vidros, cristais, pinturas, esculturas, gravuras, arte sacra católica, arte de origem africana e acervo documental, incluindo o original da obra de Aluízio de Azevedo, ”O Mulato”, além de uma relevante coleção bibliográfica.[4]

A exposição de longa duração também reconstitui uma “casa de época” na passagem do século XIX ao XX, ambientada de acordo com descrições dos costumes encontradas na literatura maranhense.[5]


Referências