Nadiá Paulo Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Nadiá Paulo Ferreira (?), é uma psicanalista e professora luso-brasileira, autora de diversas obras e artigos, parte deles tendo por temática o amor.

É membro da seção Rio de Janeiro do Corpo Freudiano Escola de Psicanálise, e da parisiense Association Insistance, ambos vinculados ao Movimento Lacaniano.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Paulo Ferreira é professora titular da cadeira de literatura portuguesa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), onde também colabora em seu programa de pós-graduação em psicanálise.[1]

Em 1975 participou do Colégio Freudiano do Rio de Janeiro, que foi a primeira instituição no Brasil da psicanálise da linha lacaniana.[1]

A autora ganhou maior celebridade após o lançamento, em 2004, da obra A Teoria do Amor, cuja tiragem inicial rapidamente se esgotou, o que lhe rendeu entrevistas em grande rede de televisão e em revistas, como a Cult.[2]

Entre 2001 (ano de sua fundação) até 2012 foi editora da revista O Marrare, voltada para a pós-graduação em literatura portuguesa da Uerj.[1]

Principais trabalhos[editar | editar código-fonte]

  • Freud: criador da psicanálise. (2002, coautoria junto a Marco Antônio Coutinho Jorge), coleção Passo a Passo.
  • Lacan, o grande freudiano (2005, coautoria junto a Marco Antônio Coutinho Jorge), coleção Passo a Passo.
  • A Teoria do Amor (2004, Rio de Janeiro: Zahar, 70 p, ISBN 9788571107779Título alternativo: "A Teoria do Amor na Psicanálise")
  • Amor, Ódio & Ignorância (Faperj/Contra Capa, 2005)
  • Malditos, Obscenos e Trágicos (EdUerj, 2013)

Referências

  1. a b c d Institucional. «Autor: Nadiá Paulo Ferreira». Editora Zahar. Consultado em 26 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2017 
  2. Iracy de Souza (2010). «William Amorim entrevista Nadiá Paulo Ferreira - De novo... O amor». “Caderno Alternativo” de O Estado do Maranhão, em 12 de junho de 2010. Transcrito em: Revista Benfazeja, Ano 1, V.4, edição 04. Consultado em 26 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.