My December

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
My December
Álbum de estúdio de Kelly Clarkson
Lançamento 22 de junho de 2007 (2007-06-22)
Gravação 2006–07
Gênero(s) Pop rock
Duração 51:39
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD, download digital
Gravadora(s) RCA, 19 Recordings
Produção David Kahne, Jason Halbert, Jimmy Messer
Cronologia de Kelly Clarkson
Último
Breakaway
(2004)
All I Ever Wanted
(2009)
Próximo
Singles de My December
  1. "Never Again"
    Lançamento: 24 de abril de 2007 (2007-04-24)
  2. "Sober"
    Lançamento: 10 de julho de 2007 (2007-07-10)
  3. "One Minute"
    Lançamento: 22 de setembro de 2007 (2007-09-22)
  4. "Don't Waste Your Time"
    Lançamento: 16 de novembro de 2007 (2007-11-16)

My December é o terceiro álbum de estúdio da artista musical estadunidense Kelly Clarkson. O seu lançamento ocorreu no dia 22 de junho de 2007 através da RCA Records e 19 Recordings. O disco foi gravado ao longo de 2006 e 2007, e apresenta sonoridade provinda da mistura de elementos da música pop e do rock, este último com maior influência, principalmente quando comparado ao seu antecessor, Breakaway (2004); como ressaltado por parte dos críticos em suas resenhas. Todas as canções inclusas no álbum foram escritas pela própria Clarkson em parceria com outros compositores.

Desde o seu lançamento, My December vendeu cerca de 1 milhão de cópias nos EUA e foi certificado Platina.[1] Também foi certificado platina em outros países, incluindo o Canadá e a Austrália.[2] O álbum foi eleito o quinto melhor álbum de 2007 pelos leitores da revista Billboard.[3] Apareceu na posição #53 nas paradas australianas de fim de ano.[4]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Por meio do lançamento de seu segundo álbum de inéditas em 2004, Breakaway, Clarkson rompeu com a imagem adquirida durante a sua participação no programa American Idol em sua fase inaugural, na qual saiu como vencedora e, por consequência, assinou um contrato com a gravadora RCA.[5] Breakaway demonstrou o controle mais criativo de Clarkson, que desenvolveu-o com base no pop rock — um som oposto do antecessor Thankful (2003), predominantemente R&B — e co-escreveu seis das faixas do seu alinhamento.[6] O disco foi aclamado pela crítica e, em conjunto com seus singles, tornou-se um sucesso comercial, o maior da cantora até então; estabelecendo-se em tabelas de todo mundo e elevando a intérprete a conhecimento internacional.[7][8][9] Todo esse impacto fez com que a cantora realizasse uma longa turnê em escala mundial, a Breakaway World Tour, que consistiu em três miniturnês entre 2005 a 2006. Como resultado desse período, Clarkson declarou em entrevista:

"Tudo me pegou de uma maneira ruim. Meu corpo estava cansado, e minhas emoções estavam desgastadas. Eu estava tentando esquecer alguém. Eu não tinha visto meus amigos e família por um tempo, e estava se tornando um incômodo [vê-los], porque eu estava tão ocupada. Eu estava viajando, e então houve mais adições a agenda. Tornou-se caótico. Eu tinha 24 [anos], o que é muito jovem para ser o chefe de tanta coisa. E isso me derrubou. Eu não podia sorrir. Não podia fazer nada. Eu me esgotei. Eu chorei tanto que não conseguia falar. Eu estava tão cansada. Eu fui drenada. Não queria agir, não queria sorrir – eu não queria fingir. Apenas me esgotei. ... Foi o ponto mais baixo da minha vida e minha carreira."[10]

