NETV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde novembro de 2014)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
NETV
logotipo do telejornal
Informação geral
Formato Telejornal
Gênero Jornalismo
Duração 1ª edição: 50 minutos (25 minutos aos sábados)
2ª edição: 25 minutos
País de origem  Brasil
Idioma original (português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Jô Mazarollo (local)
Ali Kamel e Silvia Faria (Central Globo de Jornalismo)
Editor(es) 1ª edição:
Fabiana Siqueira
Roberto Beltrão
Letícia Garcia
Giselli Teixeira
Marcio Bonfim (apresentador)
Clarissa Góes (apresentadora)
2ª edição:
Ítalo Rocha
Wanessa Andrade (apresentadora)
Câmera Multicâmera
Apresentador(es) 1ª edição:
Clarissa Góes (2008–)
Márcio Bonfim (2008–)
2ª edição:
Wanessa Andrade (2014–)
Elenco George Guilherme
Georgia Kyrillos
Tema de abertura Instrumental
Empresa(s) de produção Globo Nordeste
Exibição
Emissora de televisão original Brasil TV Globo Nordeste (Rede Globo)
Formato de exibição 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Transmissão original 3 de janeiro de 1983 - presente
Cronologia
Último
Jornal das Sete (1983)
Hoje (1983)
Próximo
Programas relacionados Bom Dia Pernambuco
Praça TV (formato)

NETV [1] é um telejornal brasileiro produzido e exibido pela TV Globo Nordeste para a Região Metropolitana do Recife, nos horários destinados pela Rede Globo à transmissão de conteúdo jornalismo local de suas afiliadas e emissoras próprias (intitulado como Praça TV). Estreou em 3 de janeiro de 1983, juntamente com os telejornais locais das outras emissoras da Rede Globo, sob o comando de Hugo Esteves e Maria Anunciada, e atualmente é ancorado por Clarissa Góes e Márcio Bonfim, na primeira edição, e Wanessa Andrade, na segunda edição.

História[editar | editar código-fonte]

A exemplo das outras emissoras próprias e afiliadas da Rede Globo, que criou novos espaços para o jornalismo local em 1983, o NETV surgiu em 3 de janeiro daquele ano, primeiramente substituindo o antigo Jornal das Sete, e em julho do mesmo ano, estreia a edição vespertina, substituindo a edição local do Hoje.

Durante os anos 80 até 1995, o NETV tinha um prefixo, que só era utilizado em jornais impressos e boletins de programação, o prefixo era: "NETV, a notícia do Nordeste".

Durante o período da Copa das Confederações FIFA de 2013 e da Copa do Mundo FIFA 2014, o NETV e o Bom Dia Pernambuco foram apresentados num glass studio, que ficava em frente à Arena Pernambuco. Durante este período, o estúdio dos telejornais foi completamente reformado, e suas paredes ganharam 30 telas de LCD. O novo estúdio foi inaugurado em 30 de junho de 2014.

1ª Edição[editar | editar código-fonte]

Surgiu em julho de 1983, substituindo o bloco local do Jornal Hoje, que estava no ar, desde 24 de abril de 1972. O telejornal entrou no ar às 12h40, sendo ancorado por Maria Anunciada e Roberto Nogueira. Depois, o telejornal passou à ser exibido às 12h.

Em 1986, Marilena Breda entra como âncora do telejornal, substituindo a dupla Roberto Nogueira e Maria Anunciada.

Em 1989, a edição vespertina do NETV sai do ar, voltando em 1992, com apresentação de Hugo Esteves, que apresentava também a edição noturna.

Em 1994, Helter Duarte, vindo da TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo em Goiânia, entra no lugar de Hugo Esteves, que voltava a apresentar somente o 2ª edição.

Em 1996, Renata Eccheverria se torna âncora, substituindo Helter, que foi transferido para o Bom Dia Pernambuco.

No ano seguinte, em 1997, o telejornal ganha nova vinheta, grafismos e novo cenário.

