Museu de Arte de Toledo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Museu de Arte de Toledo
Tipo museu de arte
Inauguração 1901 (116 anos)
Visitantes 340 000
Website oficial
Geografia
Coordenadas 41° 39' 29" N 83° 33' 34" O
Cidade Toledo
País Estados Unidos

O Museu de Arte de Toledo (em inglês: Toledo Museum of Art) é um museu localizado no bairro de Old West End, na cidade de Toledo, em Ohio, Estados Unidos.

O museu foi fundado pelo fabricante de vidros de Toledo, Edward Drummond Libbey em 1901,[1] e mudou-se para a sua atual localização, um edifício renascentista projetado por Edward B. Green e Harry W. Wachter, em 1912. O edifício foi ampliado por duas vezes nos anos 1920 e 1930.

Atualmente, a instituição é dirigida por Brian Kennedy, que atua desde 2010 como o nono diretor desde a inauguração.

Acervo[editar | editar código-fonte]

O museu contém grandes coleções de arte de vidro americana e europeia dos séculos XIX e XX, bem como as pequenas, mas distintas coleções renascentista, grega e romana e japonesa.

Importantes obras individuais incluem A coroação de Santa Catarina de Peter Paul Rubens, comprada por Albert Koppel em 1950; Adoração dos Magos, por Bartolomé Esteban Murillo, obras menores de Rembrandt e El Greco, obras de Willem de Kooning, Henry Moore, e Sol LeWitt.

Centro de Artes Visuais e Pavilhão de Vidro[editar | editar código-fonte]

Um centro de artes visuais, desenhado por Frank Gehry, foi adicionado na década de 1990. Ele inclui a biblioteca do museu, assim como um estúdio, escritório e uma sala de aula para o departamento de arte da Universidade de Toledo.

Em 2000, o escritório de arquitetura SANAA foi escolhido para criar um prédio novo que abrigasse a coleção de vidro do museu. A consultoria de design Front Inc. ficou responsável no auxílio dos arquitetos para desenvolver conceitos técnicos para os sistemas das paredes de vidro. O Pavilhão do Vidro foi inaugurado em 2006 com exaltação da crítica. Em crítica para o New York Times, Nicolai Ouroussoff escreveu: "composto com delicadeza requintada, o elegante labirinto de paredes de vidro curvadas representa o último monumento a evoluir, em uma cadeia que vai até o Hall dos Espelhos do Palácio de Versalhes"[2]. O pavilhão foi possibilitado através do maior levantamento de fundos da história do município de Toledo.

Eventos[editar | editar código-fonte]

O museu é responsável também pela organização de diversos tipos de eventos em suas dependências. Diariamente são feitos: tours pelo museu com guias explicativos; atividades no centro familiar; atividades interativas com o público ("hands-on activities"); e workshops de arte com vidro.

Existe também a programação semanal do museu. às quintas-feiras ocorre o TMA Thursday, evento que deixa abertas as portas de entrada para a instituição por mais tempo, criado para atrair o público de 24 a 45 anos.[3] Às sextas-feiras ocorre o It's Friday, que também estende o horário de funcionamento do museu, mas com atividades extras que variam dependendo da semana[4].

Por fim, o museu organiza também, de acordo com a demanda, eventos como degustações de vinho, atividades voluntariadas e shows de música erudita, que acontecem no Peristilo: um auditório de 1750 assentos inspirado na arquitetura grega arcaica que é sustentado por 28 colunas[5].

Referências

  1. «Toledo Museum - Welcome to TMA» (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2009 
  2. Ouroussoff, Nicolai (28 de agosto de 2006). «Glass Pavilion at the Toledo Museum of Art - Architecture - Review». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  3. optimized, yourongoogle updated and. «TMA Thursday». The Toledo Museum of Art (em inglês) 
  4. optimized, yourongoogle updated and. «It's Friday!». The Toledo Museum of Art (em inglês) 
  5. optimized, yourongoogle updated and. «Masters Series». The Toledo Museum of Art (em inglês) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um museu é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.