Ao decorrer da turnê de divulgação de Breakaway, a cantora escreveu canções que acabariam por ser inclusas no seu sucessor, descrevendo seu processo de composição como uma "terapia" gratuita.[11] Uma das canções escritas nesse tempo foi "Irvine", que conta a história de quando ela estava num show na cidade de mesmo nome, localizada na Califórnia. Para a intérprete, esta canção foi o "ponto mais baixo" de sua vida: "Eu a escrevi após meu show em Irvine na minha última turnê. Eu estava tão esgotada. Estava realmente lutando no sentido de conseguir alguém fora da minha vida e encontrar as pessoas que realmente se importava. A música inteira é uma oração. Eu a escrevi no banheiro do local após o show. Eu não podia sorrir. Foi apenas uma noite muito, muito ruim". Os discos do U2, Jagged Little Pill, de Alanis Morissette, e Tragic Kingdom, do No Doubt, refletiam para Kelly uma "história do começo ao fim" e serviram-lhe de inspiração para compor "Irvine", ao qual acabou por ser adicionada ao projeto.[12][13]

Conflitos com a gravadora[editar | editar código-fonte]

A gravadora de Kelly, RCA, não teria gostado das músicas compostas por ela e dito que não havia hits no CD. O presidente da RCA, Clive Davis, pediu que Clarkson mudasse algumas músicas do CD. Kelly disse que não mudaria nenhuma delas, o que teria causado divergências entre a gravadora. Isso justificaria a demora entre a especulação do lançamento do CD (abril de 2007) para a data real de seu lançamento (26 de junho de 2007).

Algumas fontes dizem que Kelly teria recebido uma proposta de Clive Davis, o "chefão" da RCA para mudar 5 músicas do seu CD por músicas mais "radiofônicas" e, para isso, ela receberia a quantia de 5 milhões de dólares. Kelly não aceitou a proposta de Clive e o CD ficou com essas músicas mesmo. Não se sabe ao certo quais músicas seriam essas, pois não foi divulgado na imprensa.

Segundo Clarkson, o CD tem todas as músicas de sua autoria por que a gravadora apenas lhe mandava coisas que não lhe interresavam, chegando, inclusive, a enviar uma música que foi uma regravação feita por Lindsay Lohan de uma outra artista. Então, ela disse: "Você não quer que eu escreva meu álbum, mas você só está me mandando materiais baratos!". Então, ela se decidiu por escrever as outras músicas do CD com pessoas que ela diz que escrevem bem.

Existia também na época do lançamento o boato de que Clive Davis, que é a pessoa que mais movimenta dinheiro na RCA, poderia cortar a divulgação do CD, mas segundo a lei, ele era obrigado a investir um alto dinheiro no CD, afinal, caso contrário, ele estaria causando problemas para ele, pois estaria quebrando regras de SEC e leis federais.

Há também boatos de que, por conta da resistência de Kelly para mudar o My December, ela teria sofrido agressões verbais e xingamentos da parte de Clive.[14][15]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic (64/100) link
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
About.com 4.5 de 5 estrelas. link
Allmusic 3 de 5 estrelas. link
Entertainment Weekly (B+) link
The Guardian 3 de 5 estrelas. link
IGN 7.5 de 10 estrelas. link
Rolling Stone 3 de 5 estrelas. link
Slant Magazine 3.5 de 5 estrelas. link
Spin 7 de 10 estrelas. link
Sputnikmusic 1.5 de 5 estrelas. link
Stylus Magazine (B) link

O primeiro single, "Never Again", foi lançado no dia 13 de abril nos EUA, e apesar de ter estreado no top10 da Hot 100, graças as fortes vendas digitais, a canção não conseguiu airplay suficiente e foi retirada de varias estações de radio algumas semanas depois de seu lançamento. De qualquer forma, o álbum estreou com sucesso nas paradas americana, contrariando os especialistas que afirmavam que tanta controvérsia poderia prejudicar as vendas do novo álbum. M. Tye Canto do AOL já havia opinado que a polemica envolvendo Clarkson e sua gravadora poderia "afetar seriamente as vendas em sua primeira semana."[16]