Em 1999, Mônica Silveira se torna âncora, no lugar de Renata Eccheverria.

Entre 1999 e 2005, o 1ª edição apresentava uma coluna do escritor Ariano Suassuna, denominada O Canto de Ariano, que falava da cultura nacional, e contava histórias hilárias, engraçadas e curiosas. Com a morte de Suassuna, em 2014, o telejornal exibiu em 26 de julho um especial do quadro mesclando os seus melhores momentos, em homenagem ao escritor.

Em 2000, por conta da reformulação promovida pela Rede Globo no jornalismo local de suas emissoras, o NETV voltou a ter duplas de âncoras. Sendo assim, Fernando Rêgo Barros passou a ancorar o 1ª edição junto com Mônica Silveira até 2001, quando foi substituído por Evaristo Filho, que ficou na bancada até 2005, deixando Mônica Silveira sozinha à bancada.

Em 2008, Mônica Silveira deixa o telejornal, que ancorou por nove anos, sendo substituída pela dupla Clarissa Góes e Márcio Bonfim.

Em Janeiro de 2009, Juliana Maggi entra como âncora esportiva do telejornal, tratando dos fatos relacionados ao esporte pernambucano, mas em 2011, deixou o mesmo para apresentar a versão pernambucana do Globo Esporte, atualmente apresentado por George Guilherme.

Em 23 de maio de 2014, Clarissa Góes [2] entra em licença-maternidade, sendo substituída por Gabriela Lisbôa, que não dando muito certo, volta à ser repórter, deixando Márcio Bonfim sozinho, na apresentação do jornalístico, por um breve período, quando Cacyone Gomes substitui Gabriela, que posteriormente, é substituída pouco tempo depois, por Danielle Fonseca, que fica na apresentação do 1ª Edição até a volta de Clarissa, em janeiro de 2015.

Em 04 de janeiro de 2016, o repórter Pedro Lins passou a integrar o rodízio de apresentadores eventuais do 1ª Edição, substituindo Márcio Bonfim. Atualmente, Lins é o único homem a participar desse rodízio, que conta com as jornalistas Meiry Lanunce, Wanessa Andrade e Danielle Fonseca.

2ª Edição[editar | editar código-fonte]

Em 3 de janeiro de 1983, assim como nas outras emissoras próprias da Rede Globo e afiliadas, surgiu o NETV (até um momento, sem a edição vespertina), no lugar do Jornal das Sete, que estava no ar desde 02 de abril de 1979. O telejornal entrou no ar, às 19h48, com apresentação de Maria Anunciada, que deixa o jornal, 6 meses depois, sendo sucedida por Hugo Esteves.

Em 2000, por conta da reformulação promovida pela Rede Globo no jonalismo local de suas emissoras, o 2ª edição passou à ser apresentada por Hugo Esteves e Evaristo Filho, que deixa a bancada em 2001, sendo substituído por Fernando Rêgo Barros, que sai em 2003, deixando Hugo sozinho na bancada, novamente.

Em março de 2014, Hugo Esteves, após 31 anos como apresentador do NETV, deixa a apresentação do telejornal para seguir carreira como ator [3] , desmentindo boatos de que sua saída ocorreu devido à "atitudes e comportamentos que não se adequam ao padrão dos funcionários da Rede Globo", em referência ao episódio em que o mesmo, torcedor do Sport, xinga os clubes e torcedores do Santa Cruz e Náutico [4] – com a saída de Hugo, o 2ª edição passou a ser ancorada por Wanessa Andrade, que desde 2011, era apresentadora eventual do telejornal.

3ª Edição[editar | editar código-fonte]

Entre março de 1983 e março de 1989, assim como as demais emissoras, existiu uma terceira edição do NETV, que ia ao ar antes do Jornal da Globo.

Inicialmente, o telejornal era chamado de NETV – 2ª Edição, mas com a criação da edição vespertina, em julho de 1983, este passou a se chamar NETV – 3ª Edição.

