Nas Garras da Patrulha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Nas Garras da Patrulha
Informação geral
Formato Sitcom
Gênero Comédia de costumes
Duração Até 20 minutos
Até 50 minutos (reprises semanais)
Criador(es) Paulo Lélis
Desenvolvedor(es) Mansueto Barbosa
País de origem Brasil
Idioma original Português brasileiro
Produção
Diretor(es) Marcos Belmino (2001-2007)
Marco Antônio Oliveira (2007-2009)
Mariana Carvalho (2009-2015)
Willy Marques (2015-2016)
Fábio Nobre (desde 2016)
Produtor(es) Eline Germano
Produtor(es) executivo(s) Fábio Nobre
Editor(es) Joaquim Filho
Câmera Ednaldo Silva
Francisco Eledilson
Roteirista(s) Cícero Paulo
Samuel Ferraro
Vozes de Cléber Fernandes
Djacir Oliveira
Ery Soares
Will Ferrari
Narrador(es) Paulo Lélis (2001-2008)
Elenco Manipuladores:
Ângela Escudeiro
Ivanildo Pereira
Francisco Cleomir
Renato Severo
Tema de abertura "Clowntime", Network Music Ensemble (desde 2016)
Tema de encerramento "Kitchen Sink", Network Music Ensemble (desde 2013)
Empresa(s) de produção Circo Tupiniquim (2001-2015)
Localização Fortaleza, Ceará
Exibição
Emissora de televisão original TV Diário
Formato de exibição 480i (SDTV) (2001-2015)
1080i (HDTV) (desde 2015)
Formato de áudio Estéreo
Transmissão original março de 2001 – presente
Cronologia
Programas relacionados Autarquias do Humor

Nas Garras da Patrulha é um programa de televisão brasileiro humorístico produzido e exibido pela TV Diário desde março de 2001, com autoria de Paulo Lélis e redação de Cícero Paulo e Samuel Ferraro.[1] É baseado no programa radiofônico homônimo transmitido pela Rádio Verdes Mares de Fortaleza,[2] que por sua vez foi inspirado no Patrulha Policial, transmitido pela AM do Povo, na década de 1980.[3] Devido ao sucesso no rádio, Mansueto Barbosa, então superintendente do Sistema Verdes Mares, teve a ideia de levar o programa para a televisão.[4]

O programa utiliza como estruturas principais, uma linguagem ligeiramente nordestina e esquetes inspirados no cotidiano da população, que são compostas por bonecos como personagens para dar o ar da graça.[2][5] O personagem "Coxinha", dublado inicialmente pelo humorista Hiran Delmar,[6] tornou-se uma febre em todo o Brasil, e virou uma gíria corrente para designar o amigo falso.

Do programa, se originou um spin-off, Autarquias do Humor, criado pelo ex-integrante do programa Hiran Delmar.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Na década de 1980, a AM do Povo estreou o programa Patrulha Policial, criado pelo jornalista e radialista Tertuliano Siqueira. O programa caiu na boca dos fortalezenses, e embarcando nesse sucesso, Paulo Lélis e uma equipe de radioatores criou o programa Nas Garras da Patrulha,[quando?] transmitido pela Rádio Verdes Mares, que consistia em esquetes de personagens fixos feitos por Wellington Muniz, Hiran Delmar, Hiramisa Serra, Nezinho do Jegue, Tom Cavalcante, Cléber Fernandes e Djacir Oliveira (os dois últimos estão no programa até hoje). O formato era policial e reunia histórias de vários cearenses, ora fossem verídicas, ora fossem inventadas. Os personagens também foram inspiradas em pessoas da vida real, como o "Seu Otacílio", que foi baseado no pai de Cléber Fernandes.

