Mycobacterium bovis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaMycobacterium bovis
Mycobacterium bovis.

Mycobacterium bovis.
Classificação científica
Reino: Bacteria
Filo: Actinobacteria
Classe: Actinobacteria
Ordem: Actinomycetales
Família: Mycobacteriaceae
Género: Mycobacterium
Espécie: M. bovis
Nome binomial
Mycobacterium bovis
Karlson & Lessel 1970, ATCC 19210

Mycobacterium bovis é uma bactéria responsável pela transmissão da tuberculose entre bovinos e em menor grau a outros mamiferos inclusive ao homem. A bactéria M. bovis causa os mesmos sintomas de uma tuberculose causada pela bactéria M. tuberculosis, causando enfermidade crônica pulmonar e demais sintomas, sendo comum por esta bactéria a infecção de outros orgãos como a tuberculose intestinal e outros orgãos sujeitos a infecção deste micro-organismo.[1]

Se diferencia do M. tuberculosis clássico por menor ser nitratase negativo, resistente a pirazinamida, preferir menos oxigênio e sensível a TCH. [2]

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Estima-se que responde por 1 a 2% dos casos de tuberculose humana em países desenvolvidos, como Holanda e Nova Zelândia. Dentre os infectados a mortalidade é de 5,2%, mais de duas vezes mais mortal que o TBC clássico com 2% de mortalidade. [3]

Transmissão[editar | editar código-fonte]

O contágio se dá por contato com qualquer secreções e líquidos, sendo a ingestão de laticínios contaminados e não fervidos a principal forma de transmissão do M. bovis. Era uma doença muito comum antes da invenção da pasteurização. Atualmente são raros os casos de contaminação por M. bovis em países no qual quase todo o leite é pasteurizado, mas diversos queijos ainda são feitos apenas com leite não pasteurizado e podem ser fontes de contágio. Também pode ser transmitido por contato direto com secreções humano-bovino e humano-humano, mas essas formas de transmissão são menos comuns. [4]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

É resistente a pirazinamida, então o tratamento-padrão para casos sintomáticos é isoniazida e rifampicina por 9 meses e etambutol por 2 meses. Bovinos infectados são abatidos, higienizados e disponibilizados para o consumo humano.[5]

Origem[editar | editar código-fonte]

Acreditava-se que a origem da contaminação de tuberculose em seres humanos se dava pelo bovino, sendo este o elo de ligação entre o vetor e o ser humano. Com o homem se tornando cada vez menos nômade e com a criação de animais, acreditava-se que a bactéria M. bovis ao longo do contato com o ser humano tivesse se mutado e dando origem a espécie M. tuberculosis. Porém com o estudo da mapeação genética do DNA destes seres foi possível constatar outra história para a origem dessa bactéria.[6]

Um importante fator de descoberta vem de corpos mumificados (principalmente pelas mumificações egípcias), a partir das práticas e métodos de preservação dos cadáveres foi preservado também possveis causadores da morte daquele indivíduo mumificado, no auge do Egito Antigo, a tuberculose era uma doença epidemica e comum a época. [6]

Com o mapeamento genético dessas antigas bactérias causadoras da tuberculose, nenhuma múmia egípcia apresentou M. bovis e sim uma sequência da M. tuberculosis. Sendo assim, a tuberculose não teria sua origem dos bovinos. O M. bovis seria então o resultado de mutações da M. tuberculosis, e então uma nova espécie que contaminará os bovinos, o que indica que a partir do contato e convívio com o homem, levou os bovinos a contrair a tuberculose.[6]

Referências

  1. Grange, John M.; Malcolm D. Yates and Isabel N. de Kantor. (1996). "Guidelines for speciation within the Mycobacterium tuberculosis complex. Second edition" (PDF). World Health Organization.
  2. http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/65508/1/WHO_EMC_ZOO_96.4.pdf
  3. Mignard S, Pichat C, Carret G. Mycobacterium bovis infection, Lyon, France. Emerg Infect Dis. 2006;12:1431–3. PubMed
  4. Griffith AS and Munro WT (1944). "Human pulmonary tuberculosis of bovine origin in Great Britain". J Hyg 43 (4): 229–40. doi:10.1017/S0022172400012894.
  5. O'Reilly LM, Daborn CJ. (August 1995). "The epidemiology of Mycobacterium bovis infections in animals and man: a review". Tuber Lung Dis. 76 (Suppl 1): 1–46. doi:10.1016/0962-8479(95)90591-X. PMID 7579326.
  6. a b c Ujvari S. Cunha, "A história da humanidade contada pelos vírus", 31:40, 2009.