Nabo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Nabo (desambiguação).
Como ler uma infocaixa de taxonomiaNabo
Nabos
Nabos
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Género: Brassica
Espécie: B. rapa
Nome binomial
Brassica rapa
L.

A Brassica rapa L., comummente conhecido como nabo,[1] é uma planta crucífera (da família das couves) de raiz tuberosa e folhas comestíveis.

À planta em flor comercializada é dado o nome de grelos-de-nabo ou simplesmente grelos e à rama sem flor chama-se nabiça[2] (não confundir com a Brassica napus, que também dá por este nome comum). É utilizado como guarnição ou própria matéria-prima para alguns pratos. É uma planta rica em cálcio e possui poucas calorias.

Uso humano[editar | editar código-fonte]

Não se sabe quando se começou a consumir nabos. Alimento comum entre os gregos e os romanos, o nabo há muito se tornou uma comida popular na Europa setentrional.

Os nabos são de fácil cultivo. São ideais para hortas domésticas; as sementes podem ser plantadas em carreiras diretamente no solo. Os horticultores costumam desbastar as plantas, de forma a deixar um espaçamento de 5 cm entre as mudas. A safra atinge o ponto de colheita em dois meses. A colheita pode ser estocada a temperaturas frescas.

Com frequência os nabos são atacados por pulgões, que podem ser controlados pulverizando-se as plantas com sulfato de nicotina.

As folhas do nabo (nabiças) constituem um excelente alimento. Apresentam um alto teor de vitamina A, do complexo B e de vitamina C. São saborosas e suas fibras contribuem para regularizar o funcionamento intestinal.

Cultivo em Portugal[editar | editar código-fonte]

As maiores concentrações de zonas de cultivo do nabo, em Portugal, encontram-se no distrito de Castelo Branco, sendo certo que os distritos da Estremadura, Portalegre, Évora e Bragança também possuem explorações com alguma expressão.[3]

De acordo com o «Catálogo Nacional de Variedades de Espécies Agrícolas e Hortícolas», em 2020, havia oito variedades de nabos em cultivo em Portugal, sendo que quatro delas, a Gandra, o Greleiro da Senhora da Conceição, o Greleiro Temporão e o nabo de São Cosme, são espécies tradicionais.[4]

A variedade do nabo greleiro Senhora da Conceição é tradicional no norte de Portugal, trata-se de uma variedade é temporã e encontra-se inscrita no Catálogo Nacional de Variedades desde 1992.[5]

Referências

  1. Infopédia. «nabo | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». www.infopedia.pt. Consultado em 21 de fevereiro de 2022 
  2. Infopédia. «nabiça | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». www.infopedia.pt. Consultado em 21 de fevereiro de 2022 
  3. «Produção Nacional Da Horta | ACFMNP». www.acfmnportugal.pt. Consultado em 21 de fevereiro de 2022 
  4. Rocha, Anabela (2020). Catálogo Nacional de Variedades de Espécies Agrícolas e Hortícolas - 2020 (PDF). Lisboa: Direcção-Geral da Alimentação e Veterinária. p. 48. 63 páginas. ISSN 0871-0295 
  5. Freitas, Fátima (17 de Fevereiro de 2020). «O nabo greleiro». DICAs - Informações da Agricultura e do Desenvolvimento Rural - Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural. Consultado em 21 de fevereiro de 2022