O programa logo virou um sucesso, fazendo inclusive com que o então superintendente do Sistema Verdes Mares, Mansueto Barbosa, decidisse levá-lo até a tela da TV Diário, por volta de março de 2001. Segundo a publicação da revista Tela Viva no ano 2000, o transmissor de sinal da emissora era tão potente, que cobria um raio de 200 km, sendo umas das mais potentes emissoras do país, com planos de entrar no satélite no mesmo ano. No entanto, os planos foram adiados para 2001, ano de estreia do programa. Depois disso, a audiência e preferência se agigantaram no Ceará e no Brasil, e os personagens, volta e meia ficaram conhecidos pelo público, principalmente a dupla Coxinha e Doquinha, na qual este primeiro falava mal dos outros pelas costas, mas na frente, só elogiava. Por esse motivo, o nome do personagem acabou se tornando uma expressão para designar o "amigo falso". O sucesso fez com que o programa faturasse muito anunciando empresas e produtos de abrangência regional, garantindo um bom retorno financeiro para a emissora.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Tendo como gênero a comédia de costumes, o programa trata dos mais variados assuntos, nos quais, querendo ou não, os cearenses vivenciam. E para que sejam retratados, foram criados personagens específicos para cada situação: Coxinha (representando a hipocrisia), Tizil (representando a falta de sorte), Chico Pezão (representando o futebol), Tabosa (representando os problemas do alcoolismo), Cornélio (representando os problemas no casamento), Dudu Gasguito (representando a enganação), entre vários outros que não tem participação fixa, mas que ainda sim, são lembrados. As vozes de todos os personagens são feitas por apenas quatro radialistas. São eles: Cléber Fernandes, Djacir Oliveira, Ery Soares e Will Ferrari.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

  • Coxinha (Ery Soares) - Sempre que Francisco Coxa da Silva (mais conhecido como Coxinha) está na frente de alguém, elogia demonstrando um imenso orgulho, mas assim que se distancia, começa a falar algumas verdades e passa a "tesourar" a mesma, falando mal dela pelas costas para o seu fiel amigo, Doquinha.
  • Tabosa (Cléber Fernandes) - Casado com Francione, Tabosa raramente se encontra em seu estado normal, pois está sempre bebendo, junto com seu amigo Panelada, no bar do Seu Antônio. Exagera tanto na dose, que afeta sua inteligência, sem falar coisa com coisa, mas apesar disso, não deixa de ser malandro.
  • Cornélio (Cléber Fernandes) - Morador do José Walter, Cornélio é casado com Gilda, na qual fala ser seu amor de toda a vida, quando na verdade, está o traindo com Chicão, que mora na mesma casa do "casal", dizendo ser primo de Gilda. Apesar de toda a verdade estar debaixo de seu nariz, Cornélio consegue ser mais ingênuo do que nunca, fazendo com que os moradores de seu bairro comentem sobre sua vida.
  • Chico Pezão (Cléber Fernandes) - Aparentando ser o único craque conhecido do Mulambo Futebol Clube, Chico Pezão segue, ao pé da letra, as orientações passadas pelo seu técnico, o professor das Chagas, o que causa estranhamento nos torcedores e no repórter Caucaia, que o considera um ídolo.
  • Tizil (Ery Soares) - Recebendo indultos de datas especiais, Tizil aproveita para armar algum plano enquanto está fora do presídio, e na maioria das vezes, apronta na companhia de seu parceiro, Boca de Pinico. Mas por causa de alguns erros, acaba se dando mal - ora apanha da polícia, ora se machuca feio, mas o destino do malaca é o mesmo: o presídio, esperando outro indulto para tentar se dar bem na vida.
  • Dudu Gasguito (Ery Soares) - Com já se diz em seu nome, Dudu é um menino falador e que irrita a todos que estão à sua volta, fazendo graça com a cara dos outros, tentando tirar dinheiro de seus pais na maior chantagem e fazendo charadinhas para o seu avô.
  • Seu Otacílio (Cléber Fernandes) - Um dos funcionários menos eficientes da empresa de seu chefe, Seu Otacílio é preguiçoso e mulherengo, pois não trabalha como deveria, e está sempre dando em cima de uma mocinha especial, mas a competente assessora Dona Maria do Carmo fica de olho no velho para não fazer besteira e irritar o chefe, que já é bastante bravo.
  • Deputado Prometeu (Cléber Fernandes) - Político queixudo, Deputado Prometeu faz passeatas pelos bairros mais carentes, junto de seu assessor Mundico, e finge que está com a população desses bairros, quando na verdade, quer ganhar votos para ser eleito com mais facilidade. Mas isso nem sempre é possível, já que passa mais tempo no presídio do que nas ruas.