O telejornal estreiou sob o comando de Cacá Teixeira, que em 1986, é substituído por Maria Anunciada, que fica na bancada até a extinção do NETV 3ª edição.

Edição de Domingo[editar | editar código-fonte]

Entre 24 de março de 1984 e 21 de junho de 1987, existiu, como em várias emissoras da Rede Globo, o NETV – Edição de Domingo, que por sua vez, era exibido após o Fantástico.

Fora da Região Metropolitana do Recife[editar | editar código-fonte]

Até 30 de março de 2009, o NETV era retransmitido pelas outras afiliadas da Rede Globo em Pernambuco, no caso, a TV Asa Branca e a TV Grande Rio, que exibiam respectivamente o ABTV e o GRTV nos blocos regionais do telejornal. Após esta data, os telejornais passaram a cobrir integralmente o tempo de duração do NETV. Atualmente, o telejornal só é exibido para estas regiões quando é o caso de coberturas especiais.

Coberturas marcantes[editar | editar código-fonte]

Tragédia da hemodiálise (1996)[editar | editar código-fonte]

Em março de 1996, 126 pessoas foram intoxicadas, enquanto faziam hemodiálise no Instituto de Doenças Renais em Caruaru. Quase 60 pessoas morreram em decorrência de bactérias contidas na água usada no tratamento.

As duas edições do NETV acompanharam o caso de perto, durante mais de um mês.

A primeira reportagem sobre o caso, foi exibida em 7 de março, no 2ª Edição com Hugo Esteves, onde parentes das vítimas denunciaram de que o problema estava na água do hospital.

Em 21 de março, o 2ª Edição noticiou que uma Comissão Parlamentar de Inquérito foi aberta, para investigar o caso. 4 dias depois, em 25 de março, o 1ª Edição com Helter Duarte, transmitiu uma declaração do então governador de Pernambuco, Miguel Arraes, pedindo uma investigação rigorosa, sobre as causas da doença.

Em 3 de abril, Beatriz Castro noticiou no 2ª Edição que a Vigilância Sanitária interditou o hospital, e todos os tratamentos foram suspensos.

Nessa cobertura, participaram também, os repórteres: Fenando Rêgo Barros, Tania Passos, Sylvia Távora, Francisco José e Mônica Silveira.

Greve de fome de Dom Luiz Cappio (2005)[editar | editar código-fonte]

Durante 11 dias (27 de setembro - 7 de outubro de 2005), o bispo Dom Luiz Flávio Cappio fez uma greve de fome, para chamar a atenção do governo para possíveis problemas que sucederiam a transposição do rio São Francisco.

Em Cabrobó, sertão de Pernambuco, o bispo enviou uma carta ao então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, alertando sobre os males que o projeto poderia causar a população ribeirinha e ao meio ambiente.

Em 30 de setembro, o 2ª Edição com Hugo Esteves, mostrou um protesto em Salvador, contra a transposição do rio, em apoio a Dom Cappio.

Em 1º de outubro, o 1ª Edição com Mônica Silveira, mostrou uma centena de fiéis, chegando em Cabrobó.

Em 7 de outubro, Dom Luiz Cappio recebeu uma carta do então presidente Lula, prometendo diálogo, e pôs fim a greve de fome. A notícia foi dada por Mônica Silveira no 2ª Edição, direto de Cabrobó – Mônica foi enviada para o local, para acompanhar os últimos instantes da greve de fome.

Em 2007, Dom Cappio voltou a fazer greve de fome, em protesto contra a transposição do rio. Desta vez, o protesto ocorreu em Sobradinho na Bahia. Durante 20 dias, o bispo ingeriu apenas água do rio São Francisco; em 21 de dezembro, Dom Cappio passou a se alimentar de vegetais.

O repóter Augusto Medeiros, também participou dessa cobertura.

Caso Alcides do Nascimento (2010)[editar | editar código-fonte]

Em 2010, o estudante de Biomedicina, Alcides do Nascimento Lins, foi assassinado na porta de sua casa, na comunidade Vila Santa Luzia, no Bairro da Torre, no Recife.