Apesar toda controvérsia, My December foi recebido com críticas bastante positivas.[17] O álbum teve um total de 64/100 no Metacritic,[18] indicando críticas positivas. A avaliação da Slant Magazine foi em sua maior parte positivo. Um trecho da critica, em resposta ao desempenho decepcionante de "Never Again", lê-se: "Mas quem se preocupa com hits, quando as músicas são tão boas?"[19]

AllMusic, no entanto, deu uma revisão mais morna, dizendo que "é o que Kelly queria fazer, então nesse nível é um sucesso, onde ouvintes que compartilham seu ponto de vista (e muito provavelmente de sua idade) vão corresponder, mas para todo o resto, My December é uma decepção. "Comentando sobre a rixa entre Clarkson e sua gravadora, eles também afirmam, "My December prova que ambos os lados estavam corretos: Davis estava certo ao afirmar não ter hits no disco, mas também é verdade que este é um movimento artístico que Clarkson necessitava fazer."[20] A Rolling Stone deu ao álbum uma critica igualmente morna, terminou o texto dizendo que "My December" é um disco que acerta em alguns pontos e irrita em outros."[21]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

My December, em sua estréia, não só foi um dos álbuns mais vendidos da semana, como vendeu mais que o álbum anterior de Clarkson, Breakaway (que atingiu a posição #3).[22] O álbum estreou em #2 nos Estados Unidos com vendas de 291 mil cópias, 6 mil cópias a menos do que vendeu Thankful, seu álbum de estreia. My December ficou atras de Hannah Montana 2: Meet Miley Cyrus, que vendeu cerca de 326.000 cópias naquela semana.[23]

O álbum estreou também em #2 no Reino Unido, vendendo mais de 40 mil cópias, acabou caindo para #9 em sua segunda semana, e posteriormente, em #20 na sua terceira semana.[24]

O álbum foi certificado como disco de platina nos Estados Unidos pela RIAA no dia 12 de Dezembro de 2007.[25] My December, chegou a ##66 nas paradas de fim de ano em 2007,[26] enquanto Clarkson foi o sexagésimo terceiro artista que mais havia vendido naquele ano.[27]

O álbum estreou em #4 no ARIA Charts Australiano, caindo do Top20 em cinco semanas. Ele saiu das paradas depois de dezoito semanas.[28]

Singles[editar | editar código-fonte]

"Never Again"[editar | editar código-fonte]

"Never Again" foi o primeiro single de My December no mundo inteiro. Clarkson confirmou o lançamento em seu site oficial no dia 04 abril de 2007[29] e estreou a canção 102.7 KIIS-FM em Los Angeles, no programa de rádio "On-Air with Ryan Seacrest" no dia 13 de Abril de 2007. A canção foi lançada no iTunes no dia 20 de abril de 2007. A canção estreou em #8 Hot 100, mas ao contrário de seus singles anteriores, encontrou resistência por parte das rádio. Apesar de sua má recepção nas rádio americanas, a música registrou um número impressionante de mais de 990 mil downloads digitais.[30] Em maio de 2010, a canção já havia vendido mais de um milhão de downloads digitais no pais.

"Sober"[editar | editar código-fonte]

Clarkson confirmou "Sober", como o segundo single do My December em seu site oficial. A canção foi lançada oficialmente em 6 de junho de 2007. Os especialistas da indústria afirmam que "Sober" foi um single crucial para Clarkson, e assim como o primeiro single, "Never Again", traçou um caminho forte nos downloads digitais, e afundou nas rádios americanas, especialmente quando comparado com o sucesso de rádio de todos os cinco singles de seu álbum anterior, Breakaway. "Never Again" tinha sido decrescente em rádios depois de não conseguir quebrar o top 20 no formato Pop, e, portanto, foi uma das razões pela qual "Sober" foi lançado logo depois de "Never Again" (pouco mais de cinco semanas mais tarde, e três semanas antes do lançamento do álbum). Após o fracasso da canção (single menos sucedido de Clarkson nos EUA até hoje), as vendas do álbum My December cessaram no pais, e consequentemente, mais nenhum single do CD foi lançado nos EUA. A canção não ganhou um videoclipe.

