Narciso de Jerusalém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
São Narciso de Jerusalém
Bispo de Jerusalém e Confessor
Nascimento 99?
Morte 216? em Élia Capitolina (Jerusalém), na Síria Palestina
Veneração por Igreja Católica
Igreja Ortodoxa
Canonização Pré-Congregação
Festa litúrgica 29 de outubro (Igreja Católica)
7 de agosto (Igreja Ortodoxa)
Atribuições Representado como um bispo segurando uma flor de cardo; uma jarra de água próximo de si; um anjo conduzindo sua alma para o Céu.
Gloriole.svg Portal dos Santos

Narciso de Jerusalém (99?-216?) foi bispo de Élia Capitolina entre 185 e 211 ou 213 d.C.[1].

Vida[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que o episcopado médio de um bispo de Jerusalém era curto, como se vê pelos governos episcopais dos que se seguiram. Simeão de Jerusalém, o segundo bispo da cidade, foi martirizado em 117 d.C. pelo imperador romano Trajano[2][a].

Diz a tradição que Narciso nasceu na Grécia[1] por volta do ano 99 d.C. e que tinha pelo menos 80 anos de idade quando foi nomeado o décimo-terceiro Bispo de Jerusalém[2][1]. Mais de um século havia se passado desde que a cidade fora destruída pelos romanos e reconstruída com o nome de Élia Capitolina pelo imperador Adriano.

No ano 195, Narciso, junto com Teófilo, bispo de Cesareia, Síria Palestina, presidiu ao concílio de Cesareia onde foi aprovada a determinação de se celebrar a Páscoa sempre no Domingo, diferenciando-a assim da Pessach judaica (veja controvérsia da Páscoa)[1]. Desta forma, ele foi contra o costume dos bispos da Ásia Menor e dos judeo-cristãos que celebravam a Páscoa no 14 de Nisan (quartodecimanismo)[1]. De acordo com Eusébio de Cesareia[3], encabeçou a lista de assinaturas de uma carta que o episcopado da Palestina enviara ao papa Vítor I. Nela, os bispos declaravam observar os rito e usos da Igreja romana[4].

Realizou inúmeros milagres como num certo dia de festa, em que faltou o óleo necessário para as unções litúrgicas, Narciso mandou vir água de um poço vizinho, e com sua bênção a transformou em óleo[5].

Ausência[editar | editar código-fonte]

Não obstante sua santidade, foi acusado de imoralidade em 201 d.C. por alguns elementos do seu grupo[1]. O desgosto de ser assim difamado despertou em Narciso o seu antigo desejo pelo recolhimento e, por isso, sem dizer para onde ia, perdoou os caluniadores e saiu de Jerusalém[5]. Foi para o deserto de Nítria, onde viveu recluso durante 8 ou 10 anos[4][1]. Estas acusações podem ter sido uma vingança dos quartodecimanistas, que não o perdoaram por ter apoiado os romanos no concílio em Cesareia[1].

Durante a sua ausência, três bispos (Dio, Germânio e Górdio[1]) comandaram a de Jerusalém. Quando de seu retorno para a Cidade Sagrada, a população o exortou a continuar seus deveres episcopais, o que Narciso aceitou, mas como já passava dos cem anos de idade, recrutou Alexandre de Jerusalém para ser seu bispo-coadjutor[6][1].

Morte[editar | editar código-fonte]

São Narciso morreu quando orava de joelhos aos 117 anos de idade. Santo Alexandre, seu coadjutor, escreveu uma carta ano 212 afirmando que Narciso completara então 116 anos[7].

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ São Simeão foi eleito bispo de Jerusalém após Tiago, o Justo ter sido martirizado em 63 d.C. e reinaria por quase 54 anos, mas não sem interrupção (por conta de perseguições). Veja o artigo São Simeão de Jerusalém.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Narciso de Jerusalém
(185 - ??? / ??? - 216?)
Precedido por: PatriarchsCross.svg
Lista sucessória dos patriarcas de Jerusalém
Sucedido por:
Górdio
Doliquiano
30.º Dio
Alexandre

Referências

  1. a b c d e f g h i j «A História da Igreja de Jerusalém» (em inglês). More Who is Who. Consultado em 26 de maio de 2012 
  2. a b "Lives of the Saints, For Every Day of the ano," edited by Rev. Hugo Hoever, S.O.Cist., Ph.D., New York: Catholic Book Publishing Co., 1955, p. 423
  3. Eusébio de Cesareia. História Eclesiástica (Eusébio): The Miracles of Narcissus. (em inglês). [S.l.: s.n.]. Capítulo: 9. vol. VI.
  4. a b S. Narciso, bispo de Jerusalém, +212. evangelizo.org, 29 de Outubro de 2011
  5. a b «São Narciso». Santo do dia. Consultado em 1º de agosto de 2010  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  6. "Lives of the Saints, For Every Day of the Year," edited by Rev. Hugo Hoever, S.O.Cist., Ph.D., New York: Catholic Book Publishing Co., 1955, pp. 424
  7. «St. Narcissus of Jerusalem» (em inglês). Saint Patrick.org. Consultado em 10 de outubro de 2010