Alcides era filho de uma catadora de lixo, e passou para Biomedicina, na Universidade Federal de Pernambuco, em 2007. Tendo sua trajetória de esforço acompanhada pelo NETV, naquela época.

Em 14 de julho de 2007, o 1ª Edição, na época com Mônica Silveira, mostrou a emoção de Maria Luiza do Nascimento, mãe de Alcides, quando soube que o filho passou no vestibular, com a nota mais alta entre os alunos oriundos das escolas públicas. A história do estudante chegou a ser contada no Fantástico, e no Globo Repórter.

Mas, em 5 de fevereiro de 2010, traficantes que procuravam outros jovens da comunidade Vila Santa Luzia, da Torre, deram dois tiros na cabeça de Alcides, que não resistiu e morreu na porta de casa. A notícia foi dada em primeira-mão, no 1ª Edição do dia seguinte, 6 de fevereiro, com apresentação de Marcio Bonfim. Mais tarde, os acusados de terem cometido o crime, foram presos.

Enchentes na Zona da Mata (2010)[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2010, enchentes em Alagoas e Pernambuco, deixaram 26 municípios em estado de calamidade pública e 34 em situação de emergência, devido as enchentes dos rios Una, Sirinhaém, Piranji, Mundaú e Canhoto. Quase 50 pessoas morreram e 60 mil, ficaram desabrigadas.

As duas edições do NETV acompanharam de perto o desastre, e tiveram o apoio do Globocop.

A primeira reportagem sobre a tragédia, foi mostrada em 19 de junho, onde a repórter Bianka Carvalho, e o cinegrafista Henrique Zuba, mostraram a situação de Vitória de Santo Antão, onde 220 pessoas ficaram desabrigadas, e recebiam ajuda, em salas de aula de escolas públicas. Durante toda a semana, o NETV acompanhou a consequência das chuvas.

Em 22 de junho, o repórter Bruno Fontes noticiou no 2ª Edição com Hugo Esteves, que o município de Paudalho cancelou os eventos de São João, por conta das chuvas. Na mesma edição, Mônica Silveira noticiou ao vivo, direto de Barreiros, que os moradores estavam sem luz, e em locais improvisados, para se protegerem das chuvas.

Em 24 de junho, Mônica foi até o município de Água Preta, para mostrar que a cidade estava em situação de calamidade pública. A reportagem foi mostrada no 2ª Edição.

Em novembro de 2010, o 2ª Edição exibiu uma série de 4 reportagens, chamada "Reconstrução" – essa série de reportagens mostrou o trabalho e as dificuldades dos moradores, em reerguer as cidades destruídas pelas enchentes de junho.

Os repórteres Fernando Rêgo Barros e Carla Almeida, também participaram dessa cobertura.

A morte de Eduardo Campos (2014)[editar | editar código-fonte]

Em 13 de agosto de 2014, o 1ª Edição com apresentação de Márcio Bonfim e Gabriela Lisbôa, foi interrompido por um Plantão da Globo, apresentado por Evaristo Costa, nos estúdios do Jornal Hoje, em São Paulo, trazendo de início, a confirmação de que o então candidato à Presidência da República e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, estava a bordo de um jato que caiu em Santos. No decorrer do plantão, a repórter Cristina Serra, de Brasília, trouxe a confirmação da Agência Nacional de Aviação Civil, de que Eduardo Campos e outras 6 pessoas a bordo do jato, morreram.

Durante toda a tarde daquele dia, houve plantões locais e nacionais, trazendo novas informações sobre o desastre, e sobre a repercussão da tragédia.

A noite, o 2ª Edição com apresentação de Wanessa Andrade, foi transmitido para todo o estado e foi inteiramente dedicado a Eduardo Campos.

