Nádia Lippi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Nádia Lippi
Nome completo Nádia Barbosa Lippi Lopes
Nascimento 12 de março de 1956 (63 anos)
São Paulo, SP
Ocupação
IMDb: (inglês)

Nádia Barbosa Lippi Lopes (São Paulo, 12 de março de 1956[1]) é uma produtora teatral e ex-atriz brasileira.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nádia Lippi começou a carreira ainda criança, em 1968, na telenovela A Pequena Órfã, de Teixeira Filho, na TV Excelsior. Em poucos anos, tornou-se uma das estrelas das telenovelas da extinta TV Tupi. Em 1972 ganhou o prêmio Helena Silveira como revelação na televisão.[2] Ainda antes da cassação das concessões da Rede Tupi, Nádia Lippi foi contratada pela Rede Globo, estreando em Pecado rasgado, em (1978). Em 1980 estrelou, ao lado de Glória Pires e Maitê Proença, a telenovela As Três Marias. Ainda nos anos 1970, Nádia Lippi atuou com frequência no cinema, principalmente em pornochanchadas, onde estreou, em 1973, no filme A Virgem. Nesse setor, seu filme mais famoso é A Árvore dos Sexos, de 1977, dirigida por Sílvio de Abreu, e onde ela teve o papel principal. Nesse filme ela trabalhou com o ator Ney Santanna, filho do diretor de cinema Nelson Pereira dos Santos, com quem viria a se casar e depois se divorciar.

Posteriormente, Nádia participou de dois filmes dirigidos por seu sogro, Nelson Pereira dos Santos: Na Estrada da Vida, de 1980, contracenando com a dupla sertaneja Milionário & José Rico, e Insônia, também no mesmo ano. Nos anos 1980, Nádia participou de dois filmes de Os Trapalhões. Em 1990, após a telenovela O Salvador da Pátria, abdicou da carreira como atriz ao se casar com o economista Marco Polo de Mello Lopes e ter seu segundo filho, Rodrigo, passando a se dedicar a produzir peças teatrais a partir de então. Apenas em 1998, após recusar diversos papeis, aceitou o convite para um dos papeis centrais da telenovela Brida, da Rede Manchete. Em 2005 a pedido do diretor Alexandre Avancini, seu amigo pessoal, fez uma participação especial na telenovela Prova de Amor, da RecordTV.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Ela é mãe de Rodrigo Lippi e Thalita Lippi, que participou do BBB8.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Nota
1968 A Pequena Órfã Amiga de Toquinho
1969 A Menina do Veleiro Azul Lila
1970 Tilim Cristina
As Pupilas do Senhor Reitor Margarida (jovem)
1972 O Príncipe e o Mendigo Jane Grey
A Revolta dos Anjos Silvana
Signo da Esperança Norma
1973 Rosa dos Ventos Teca
1974 A Barba-Azul Babi
Os Trapalhões
1975 Um Dia, o Amor Maria Isabel
O Sheik de Ipanema Marilyn
Teleteatro Antunes Filho Hortência Episódio: "Somos Todos do Jardim da Infância"
1976 Tchan! A Grande Sacada Bia
1978 Pecado Rasgado Cris
1979 Pai Herói Aline
Aplauso Episódio: "Angélica"
1980 As Três Marias Maria Augusta (Guta)
Chega Mais Vilma
Plantão de Polícia Episódio: "O Homem que Veio do Brás"
Geração 80 Apresentadora
1981 Globo de Ouro Apresentadora
Brilhante Vânia
1982 Caso Verdade Virgínia Episódio: "Casa, Comida e Carinho"
Sítio do Picapau Amarelo Episódio: "A Canastra da Emília"
1985 Caso Verdade Paula Ortega Episódio "Ano Novo, Vida Nova"
1989 O Salvador da Pátria Helena
1990 Fronteiras do Desconhecido Isadora Episódio: "Maria do Cais"
1996 Você Decide Mônica Assunção da Cunha 1996-1997
2 episódios
1998 Brida Leonor Amorim
2005 Prova de Amor Cacilda Lopo

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel
2016 Nocebo Mãe [3]
1988 O Casamento dos Trapalhões Joana
1983 O Trapalhão na Arca de Noé Carla
1982 Insônia Garota
1981 Na Estrada da Vida Madalena
1977 A Árvore dos Sexos Angélica
O Mulherengo Anjo
1976 Ninguém Segura Essas Mulheres Dalva
A Noite das Fêmeas Raquel
Já Não Se Faz Amor como Antigamente Betina
1975 Efigênia Dá Tudo Que Tem Dulce
1973 A Virgem Lenita

Referências

  1. «Nádia Lippi - AdoroCinema». AdoroCinema. Consultado em 14 de Dezembro de 2016 
  2. Fora da TV, atriz Nadia Lippi diz que meio artístico é "muito injusto" Portal BOL - acesso 14 de dezembro de 2016
  3. «Nocebo». Looke. Consultado em 22 de março de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]