Naphtali Alves de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Naphtali Alves de Sousa
Governador de Goiás
Período 04 de maio de 1998 até 03 de novembro de 1998
Antecessor Maguito Vilela
Sucessor Helenês Cândido
Vice-Governador de Goiás
Período 01 de fevereiro de 1995 até 04 de maio de 1998
Deputado Federal por Goiás
Período 01 de novembro de 1986 até 31 de janeiro de 1994
(2 mandatos consecutivos)
Prefeito do Município de Morrinhos (Goiás)
Período 01 de fevereiro de 1977 até 31 de março de 1983
Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Goiás
Período 01 de janeiro de 2001 até 31 de janeiro de 2002
Dados pessoais
Nascimento 03 de novembro de 1940 (78 anos)
Morrinhos (Goiás)
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Genoveva Alves de Sousa
Pai: Sebastião Alves de Sousa
Alma mater Escola de Engenharia da Universidade Federal de Goiás
Cônjuge Adélia Alves de Sousa
Filhos 3
Partido
Profissão engenheiro civil
linkWP:PPO#Brasil

Naphtali Alves de Sousa[nb 1] (Morrinhos, 11 de março de 1940) é um Engenheiro Civil e Político brasileiro. Foi prefeito de Morrinhos entre 1977 e 1983, Deputado Federal por Goiás de 1986 a 1994, Vice-Governador de Goiás de 1995 a 1998, Governador de Goiás em 1998 e Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Goiás, de 2001 a 2002.[1]

Filho de Sebastião Alves de Sousa e Genoveva Alves de Sousa, estudou engenharia civil na Universidade Federal de Goiás (UFG) de 1965 a 1970. Nesse período presidiu a Frente Legalista dos Estudantes Goianos.[1]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Entrou para a política em 1977, quando foi prefeito de Morrinhos pela Aliança Renovadora Nacional (Arena). Após o regime militar e com a extinção do bipartidarismo, Naphtali filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS).[1]

Deixou a prefeitura em 1983, quando aliou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Foi Diretor do Consórcio Rodoviário Intermunicipal e pelo PMDB, elegeu-se deputado federal constituinte, em novembro de 1986.[1]

Em outubro de 1994, elegeu-se vice-governador de Goiás na chapa de Maguito Vilela, tomando posse em janeiro de 1995. Quando Vilela licenciou-se para concorrer uma vaga no Senado, Naphtali assumiu o governo em 4 de maio, ficando no cargo até 3 de novembro de 1998.[1]

Ao deixar o governo, foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Presidente entre 2001 e 2004, passou a responder pela corregedoria-geral do órgão.[1]

Fez parte da Congregação das Escolas de Engenharia da UFG.[1]

Casado com Adélia Alves de Sousa, teve três filhos.[1]

Notas Bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  1. A grafia original do nome do biografado, Naftali Alves de Sousa, deve ser atualizada conforme a onomástica estabelecida a partir do Acordo Ortográfico de 1990, por seguir as mesmas regras dos substantivos comuns. A norma é optativa para nomes de pessoas em vida, a fim de evitar constrangimentos, mas após seu falecimento torna-se obrigatória para publicações, ainda que se possa utilizar a grafia arcaica no foro privado (Formulário Ortográfico de 1943, IX). Neste caso, se adotou a norma atual por ser a que foi adotada em registros oficiais do Governo Federal.

Referências

  1. a b c d e f g h «SOUSA, NAFTALI ALVES DE». CPDOC. Consultado em 24 de setembro de 2018 
Precedido por
Agenor Rodrigues de Rezende
Vice-governador de Goiás
19951998
Sucedido por
Alcides Rodrigues
Precedido por
Maguito Vilela
Governador de Goiás
1998
Sucedido por
Helenês Cândido