Museu do Centro Científico e Cultural de Macau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde agosto de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Museu do Centro Científico e Cultural de Macau
Inauguração 1995 (24 anos)
Diretor Luís Filipe Barreto
Website www.cccm.pt
Geografia
País Portugal Portugal
Cidade Lisboa
Localidade Rua da Junqueira 30

A partir de 1995, data da criação do Centro Científico e Cultural de Macau, foi constituído o acervo do Museu, em parte baseado na aquisição a um macaense de uma colecção de arte chinesa. O coleccionador António Sapage era possuidor de uma das mais completas colecções de terracotas e porcelanas chinesas, conhecidas. O essencial destas colecções é hoje património do Museu do Centro Científico e Cultural de Macau.

Museu simultaneamente de história e de arte reúne um acervo de cerca de quatro mil objectos, classificados em várias categorias, tais como: cerâmica, pintura, mobiliário, têxteis, documentos gráficos, numismática e ourivesaria.

A exposição permanente do Museu distribui-se por dois núcleos, A Condição Histórico-Cultural de Macau nos séculos XVI e XVII e Colecção de Arte Chinesa.[1]

Na primeira parte, que percorre a história de Macau, desenvolvem-se as seguintes secções: Portugal e China: Os Inícios do Encontro; A Cidade Portuária; Formas de Espiritualidade Chinesa; A Ordem das Transferências e Cristianismo e Cultura, as quais permitem compreender o essencial desta cidade fronteira. A presença de objectos, imagens, livros, mapas, modelos de navios, textos de apoio e o recurso às novas tecnologias possibilitam o conhecimento do universo de Macau e das relações luso-chinesas nos séculos XVI e XVII.

A Colecção de Arte Chinesa reúne objectos de grande diversidade agrupados do Neolítico aos nossos dias, numa ordem didáctica e temática, de modo a transmitir constantes e variáveis da expressão artística: terracotas, bronzes, grés, porcelanas, objectos para fumo de ópio, pintura China Trade, lacas, leques, pratas, marfins, têxteis e numismática. O destaque desta colecção vai para as porcelanas de exportação, que reflectem o intercâmbio artístico realizado entre o oriente e o ocidente.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Museu do Centro Cientifico e Cultural de Macau». Câmara Municipal de Lisboa. Consultado em 5 Agosto 2015