Myxozoa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMyxozoa
Myxobolus cerebralis
Myxobolus cerebralis
Classificação científica
Domínio: Eukariota
Reino: Animalia
Sub-reino: Eumetazoa
Filo: Cnidaria
Subfilo: Endocnidozoa
Classe: Myxozoa
Grassé, 1970
Subclasses
Malacosporea

Myxosporea

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Myxozoa

Myxozoa é uma classe de Cnidaria[1] que engloba uma grande diversidade de endoparasitos, chamados de mixozoários, que ocorrem em habitats marinhos e de água doce. Com a revelação dos primeiros ciclos de vida completos, [2][3] esquemas de classificação antigos, com base na morfologia dos esporos, actinosporianos e mixosporianos, tiveram que ser revisados. Em vez de representarem diferentes táxons, eles eram diferentes estágios do mesmo ciclo de vida: actinosporos são os esporos liberados pelo hospedeiro invertebrado definitivo e mixosporos do hospedeiro vertebrado intermediário.[4] O aumento da amostragem de táxons para dados moleculares em combinação com dados morfológicos e ontogenéticos levaram a reclassificação desses parasitos de protozoários para metazoários, evidências ultra-estruturais de características conhecidas dos metazoários, como diferenciação celular terminal, septo intercelular e junções desmossomais, comunicação citoplasmática intercelular e colágeno reticulado foram observadas. Foi ainda demonstrada uma grande similaridade filogenética com as narcomedusas dentro do filo Cnidaria. E, micrografias eletrônicas com referência cruzada demonstraram homologia da ontogenia das cápsulas polares mixosporeanas com os cnidoblastos atrichio isorhiza dos medusozoários.[5] Entre as cerca de 2400 espécies atualmente conhecidas, algumas são capazes de causar doenças economicamente importantes, prejudicando peixes selvagens e de criatórios.[6] Estes parasitos são agrupados em dois grandes clados (considerados como classes): o primitivo Malacosporea (Canning, Curry, Feist, Longshaw & Okamura, 2000) onde estão os malacosporídeos e o Myxosporea (Bütschli, 1881) onde estão os mixosporídeos.[7]

Ciclo de Vida[editar | editar código-fonte]

-Ciclo de vida genérico de um mixozoário-

Os mixozoários são animais endoparasitários que exibem ciclos de vida complexos que, na maioria dos casos conhecidos, envolvem dois hospedeiros: um vertebrado como hospedeiro intermediário, geralmente peixes, mas também, raramente, anfíbios, aves ou mamíferos; e um invertebrado, principalmente ectoproctas de água doce e anelídeos, como hospedeiro definitivo. Cerca de 100 ciclos de vida foram completamente resolvidos. Suspeita-se que existam alguns ciclos de vida exclusivamente terrestres. A transmissão entre os dois hospedeiros (intermediário e definitivo) é realizada por esporos microscópicos. Os esporos podem ter diversos formatos, porém a morfologia principal é uniforme: um ou dois esporoplasmas, constituindo o agente infeccioso real, envoltos por uma camada de células atenuadas denominadas células valvares, que podem secretar revestimentos protetores da superfície e formar elaborados apêndices de flutuação.[4]


Taxonomia[editar | editar código-fonte]

A taxonomia dos mixozoários enfrentou mudanças importantes nos níveis genérico, familiar e subordens, na última década, recebendo uma nova classificação (ainda não oficial) no filo Cnidaria, com uma revisão do sistema taxonômico baseado em esporos até o nível de gênero:[8]