Antigos[editar | editar código-fonte]

A maioria dos personagens antigos que saíram do programa foram criados por Hiran Delmar, e depois de sua saída, os mesmos personagens, consequentemente, saíram do ar. O único que não saiu até hoje do programa foi o personagem Coxinha, pois o humorista autorizou que a dublagem de seu personagem fosse feita por Ery Soares. Os outros personagens foram substituídos por outros com as mesmas características, e foram revividos no spin-off do Garras, Autarquias do Humor.

  • Professor Décio Rolla - Intelectual da cultura cearense, Professor Décio Rolla debatia, junto com Paulo Lélis, os mais variados assuntos, mas Paulo não perdia a oportunidade de fazer graça com o professor.
  • Bebel do Jereissati - Morador do Jereissati, Bebel é casado com Lora Jany, e tem o folgado Ricardo como seu sócio na oficina, mas ele e Lora Jany o traem constantemente por trás de suas costas. Sua consciência até que tenta, mas não consegue abrir os olhos de Bebel para a realidade.
  • Zunim Zoião
  • Delegado Francisco Militante
  • Bia Sflyte

Quadros[editar | editar código-fonte]

  • História do Dia - Quadro onde são representadas histórias de personagens aleatórios, geralmente envolvendo uma situação que precisa ser resolvida.
  • Show do Elenilson Júnior - Se dizendo o rei das mulheres, Elenilson Júnior apresenta seu programa na rádio Cabaço FM, trazendo músicas que ninguém pede, ligações de ouvintes, sorteios, e interpretações de sonhos com Dona Help.
  • Me Ajude que eu te Ajudo - Nesse quadro, os pastores ajudam os mais necessitados a mudar para uma vida melhor.

Webséries[editar | editar código-fonte]

Desde o ano de 2015, o programa produz histórias anuais para os internautas, as conhecidas webséries. São elas:

  • Os Amigos do Coxinha - Os episódios — gravados com câmera escondida — têm como protagonista a maior autarquia cearense, o famoso Coxinha, que recebe ligações de amigos importantes e personalidades cearenses e "tesoura" todo mundo pelas costas. Seus episódios eram lançados logo após a exibição do programa, às 20h00, no site oficial do programa, e foram exibidos entre 7 de setembro e 9 de novembro de 2015.
  • Tizil e a Máquina do Tempo - Tizil encontra uma máquina do tempo e, curioso, entra, dando início a uma viagem hilária e cheia de controvérsias. Ele volta no tempo e participa de acontecimentos históricos, sempre sem perceber a dimensão de suas peripécias. A cada parada, uma aventura é vivida pelo personagem. Seus episódios eram lançados às 10h00, no site oficial do programa, e foram exibidos entre 21 de março e 23 de maio de 2016.
  • A Impostora - Danduska Tsunami revela no programa de João Hilário Júnior vários segredos guardados há muito tempo, mas um surpreendeu bastante: ela tinha uma irmã gêmea desaparecida. No entanto, uma depreciadora sua, que invejava todo o seu sucesso, se aproveitando da revelação, se passa por sua irmã gêmea. Para isso, ela se auto-nomeia Danduska Maremoto, mas agora tenta tomar a qualquer custo tudo o que Tsunami conquistou. Seus episódios foram lançados às 19h00, no site oficial do programa, e foram exibidos entre 24 de maio e 26 de julho de 2017.

