Nas Garras da Patrulha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Nas Garras da Patrulha
Informação geral
Formato Sitcom
Gênero Comédia de costumes
Duração Até 20 minutos
Criador(es) Paulo Lélis
Desenvolvedor(es) Mansueto Barbosa
País de origem  Brasil
Idioma original (português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Marcos Belmino (2001-2007)
Marco Ant'Oliveira (2007-2009)
Mariana Carvalho (2009-2015)
Willy Marques (2015-2016)
Fábio Nobre (desde 2016)
Produtor(es) Eline Germano
Produtor(es) executivo(s) Fábio Nobre
Editor(es) Joaquim Filho
Câmera Ednaldo Silva
Francisco Eledilson
Roteirista(s) Cícero Paulo
Samuel Ferraro
Vozes de Cléber Fernandes
Djacir Oliveira
Ery Soares
Will Ferrari
Hiran Delmar
Narrador(es) Paulo Lélis (2001-2008)
Elenco Manipuladores:
Angela Escudeiro
Ivanildo Pereira
Francisco Cleomir
Renato Severo
Empresa(s) de produção Circo Tupiniquim (2001-2015)
Localização Fortaleza, Ceará
Exibição
Emissora de televisão original TV Diário
Formato de exibição 480i (SDTV) (2001-2015)
1080i (HDTV) (desde 2015)
Transmissão original março de 2001 – presente
Cronologia
Programas relacionados Autarquias do Humor

Nas Garras da Patrulha é um programa de televisão brasileiro humorístico produzido e exibido pela TV Diário desde março de 2001, com autoria de Paulo Lélis e redação de Cícero Paulo e Samuel Ferraro.[1] É baseado no programa radiofônico homônimo transmitido pela Rádio Verdes Mares de Fortaleza.[2] Devido ao sucesso no rádio, Mansueto Barbosa, então superintendente do Sistema Verdes Mares, teve a ideia de levar o programa para a televisão.[3]

O programa utiliza como estruturas principais, uma linguagem ligeiramente nordestina e esquetes inspiradas no cotidiano da população, que são compostas por bonecos como personagens para dar o ar da graça.[2] O programa utiliza bonecos como personagens para realçar a graça para o público.[4] Um personagem "Coxinha", dublado inicialmente pelo humorista Hiran Delmar, [5] tornou-se uma febre em todo o Brasil, e virou uma gíria corrente para designar o amigo falso.

Do programa, se originou um spin-off, o Autarquias do Humor, criado pelo ex-integrante do programa Hiran Delmar.[6]

História[editar | editar código-fonte]

O programa estreou originalmente na Rádio Verdes Mares[quando?], sendo criado para entreter quem ainda não tinha televisão, com esquetes de personagens fixas e uma grande equipe de locutores, como Wellington Muniz, Hiran Delmar, Hiramisa Serra, Nezinho do Jegue, Tom Cavalcante, Cléber Fernandes e Djacir Oliveira (sendo que estes dois últimos estão no programa até hoje). O formato era policial e reunia histórias de vários cearenses, ora fossem verídicas, ora fossem inventadas. As personagens também foram inspiradas em pessoas da vida real, como o "Seu Otacílio", que foi baseado no pai de Cléber Fernandes.

O programa logo virou um sucesso, fazendo inclusive com que o então superintendente do Sistema Verdes Mares, Mansueto Barbosa, decidisse levá-lo até a tela da TV Diário, por volta de março de 2001. Segundo a publicação da revista Tela Viva no ano 2000, o transmissor de sinal da emissora era tão potente, que cobria um raio de 200 km, sendo umas das mais potentes emissoras do país, com planos de entrar no satélite no mesmo ano. No entanto, os planos foram adiados para 2001, ano de estreia do programa. Depois disso, o sucesso do programa explodiu em audiência e preferência no Ceará e no Brasil inteiro, e as personagens, volta e meia ficaram conhecidos pelo público, principalmente a inseparável dupla Coxinha e Doquinha.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Tendo como gênero a comédia de costumes, o programa trata dos mais variados assuntos, nos quais, querendo ou não, os cearenses vivenciam. E para que sejam retratados, foram criados personagens específicos para cada situação: Coxinha (representando a hipocrisia), Tizil (representando a falta de sorte), Chico Pezão (representando o futebol), Tabosa (representando os problemas do alcoolismo), Cornélio (representando os problemas no casamento), Dudu Gasguito (representando a enganação), entre vários outros que não tem participação fixa, mas que ainda sim, são lembrados. As vozes de todos os personagens são feitas por apenas quatro radialistas. São eles: Cléber Fernandes, Djacir Oliveira, Ery Soares e Will Ferrari.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

