Narguilé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um narguile, arguile ou xixa, em um restaurante no Nepal

O narguilé[1][2] é uma espécie de cachimbo de água de origem oriental, utilizado para fumar tabaco aromatizado. Além desses nomes, de origem persa, e de variantes como arguile, muito usada em certos países árabes, também é chamado de xixa (substantivo feminino), especialmente na África e em outros países de língua árabe, ou ainda hookah (na Índia e em outros países que falam inglês), entre outros nomes. Há diferenças regionais no formato e no funcionamento dos cachimbos d'água, mas o princípio comum é o fato de a fumaça passar pela água antes de chegar ao fumante. Tradicionalmente utilizados em muitos países do mundo, em especial no Norte da África, Oriente Médio e Sul da Ásia, têm-se espalhado em anos recentes também para o Ocidente (Europa e Américas).

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra "narguile" é originária do persa nargileh ou nārgila, coco. Em francês, é pronunciada de forma oxítona, forma que influenciou a grafia oxítona registrada em dicionários, "narguilé", mais comumente pronunciada, no Brasil, "narguilê". A palavra "arguile" - que reflete a pronúncia mais comum em países árabes - também provém de "narguile", com a perda do "n" inicial. O nome alternativo "xixa"[3] (em inglês, shisha) provém do árabe e, em alguns lugares, é usada para se referir apenas ao fumo usado; em outras, a todo o aparato. Em inglês, é também chamado water pipe (literalmente, "cachimbo de água"), sendo também usual o nome hookah, originário da Índia.

Origem[editar | editar código-fonte]

O narguilé tem origem no Oriente. Uma das versões da história de sua origem é a de que o narguilé teria sido inventado na Índia do século I pelo médico Hakim Abul Fath como um método para retirar as impurezas da fumaça. Quando chegou à China, passou a ser utilizado para fumar o ópio, e assim permaneceu até a revolução comunista chinesa, no fim da década de 1940. Na mão dos árabes, o cachimbo de água foi rapidamente incorporado para ser apreciado em grupo, acompanhado de café e prosa. Existem evidências históricas de narguilés na Pérsia e na Mesopotâmia. As peças mais primitivas eram feitas com madeira e um coco que fazia o lugar do corpo (o nome origina-se do persa nargileh ou nārgila, que significa "coco").[4]

Partes[editar | editar código-fonte]

O narguile é formado pelas seguintes peças:

  • Base (jarro ou vaso): peça central do narguilé; assemelha-se a um vaso. É onde se coloca a água (ou, embora não seja tradicional, com outros líquidos, como áraque, sucos ou essências naturais). Geralmente, é feita de vidro, metal ou cerâmica; algumas são ornamentadas com desenhos.
  • Corpo: peça cilíndrica que sustenta o fornilho e conecta-se à base. Na base, projeta um tubo para dentro da água, que conduz a fumaça.
  • Fornilho (rosh, cabeça ou cerâmica): peça de barro ou cerâmica onde coloca-se o tabaco aromatizado (também chamado de essência) e, por cima deste, o carvão em brasa.
  • Abafador (laminito): Artefato em metal (muitas vezes descartados), geralmente alto para proteger a brasa do vento, evitando o consumo rápido do carvão.
  • Mangueira (condutor): é por onde se aspira a fumaça. Uma ponta termina numa piteira, e a outra encaixa-se na parte superior do corpo do narguilé (acima da água). Pode haver mais de uma mangueira para que várias pessoas fumem juntas (porém estes com válvulas especiais, ou do contrário os usuários não poderão "puxar" a fumaça simultaneamente). Em narguilés usados em locais públicos como bares, frequentemente usa-se uma peça plástica removível na ponta da piteira que pode ser lavada ou descartada a cada uso, ao contrário da mangueira em si, que não deve nunca ser lavada, pois pode oxidar, criando, assim, partículas de fuligem que atrapalham a aspiração da fumaça.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

Diagrama de funcionamento do narguilé

Quando se aspira o ar pela mangueira, reduz-se a pressão no interior da base: isso faz com que ar aquecido pelo carvão passe pelo tabaco (essência), produzindo a fumaça. Ela desce pelo corpo até a base e passa pela água, onde é resfriada e filtrada, retendo-se as partículas sólidas. A fumaça segue pela mangueira até ser aspirada pelo usuário e expirada logo em seguida.

Fumo[editar | editar código-fonte]

Conhecido popularmente como essência, o fumo para narguilé é feito com tabaco, melaço (um subproduto do açúcar) e frutas ou aromatizantes. Os aromas são bastante variados: encontra-se de frutas (como pêssego, maçã verde, coco), flores, mel e até mesmo coca-cola, vinho e Red Bull. Também é possível encontrar essências não aromatizadas, embora estas progressivamente tenham perdido espaço para as aromatizadas, que, hoje, são muito mais populares.

Limpeza[editar | editar código-fonte]

A limpeza de um narguilé deve ser feita com aparatos especiais, facilmente encontrados em lojas especializadas. Contudo, é possível fazer a manutenção do narguilé utilizando ar comprimido nas peças individuais, como a mangueira. Não é recomendado utilizar água para a limpeza.

Presença na cultura[editar | editar código-fonte]

No livro Alice no País das Maravilhas, a personagem da lagarta azul aparece fumando um narguilê.[5]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Narguilé

Referências

  1. «Significado / definição de narguilé». Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Priberam. Consultado em 2015-12-13. 
  2. «Definição ou significado de narguile no Dicionário da Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico». Consultado em 2016-08-28. 
  3. «São Vicente: Fumar Xixa uma moda perigosa - Notícias do Norte». Notícias do Norte. Consultado em 2015-12-13. 
  4. Random House Webster's Unabridged Dictionary; Random House: 1999
  5. Carroll, Lewis. Alice no País das Maravilhas (versão traduzida por Clélia Regina Ramos), Capítulos 4 e 5.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Fumo