Filo: Cnidaria
Subfilo: Myxozoa (não classificado)
Classe: Malacosporea Classe: Myxosporea (continuação)
Ordem: Malacovalvulida Ordem: Bivalvulida
Família: Saccosporidae Família: Myxobilatidae
Gênero: Buddenbrockia, Tetracapsuloides Gênero: Myxobilatus, Acauda, Hoferellus
Classe: Myxosporea Família: Chloromyxidae
Ordem: Bivalvulida Gênero: Chloromyxum, Caudomyxum, Agarella
SubOrdem: Variisporina Família: Coccomyxidae
Família: Sphaeromyxidae Gênero: Coccomyxa, Auerbachia, Globospora
Gênero: Sphaeromyxa Família: Alatosporidae
Família: Myxidiidae Gênero: Alatospora, Pseudalatospora, Renispora
Gênero: Myxidium, Zschokkella, Enteromyxum, Sigmomyxa, Soricimyxum, Cystodiscus Família: Parvicapsulidae
Família: Ortholineidae Gênero: Parvicapsula, Neoparvicapsula, Gadimyxa
Gênero: Ortholinea, Neomyxobolus, Cardimyxobolus, Triangula, Kentmoseria SubOrdem: Platysporina
Família: Sinuolineidae Família: Myxobolidae
Gênero: Sinuolinea, Myxodavisia, Myxoproteus, Bipteria, Paramyxoproteus, Neobipteria, Schulmania, Noblea, Latyspora Gênero: Myxobolus, Spirosuturia, Unicauda, Dicauda, Phlogospora, Laterocaudata, Henneguya, Hennegoides, Tetrauronema, Thelohanellus, Neothelohanellus, Neohenneguya, Trigonosporus
Família: Fabesporidae Ordem: Multivalvulida
Gênero: Fabespora Família: Trilosporidae
Família: Ceratomyxidae Gênero: Trilospora, Unicapsula
Gênero: Ceratomyxa, Meglitschia, Ellipsomyxa, Ceratonova Família: Kudoidae
Família: Sphaerosporidae Gênero: Kudoa
Gênero: Sphaerospora, Wardia, Palliatus Família: Spinavaculidae
Gênero: Octospina
*Incertae sedis em Multivalvulida: Trilosporoides


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Schuster, Ruth (20 de novembro de 2015). «Microscopic parasitic jellyfish defy everything we know, astonish scientists». Haaretz. Consultado em 4 de abril de 2018 
  2. Markiw, Maria E. & Wolf, K. (1983). «Myxosoma cerebralis (Myxozoa: Myxosporea) Etiologic Agent of Salmonid Whirling Disease Requires Tubificid Worm (Annelida: Oligochaeta) in its Life Cycle».  The Journal of Protozoology. 30 (3): 561-564. doi:10.1111/j.1550-7408.1983.tb01422.x 
  3. Wolf, K. & Markiw, Maria E. (1984). «Biology contravenes taxonomy in the myxozoa: new discoveries show alternation of invertebrate and vertebrate hosts».  Science. 225 (4669): 1449-1452. doi:10.1126/science.225.4669.1449 
  4. a b Gruhl, Alexander (2015). «7 - Myxozoa». In: Wanninger, Andreas. Evolutionary developmental biology of invertebrates 1: Introduction, non-bilateria, acoelomorpha, xenoturbellida, chaetognatha (em inglês). 1. [S.l.]: Springer Verlag Wien. p. 165-177. 251 páginas. ISBN 978-3-7091-1861-0. doi:10.1007/978-3-7091-1862-7_7 
  5. Foox, J. & Siddall, M.E. (2015). «The Road To Cnidaria: History of Phylogeny of the Myxozoa».  Journal of Parasitology. 101 (3): 269-274. doi:10.1645/14-671.1 
  6. Feist, S.W.; Longshaw, M. (2006). «Phylum Myxozoa». In: Patrick T. K. Woo. Protozoan and Metazoan Infections, Volume 1: Fish Diseases and Disorders (em inglês). 1 2nd ed. UK: CAB International. p. 230-296. 800 páginas. ISBN 978-0851988238. doi:10.1079/9780851990156.0230 
  7. Bartošová-Sojková, P.; et al. (2014). «Hidden diversity and evolutionary trends in malacosporean parasites (Cnidaria: Myxozoa) identified using molecular phylogenetics».  International Journal for Parasitology. 44 (8): 565-577. doi:10.1016/j.ijpara.2014.04.005 
  8. Fiala, Ivan; Bartošová-Sojková, Pavla; Whipps, Christopher M. (2015). «Classification and Phylogenetics of Myxozoa». In: Beth Okamura, Alexander Gruhl and Jerri L. Bartholomew. Myxozoan Evolution, Ecology and Development (em inglês). [S.l.]: Springer International Publishing. p. 85-110. 455 páginas. ISBN 978-3-319-14752-9. doi:10.1007/978-3-319-14753-6_5