Apresentadores
  • Zé Brasil (Will Ferrari) - Apresentador do programa, formado na Faturu - Faculdade de Tururu, é conhecido por carregar um sotaque diferenciado e uma voz ligeiramente grave. Junto de seus convidados, Seu Grossélio e Raimundo Doido, ele debate várias notícias inusitadas, sejam elas de interesses regionais, nacionais ou internacionais.
  • Seu Grossélio (Ery Soares) - Faz jus ao seu nome, pois é um sujeito grosso que não gosta de moleza e se irrita facilmente. Ele é comentarista do programa junto com Raimundo Doido e Zé Brasil.
  • Raimundo Doido (Cléber Fernandes) - Raimundo Doido faz jus ao dito "lugar para dar doido é rádio e televisão", pois fala o que vem ou não da sua cabeça e precisa tomar remédios para se livrar de sua loucura, confundindo tudo o que ouve por aí.
  • Elenílson Jr. (Cléber Fernandes) - O maior gostosão da "Cabaço FM", com seu programa sempre apresentado às 4 e 15, e tem quadros como o "Inpernetração de Sonhos com Dona Help" e "As Menos Menos" com as músicas menos pedidas da hora.
  • Danduska Tsunami (Cléber Fernandes) - Apresenta o quadro "Aulas de Etiquetas", onde vive alertando quem deve sair da linha da "mundiça", para se comportar diante de tudo e de todos. Antes de apresentar o quadro, Danduska cortava cabelo, profissão na qual Coxinha "elogiava".
  • Seu Silvo (Ery Soares) - Parodiando Silvio Santos, o "patrãozinho lindo" apresenta o Show do Caduco, que dá prêmios para o único convidado, Seu Arigóis. Vive confundindo a emissora em que se apresenta e o nome de seu assistente, Roque.
Fixos
  • Francisco Coxa "Coxinha" da Silva (Ery Soares) - Amigo inseparável de Doquinha, Coxinha é uma pessoa que vive falando mal dos outros pelas costas, mas quando está na frente da pessoa, muda totalmente o discurso, ou seja, passa a elogiar a mesma.
  • Cornélio (Cléber Fernandes) - Casado com Gilda, que foi salva do "portão preto" para ser o amor de sua vida, Cornélio mora no bairro do José Walter. Ele acha que junto de Gilda é o homem mais feliz do mundo, mas não é o que circula em seu bairro. Chicão que é (ou não) primo de Gilda sempre está tentando "dar o grau" nela, mas Cornélio é alertado com um telefonema e os pega no flagra, mas ainda sim com a verdade na sua frente, seu pensamento é sempre positivo em relação a sua amada.
  • Chico Pezão (Cléber Fernandes) - É o craque do "Mulambo Futebol Clube", time que disputa a fictícia 5ª divisão do futebol cearense. Iniciou sua carreira futebolística como gandula no campo "Calouros do Ar". No entanto, é um burro, seguindo ao pé da letra todas as orientações do professor Das Chagas. Antes de entrar para o futebol, Chico Pezão não tinha nada; hoje não tem coisa nenhuma.
  • Haroldinho (Ery Soares) - É o típico "barriga banca"; mandado pela mulher. Sempre que recebe um convite para sair com os amigos, a esposa o barra.
  • Tabosa (Cléber Fernandes) - "Quer frescar, fresque, mas não fique frescando não", essa é a frase dita pelo personagem mais gaiato do "Garras". Casado com Francione, vive prometendo que vai parar de beber, mas sempre pode ser encontrado no Bar do Seu Antônio.
  • Atendente (Cléber Fernandes) - A atendente faz de tudo para o cliente desistir de cancelar o serviço; reencaminha a ligação, demora de mais para atender ou passa a chamada para a atendente virtual.

Antigos[editar | editar código-fonte]

A maioria dos personagens antigos foram feitos por Hiran Delmar, mas foram retirados pelo fato do humorista também ter saído do programa. O único que não saiu até hoje do programa foi o personagem Coxinha, que hoje é dublado por Ery Soares.

