Narendra Modi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Shri Narendra Modi
Shri Narendra Modi
14º Primeiro-ministro da Índia Índia
Período 26 de maio de 2014 - presente
Presidente Pranab Mukherjee
Antecessor(a) Manmohan Singh
14º Ministro-chefe de Gujarate
Período 7 de outubro de 2001 - 22 de maio de 2014
Antecessor(a) Keshubhai Patel
Sucessor(a) Anandiben Patel
Dados pessoais
Nascimento 17 de setembro de 1950 (67 anos)
Vadnagar, Gujarate,  Índia
Alma mater Universidade de Gujarate
Partido Partido do Povo Indiano
Religião Hinduísmo
Profissão Político
Assinatura Assinatura de Narendra Modi

Shri Narendra Modi (Vadnagar, Gujarate, 17 de setembro de 1950) é um político indiano e atual 14º primeiro-ministro do seu país. É membro do Partido Bharatiya Janata (BJP).[1]

Foi eleito primeiro-ministro da Índia em 16 de maio de 2014, com seu partido conquistando 275 das 543 cadeiras do parlamento, maioria absoluta e a primeira vez desde 1984 que a população indiana entrega o poder a um único partido.[2] Com a maioria absoluta no Congresso, Modi não precisará fazer alianças para realizar as completas mudanças econômicas pregadas pela oposição ao atual governo na Índia.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Narendra Damodardas Modi nasceu em 17 de setembro de 1950 em uma família de merceeiros das castas "Ghanchi" e "Teli", da cidade de Vadnagar.[4][5] O terceiro de seis filhos de Damodardas Mulchand Modi e sua esposa Heeraben Modi.[6] Narendra ajudava seu pai a vender seus produtos na estação ferroviária de Vadnagar e ainda jovem montou uma barraca de chá com seu irmão.[7][8] Em 1967, completou seus estudos em Vadnagar, onde uma professora o descreveu como "um aluno comum, mas ótimo debatedor".[7]

Seu interesse por teatro influenciou a forma como se projeta na política.[9] Aos oito anos de idade, Modi começou a frequentar as shakhas locais, onde conheceria seu mentor político, Lakshmanrao Inamdar. Inamdar introduziu Modi como balswayamsevak (um iniciante na RSS). Durante sua sessão de exercícios matinais, conheceu os líderes Vasant Gajendragadkar e Nathalal Jaghda, os fundadores do diretório estadual do Partido Bharatiya Janata.[6]

Os pais de Modi acordaram seu casamento quando ainda era criança, mantendo as tradições milenares da casta Ghanchi. Aos 18 anos casou-se com Jashodaben Chimanlal, porém passaram pouco tempo juntos por conta das viagens de Modi e o casamento nunca foi consumado.[7] Modi manteve seu casamento em segredo durante a maior parte de sua carreira política, tendo revelado o fato somente nas eleições gerais de 2014 por conta da informação de seus dados pessoais.[10][11]

Em 1978, Modi graduou-se em Ciência política pela Universidade de Délhi. Em 1983, concluiu sua prós-graduação pela Universidade de Gujarat.

Ministério do Gujarat (2001 - 2014)[editar | editar código-fonte]

Em 2001, diante das novas eleições, a popularidade de Keshubhai Patel decaiu consideravelmente por conta das acusações de abuso de poder e corrução, além das críticas à forma como seu governo estava lidando com o Terremoto que afetou a região em janeiro.[12][13] Como resultado, o BJP anunciou Narendra Modi novo candidato ao governo regional.[7] Na ocasião, L. K. Advani, um dos membros tradicionais do partido, manifestou seu desinteresse em apoiar Modi como candidato, alegando sua "falta de experiência" em administração pública. Primeiramente, o partido ofereceu a Modi o cargo de Vice-Mininistro-chefe do Guajarat, o que ele recusou.[14] Em 3 de outubro de 2011, Modi foi nomeado substituto de Patel como Ministro-chefe de Gujarat, com a responsabilidade de levar o partido às eleições em dezembro do ano seguinte.[15]

Após centenas de atos de violência em 2002, os partidos de oposição exigiram a renúncia de Modi perante o Parlamento indiano. Em 19 de julho de 2002, Modi reuniu-se com seu gabinete e entregou o cargo ao Governador do Gujarat, S. S. Bhandari, e a assembleia foi dissolvida. Nas eleições seguintes, o BJP, liderado por Modi, obteve 127 dos 182 assentos no Parlamento. Modi usou significantemente de sua retórica anti-islâmica durante sua campanha, embora tenha negado o fato posteriormente. Em dezembro de 2002, foi empossado Ministro-chefe do Governo Bhandari para seu segundo mandato.