"One Minute"[editar | editar código-fonte]

"One Minute" começou a ganhar airplay na Austrália, isso fez que com que a gravadora RCA liberasse a canção oficialmente como o segundo single no pais. Um CD-single foi lançado em 22 de setembro de 2007,[31] no entanto, não conseguiu fazer o sucesso esperado nas paradas musicais, estreando em #36 antes de sair rapidamente dos charts.

"Don't Waste Your Time"[editar | editar código-fonte]

Don't Waste Your Time foi lançado como o terceiro e último single. Foi lançado em vários países europeus via iTunes em novembro de 2007. A canção foi lançada como um CD single na Alemanha em Dezembro de 2007. Foi lançado na Austrália em fevereiro de 2008. O vídeo da música combina imagens reais e computação gráfica.

Alinhamento de faixas[editar | editar código-fonte]

Edição Padrão
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Never Again"  
  • David Kahne
  • Jason Halbert
  • Messer
3:37
2. "One Minute"  
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:05
3. "Hole"  
  • Clarkson
  • Messer
  • Dwight Baker
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:02
4. "Sober"  
  • Clarkson
  • Messer
  • Aben Eubanks
  • Calamity McEntire
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
4:52
5. "Don't Waste Your Time"  
  • Clarkson
  • Messer
  • Malcolm Pardon
  • Fredrik Rinman
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:36
6. "Judas"  
  • Clarkson
  • Messer
  • Baker
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:37
7. "Haunted"  
  • Clarkson
  • Halbert
  • Messer
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:19
8. "Be Still"  
  • Clarkson
  • Eubanks
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:25
9. "Maybe"  
  • Clarkson
  • Eubanks
  • Messer
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
4:23
10. "How I Fell"  
  • Clarkson
  • Messer
  • Baker
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:41
11. "Yeah"  
  • Clarkson
  • Messer
  • Pardon
  • Rinman
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
2:43
12. "Can I Have a Kiss"  
  • Clarkson
  • Messer
  • Baker
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
3:32
13. "Irvine (incluí hidden track "Chivas")"  
  • Clarkson
  • Eubanks
  • Kahne
  • Halbert
  • Messer
8:47
Duração total:
51:39

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Parada Posição Certificação Vendas
Austrália[32] 4 Ouro 60,000
Áustria[33] 8 - -
Brasil - - 30,000
Croácia 43 - -
Canadá[34] 2 2× Platina 215,000
Alemanha 5 Ouro 60,000
Irlanda[35] 4 - -
Noruega 7 - -
Nova Zelândia 8 Ouro 7,500
Suíça[36] 5 - -
Taiwan[37] 9 Ouro 35,000
Reino Unido[38] 2 Ouro 200,000
Estados Unidos [39][40] 2 Platina 832,000
Mundo - - 1,600,000


