NOTAR

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diagrama mostrando o movimento do ar de um helicóptero com o sistema.

NOTAR (do inglês no tail rotor), é um sistema de estabilização utilizado em helicópteros que evita o uso de um rotor de cauda.[1] Foi desenvolvido pela McDonnell Douglas, atraves de sua aquisição da Hughes Helicopters. O nome é um acrônimo derivado da frase "no tail rotor", que pode ser traduzida como "sem rotor de cauda". O sistema utiliza uma ventoinha que fica dentro do corpo da cauda, esta produz uma grande zona de baixa pressão que sai por uma abertura situada na cauda, como também cria um fluxo de camada limite de ar ao longo da cauda pelo efeito Coandă. A camada limite muda a direção do fluxo de ar em torno do corpo da cauda, criando um impulso oposto ao movimento comunicado à fuselagem pelo efeito de torque do rotor principal. Para o controle rotacional do helicóptero, é necessário somente variar a abertura da cauda e/ou a velocidade da ventoinha. O sistema NOTAR é relativamente mais silencioso e seguro que o sistema convencional com rotor de cauda.[1] [2]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O uso de ar para gerar anti-torque já foi testado antes mesmo de 1945 pelo britânico Cierva W.9. Em 1957, um protótipo espanhol (Aerotécnica AC-14) voou utilizando gases de escape em vez do rotor de cauda. O desenvolvimento do sistema NOTAR iniciou-se em 1975, quando engenheiros da Hughes Helicopters iniciaram o projeto.[3] Em dezembro de 1981, um helicóptero da Hughes com o sistema voou pela primeira vez. Helicópteros da marca com o sistema foram utilizados pelo exército norte-americano. Uma versão mais modificada voou em 1986 (na época a McDonnel Douglas já havia adquirido a marca Hughes Helicopters). O sistema só foi parar em um helicóptero de produção em 1990.

Conceito[editar | editar código-fonte]

MD 500N com o sistema NOTAR.

Mesmo que o sistema tenha demorado mais de 3 anos para ser aperfeiçoado, o seu conceito é relativamente simples. Uma ventoinha de velocidade variável é colocada na seção de fuselagem traseira imediatamente à frente do cone de cauda e conduzido pela transmissão do rotor principal.[3] Esta ventoinha força o ar de baixa pressão a passar pela saída de ar no lado direito da cauda, o que produz o efeito anti-torque. Esse efeito é aumentado pela saída de ar do extremo da cauda e estabilizadores verticais.

Vantagens do sistema incluem maior segurança (como o rotor de cauda é vulnerável, em caso de falha o piloto perderia o controle do helicóptero) e redução do ruído exterior. Helicópteros equipados com o sistema NOTAR são notavelmente os helicópteros mais silenciosos da categoria.[1] [2]

A maior desvantagem fica por conta do elevado preço dos helicópteros com o sistema.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre NOTAR

Aplicações[editar | editar código-fonte]

Atualmente, há três helicópteros de produção que utilizam o sistema NOTAR, todos produzidos pela MD Helicopters:

  • MD 500N, uma variante da série MD 500 com o sistema NOTAR;
  • MD 600N;
  • MD Explorer.

Referências

  1. a b c Rafael Freire. «Cinco novos helicópteros para sonhar». iG. Consultado em 18/04/16. 
  2. a b «Helicóptero sem rotor de cauda chega ao Brasil». AERO Magazine. 04/04/12. Consultado em 18/04/16. 
  3. a b Frawley, Gerard: The International Directory of Civil Aircraft, 2003–2004, página 155. Aerospace Publications Pty Ltd, 2003. ISBN 1-875671-58-7