Primeiro-ministro (2014 - presente)[editar | editar código-fonte]

Narendra Modi tomou posse como Primeiro-ministro em 26 de maio de 2014, numa cerimônia no Rastrapati Bhavan. Modi é o primeiro primeiro-ministro indiano nascido após a Independência do país.[16] O primeiro-ministro eleito convidou todos os líderes do SAARC para a cerimônia de posse; incluindo o presidente afegão Hamid Karzai e o premiê nepalês Sushil Koirala.[17] O primeiro gabinete de governo formado por Modi consiste em 45 ministros, número consideravelmente menor do que os 70 ministros do governo anterior.[18]

Personalidade e imagem[editar | editar código-fonte]

Modi é um adepto do vegetarianismo, possui estilo de vida frugal, sendo também visto como workaholic e de personalidade introvertida.[19][20] Somini Sengupta escreveu pelo The New York Times que "Modi têm procurado assiduamente reinventar a si mesmo a partir de um mascote desalinhado do nacionalismo hindu" para chegar a "um administrador decisivo de estilo corporativo".[21] Modi emergiu como político experiente para a imprensa internacional, sendo que desde setembro de 2014 é o segundo líder político mais seguido na rede social Twitter com mais de 6 milhões de seguidores.[22][23] Tornou-se o primeiro político indiano a interagir virtualmente com a população através de suas atividades no Google Hangouts em agosto de 2012.[24][25]

Modi tem sido colocado pela mídia como um líder controverso, polarizador e divisionista.[26][27] Entretanto, o economista britânico Jim O'Neill, criador da sigla "BRIC", descreveu Modi como "bom em economia" e como tendo características que "a Índia necessitava desesperadamente em um líder".[28] Em agosto de 2013, o analista financeiro Chris Wood, estrategista-chefe do CLSA, afirmou que a eleição de Modi como Primeiro-ministro era "a maior esperança para o mercado indiano".[29]

Referências

  1. Biografia oficial, recuperado 30 de setembro 2014
  2. Shah Singh, Harmeet. «Hindu nationalist Narendra Modi claims victory as India's next Prime Minister». CNN. Consultado em 17 de maio de 2014 
  3. «Partido do recém-eleito Modi tem maioria absoluta na Índia». O Globo. Consultado em 17 de maio de 2014 
  4. «'Modi is a Teli-Ghanchi OBC': BJP». The Times of India. 23 de abril de 2014. Consultado em 7 de outubro de 2014 
  5. «BJP plays Modi caste card to run down nitish». Hindustan Times. 18 de junho de 2013 
  6. a b Marino, Andy (2014). Narendra Modi: A Political Biography. [S.l.]: HarperCollins India 
  7. a b c d Vinod Jose (1 de março de 2012). «The Emperor Uncrowned». The Caravan 
  8. Harit Mehta (18 de setembro de 2011). «On Race Course road?». The Times of India 
  9. «Modi's life dominates publishing space». New Kerala. 14 de março de 2014 
  10. «Narendra Modi: From tea vendor to PM candidate». India Today. 13 de setembro de 2013 
  11. Anand Bodh (17 de fevereiro de 2014). «'I'm single, so best man to fight graft': Narendra Modi». The Times of India. Consultado em 7 de outubro de 2014 
  12. Venkatesan, V. (13 de outubro de 2001). «A pracharak as Chief Minister». Frontline 
  13. Bunsha, Dionne (13 de outubro de 2001). «A new oarsman»  Texto "publicadoFrontline" ignorado (ajuda)
  14. «Going for Modi not to be smooth». The Tribune. 3 de outubro de 2001 
  15. Srivastava, Ritesh K. (8 de abril de 2014). «Narendra Modi – Leading the race to 7 RCR». 2 News. Consultado em 23 de outubro de 2014 
  16. «Narendra Modi appointed Prime Minister, swearing in on May 26». Times of India. 20 de maio de 2014 
  17. Swami, Praveen (22 de maio de 2014). «In a first, Modi invites SAARC leaders for his swearing-in». The Hindu. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  18. Irfan, Hakeem (28 de maio de 2014). «Narendra Modi saves Rs 125 crore by keeping cabinet small». Dna India. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  19. Harding, Luke (18 de agosto de 2003). «Profile: Narendra Modi». The Guardian. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  20. Naqvi, Saba (24 de dezembro de 2007). «The Hawk In Flight». Outlook India. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  21. Sengupta, Somini (28 de abril de 2009). «Shadows of Violence Cling to Indian Politician». The New York Times. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  22. Sharma, Swati (25 de junho de 2014). «White House losing Twitter was to India's Narendra Modi». The Washington Post. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  23. «Modi's world second-most followed politician on Twitter, Facebook». Times of India. 5 de setembro de 2014. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  24. «Narendra Modi on Google Hangout, Ajay Devgn to host event». Times of India. 31 de agosto de 2012. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  25. «People ask, Narendra Modi answers on Google Plus Hangout». CNN-IBN. 1 de setembro de 2012. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  26. Ramaseshan, Radhika (1 de julho de 2013). «Boomerang warning in article on 'polarising' Modi». The Telegraph. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  27. Malik, Ashok (8 de novembro de 2012). «Popular, but polarising: can Narendra Modi be PM?». Hindustan Times. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  28. «2014 will be exciting year for India». The Economic Times. 27 de novembro de 2013. Consultado em 19 de outubro de 2013 
  29. «NaMo, Ram the new mantra on Dalal Street!». The Economic Times. 15 de setembro de 2013. Consultado em 19 de outubro de 2014 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Manmohan Singh
Primeiro-ministro da Índia
2014 - presente
Sucedido por
Incumbente
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.