Referências

  1. «RIAA Certifications» (em inglês). RIAA. Consultado em 11 de janeiro de 2016. 
  2. «Certifications» (em inglês). Billboard. Consultado em 11 de janeiro de 2016. 
  3. «2007:Year in Music» (em inglês). Billboard. Consultado em 11 de janeiro de 2016. 
  4. «ARIA CHarts – End of Year Charts – Top 100 Albums 2006» (em inglês). ARIA. Consultado em 11 de janeiro de 2016. 
  5. Neal, Rome (16 de agosto de 2004). «Kelly Clarkson: Breakaway» (em inglês). CBS News. CBS Corporation. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  6. Tyrangiel, Josn (5 de fevereiro de 2006). «Miss Independent» (em inglês). Time. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  7. «Clarkson Won't Let 'Idol' Use Her Songs» (em inglês). Billboard. Prometheus Global Media. 18 de janeiro de 2008. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  8. Sanneh, Kelefa (3 de novembro de 2004). «As an Idol Deserts, Reality Pop Plays On» (em inglês). The New York Times. The New York Times Company. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  9. Taffo, Livia Orsini (23 de julho de 2007). «Kelly Clarkson: My December». Território da Música. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  10. «Kelly Clarkson: Drinking Just Adds Calories!» (em inglês). Just Jared. 6 de julho de 2007. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  11. «Kelly Clarkson: novo CD e turnê pelo Brasil». Capricho. 24 de julho de 2013. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  12. «Clarkson Writes About Worst Night In A Toilet» (em inglês). Contactmusic.com. 21 de maio de 2007. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  13. Wener, Ben (21 de maio de 2007). «Kelly Clarkson's Irvine connection» (em inglês). The Orange County Register & Digital First Media. Consultado em 7 de dezembro de 2016. 
  14. Revista Época, no artigo "O declínio da Idol"
  15. http://www.kclarkson.com.br
  16. Nekesa Mumbi Moody. «"Drama Accompanies New Clarkson Album"» (em inglês). Associated Press (The Washington Post). Consultado em 18 de janeiro de 2016. 
  17. Nekesa Mumbi Moody. «"Drama Accompanies New Clarkson Album"» (em inglês). Associated Press (The Washington Post). Consultado em 18 de janeiro de 2016. 
  18. «"Critic Reviews for My December - Metacritic"» (em inglês). Metacritic. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  19. Sal Cinquemani (13 de junho de 2007). «"Kelly Clarkson: My December - Album Review - Slant Magazine"» (em inglês). Slant Magazine. Consultado em 18 de janeiro de 2016. 
  20. «My December» (em inglês). AllMusic. Consultado em 18 de janeiro de 2016. 
  21. «"Kelly Clarkson My December Album Review"» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  22. «Clarkson's Journal Entry for July 3, 2007» (em inglês). 
  23. «"Cyrus Sidesteps Clarkson To Debut At No1"» (em inglês). Billboard. 4 de julho de 2007. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  24. «BBB Radio Top40» (em inglês). 
  25. «RIAA Certifications» (em inglês). RIAA. Consultado em 11 de janeiro de 2016. 
  26. «Billboard Charts - Year-end Albums - The Billboard 200» (em inglês). Billboard. 
  27. «Billboard Charts - Year-end Top Artists - The Billboard 200 Artists» (em inglês). Billboard. 
  28. «Australian ARIA Chart» (em inglês). Australian charts. 
  29. «Listen to "Never Again" Here.» (em inglês). kellyclarkson.com. 
  30. «"Kelly Clarkson Apologizes to Clive Davis".» (em inglês). FOXNews.com. 
  31. «New Single - Clarkson» (em inglês). 
  32. «ARIA CHarts» (em inglês). ARIA. Consultado em 11 de janeiro de 2016. 
  33. «Austrian Albums Chart» (em inglês). Austrian Albums Chart. Consultado em 14 de janeiro de 2016. 
  34. «"Canadian album certifications – Kelly Clarkson – My December"» (em inglês). Music Canada. Consultado em 14 de janeiro de 2016. 
  35. «"Irish album certifications – Kelly Clarkson – My December"» (em inglês). IRMA. Consultado em 14 de janeiro de 2016. 
  36. http://swisscharts.com/showitem.asp?interpret=Kelly+Clarkson&titel=Never+Again&cat=s
  37. http://www.g-music.com.tw/GMusicBillboard2.aspx
  38. http://www.bbc.co.uk/radio1/chart/albums.shtml
  39. http://www.hitsdailydouble.com/sales/salescht.cgi
  40. http://www.billboard.com/bbcom/news/article_display.jsp?vnu_content_id=1003607217
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Kelly Clarkson é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.