Audiência[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a audiência do programa - só em Fortaleza - pode chegar a 3,98 pontos, sendo claramente arredondado para 4. Considerando que, no Kantar IBOPE Media, cada ponto na cidade (desde o dia 1 de janeiro de 2017) se refere a 11.300 residências e 34.900 telespectadores individuais, pode-se afirmar que o Garras é assistido em 45.200 domicílios fortalezenses e visto por 139.600 pessoas. O próprio instituto considera que esses dados têm tudo para oscilarem positivamente. Ao contrário do que se pensa, não é um fracasso, mas sim um grande feito, tendo em vista que concorrentes como NordesTV e RedeTV!, no mesmo horário, faixa nobre e importantíssima para o volume de anunciantes, registram índices que variam de 0,3 a 1,5 ponto.[8]

Reformulação do programa em 2015[editar | editar código-fonte]

Após 14 anos confeccionando e manipulando o elenco de bonecos, a equipe do Circo Tupiniquim é demitida pela TV Diário, sem justa causa, no ano de 2015. Mas o que chocou o diretor do teatro de bonecos, Omar Rocha, foi o fato de o programa ter continuado no ar, mesmo sem a presença de seus bonecos. Inicialmente, a própria emissora explicou que a entrada no sinal digital teria motivando a brusca mudança. Vista a imediata reação negativa do público para com os novos bonecos, a emissora solicitou a cópia de silhuetas de alguns personagens antigos do Circo Tupiniquim. Omar Rocha afirma que, antes disso, resolveu não se manifestar, mas assim que viu que a emissora copiou suas criações, veio a público nas redes sociais pedindo uma ação de denúncia contra o programa. Ele afirma que devam ser respeitados os direitos de autor, e considera que a emissora está fazendo uma "apropriação indébita de seus bonecos".[9]

Atualmente, o programa tem, ao todo, 20 bonecos que foram confeccionados por Zilda Torres, que também confeccionou o personagem Encrenca, do programa Botando Boneco, exibido nos anos 90 pela TV Jangadeiro. O personagem era manipulado por Augusto Bonequeiro.

Especiais[editar | editar código-fonte]

  • A Encalhada (5 de julho a 25 de agosto de 2011)
  • Semana da Pátria: Especial Dia de Independência com Coxinha (7 de setembro de 2011)
  • Especial de Natal I (25 de dezembro de 2011)
  • Dia do Nordestino I (8 de outubro de 2012)
  • Semana da Pátria: Peripécias de Tizil (2 a 6 de setembro de 2013)
  • Dia do Nordestino II (8 de outubro de 2013)
  • Especial de Natal II (25 de dezembro de 2013)
  • Dia do Nordestino III (8 de outubro de 2015)
  • Especial de Natal III (25 de dezembro de 2015)
  • Nas Garras da Patrulha - Ao Vivo (19 de setembro e 6 de dezembro de 2016)
  • Hilário Eleitoral Gratuito/Horário Eleitoral Arrendado (época de eleições)

Referências

  1. «Fenômeno de audiência no Brasil, Nas Garras da Patrulha também na NET em novembro». Fofoki. 27 de setembro de 2012 
  2. a b «Dose dupla de sucesso». Diário do Nordeste 
  3. Nonato Albuquerque (21 de novembro de 2014). «RÁDIO. Djacir Oliveira, um fenômeno do rádio humorístico». Gente de Mídia. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  4. Neno Cavalcante (30 de dezembro de 2004). «É... - Caderno 3 - Diário do Nordeste». Diário do Nordeste. Consultado em 14 de agosto de 2017. Veja a seção Leitorado 2. 
  5. Ricardo Sabóia. «Nas Garras da Patrulha». Overmundo 
  6. Alguiberto Morais. «Humorista Hiran Delmar apresentará o espetáculo "As Autarquias do Humor" em Apodi». Serra de Luís Gomes 
  7. «Autarquias do Humor estreia Hoje na Tv Meio Norte ás 17:30». Ingresso Sky. 11 de julho de 2011 
  8. Allisson Marques (27 de março de 2017). «IBOPE: saiba quais os 10 programas mais assistidos da TV Diário». Blog do Allisson Marques 
  9. Nonato Albuquerque (11 de novembro de 2016). «TV. Bonequeiro entra com ação contra 'Garras da Patrulha'». Gente de Mídia. Consultado em 3 de novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]