Durante a semana, o NETV acompanhou a comoção no estado, as investigações da tragédia, e a transferência do corpo de Eduardo para Pernambuco, onde foi velado e enterrado, no dia 17 de agosto. Nesse dia, a TV Globo Nordeste transmitiu ao vivo, das 09h00 até as 18h40, com apresentação de inicial de Meiry Lanunce, que logo depois ganha o apoio de Márcio Bonfim, o velório, homenagens, o cortejo e o enterro do corpo de Campos no Cemitério de Santo Amaro, sendo uma das maiores coberturas de uma emissora de TV da história da América Latina. Essa cobertura ao vivo cancelou quase toda a programação dominical da Rede Globo para a área de cobertura da TV Globo Nordeste, assim como da TV Asa Branca e TV Grande Rio, afiliadas da Globo que junto com a TV Globo Nordeste atuam em Pernambuco.

Repórteres como Fernando Rêgo Barros, Mônica Silveira, Cacyone Gomes, Danielle Fonseca, Marjones Pinheiro e Bianca Carvalho, participaram dessa cobertura.

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Evaristo Filho foi apresentador, e foi o repórter que mais fez reportagens, e entradas ao vivo para o telejornal.

Titulares[editar | editar código-fonte]

1ª edição

  • Márcio Bonfim (2008-presente)
  • Clarissa Góes (2008-presente)

2ª edição

  • Wanessa Andrade (2014-presente)

Eventuais[editar | editar código-fonte]

1ª edição

  • Meiry Lanunce (desde 2003)
  • Wanessa Andrade (desde 2011)
  • Danielle Fonseca (desde 2014)
  • Pedro Lins (desde 2016)

2ª edição

  • Meiry Lanunce (desde 2003)
  • Márcio Bomfim (desde 2008)
  • Clarissa Góes (desde 2008)
  • Danielle Fonseca (desde 2014)
  • Antônio Coelho (desde 2015)
  • Pedro Lins (desde 2016)

Ex-Apresentadores[editar | editar código-fonte]

1ª edição

2ª edição

Quadros[editar | editar código-fonte]

Atuais

Quadros Dias de Apresentação Descrição
Calendário do NETV Segunda a Sexta Os repórteres mostram os problemas das comunidades e o telejornal cobra solução.
É pipoco (não definido) É anunciada a atração musical da semana e a localidade em que o cantor/banda vai se apresentar.
Diversão e Arte Sexta e Sábado Anuncia os principais shows, teatrais e diversão do fim de semana.
Blitz do NETV (não definido) Busca problemas de ordem pública das cidades da RMR.
Previsão do Tempo Segunda a Sábado Mostra a previsão do tempo das cidades de Pernambuco.

Extintos

  • O Canto de Ariano (com o escritor Ariano Suassuna)
  • O Bairro que eu Quero
  • Vida Real

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Mônica Silveira e Hugo Esteves foram os apresentadores que até hoje, ficaram mais tempo na bancada do NETV, sendo que Silveira ficou 9 anos (1999-2008), e Hugo, por 31 anos (1983-2014).
  • Maria Anunciada passou por todas as bancadas de todas as edições do NETV; que existem até hoje, ou que já existiram.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Desafio das Águas da Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento) (2008).
  • Prêmio Setrans (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco) (2008).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://memoriaglobo.globo.com/programas/jornalismo/telejornais/netv.htm
  2. (http://www.portalfne.com.br/noticia/nota-de-repudio-tv-globo-nordeste-critica-acao-de-enfermeiros/)
  3. «O jornalista e ator Hugo Esteves estreia na teledramaturgia em Império». Diario de Pernambuco. 14-07-2014. Consultado em 29-11-2014.  line feed character character in |título= at position 16 (Ajuda)
  4. «MTA divulga nota de manifestação contra Hugo Esteves». Blog De Primeira. 05-03-2014.  Parâmetro desconhecido |http://www.folhape.com.br/blogdeprimeira/?p= ignorado (Ajuda); Falta a |url= (Ajuda);

Ligações externas[editar | editar código-fonte]