  • Professor Décio Rolla (atual Seu Grossélio)
  • Bebel do Jereissati (atual Cornélio)
  • Zunim Zoião (atual Dudu Gasgito)
  • Delegado Francisco Militante (atual Delegado Francisco Acerola)
  • Bia Sflyte (atual Danduska Tsunami)

Quadros[editar | editar código-fonte]

  • História do Dia - Nesse quadro, as mais variadas histórias do cotidiano dos personagens.
  • Tizil - O apresentador e camelô Marcelo Revende conta as histórias do "azalado" (sic) Tizil recebendo indultos ou tentando fugir do presídio toda quarta-feira, 10 da manhã.
  • Bola Furada - O repórter Caucaia entrevista Chico Pezão no meio de uma partida, para perguntar as besteiras do Mulambo Futebol Clube dentro de campo.
  • Cabaço FM - Nessa rádio, são apresentados os quadros de Elenilson Jr. - O Gostosão e Fala que eu te Ovo com Pastor e Pastor Alemão.
  • Show do Caduco
  • A Piada do Dia - Nesse quadro, o cotidiano dos cearenses é apresentado em segundos com muito humor.
  • As Gargalhadas - Esquetes e piadas do programa estão reunidas no quadro que é exibido de segunda à sexta, logo após o Jornal do Meio-Dia, na TV Diário.

Webséries[editar | editar código-fonte]

Desde o ano de 2015, o programa produz histórias anuais para os internautas, as conhecidas webséries. São elas:

  • Os Amigos do Coxinha - Os episódios — gravados com câmera escondida — têm como protagonista a maior autarquia cearense, o famoso Coxinha, que recebe ligações de amigos importantes e personalidades cearenses e "tesoura" todo mundo pelas costas. Seus episódios eram lançados logo após a exibição do programa, às 20h00, no site oficial do programa, e foram exibidos entre 7 de setembro e 9 de novembro de 2015.
  • Tizil e a Máquina do Tempo - Tizil encontra uma máquina do tempo e, curioso, entra, dando início a uma viagem hilária e cheia de controvérsias. Ele volta no tempo e participa de acontecimentos históricos, sempre sem perceber a dimensão de suas peripécias. A cada parada, uma aventura é vivida pelo personagem. Seus episódios eram lançados às 10h00, no site oficial do programa, e foram exibidos entre 21 de março e 23 de maio de 2016.
  • A Impostora - Danduska Tsunami revela do programa de João Hilário Júnior vários segredos guardados há muito tempo, mas um surpreendeu bastante: ela tinha uma irmã gêmea desaparecida! No entanto, uma depreciadora sua, que invejava todo o seu sucesso, se aproveitando da revelação, se passa por sua irmã gêmea. Para isso, ela se auto-nomeia Danduska Maremoto, mas agora tenta tomar a qualquer custo tudo o que Tsunami conquistou. Seus episódios são lançados às 19h00, no site oficial do programa, e foram exibidos entre 24 de maio e 26 de julho de 2017.

Audiência[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a audiência do programa - só em Fortaleza - pode chegar a 3,98 pontos, sendo claramente arredondado para 4. Considerando que, no Kantar IBOPE Media, cada ponto na cidade (desde o dia 1 de janeiro de 2017) se refere a 11.300 residências e 34.900 telespectadores individuais, pode-se afirmar que o Garras é assistido em 45.200 domicílios fortalezenses e visto por 139.600 pessoas. O próprio instituto considera que esses dados têm tudo para oscilarem positivamente. Ao contrário do que se pensa, não é um fracasso, mas sim um grande feito, tendo em vista que concorrentes como NordesTV e RedeTV!, no mesmo horário, faixa nobre e importantíssima para o volume de anunciantes, registram índices que variam de 0,3 a 1,5 ponto.[7]

Reformulação do programa em 2015[editar | editar código-fonte]

Depois de 14 anos zelando o trabalho para entreter o público, o consagrado Circo Tupiniquim deixa de confeccionar e manipular os bonecos do Garras, desde o dia 6 de abril de 2015. Inicialmente, a própria TV Diário publicou um comentário no YouTube motivando a mudança, que ficou por conta da era digital da emissora. Mas isso foi logo desmentido por Omar Rocha, diretor do Circo Tupiniquim. Ele comenta que quando o contrato de produção vencesse, a emissora não teria como pagar e por isso, demitiu a equipe, e que para confeccionar os novos bonecos, tinha chamado Zilda Torres (que também confeccionou o personagem Encrenca para o "Botando Boneco", da TV Jangadeiro exibido nos anos 90).

Especiais[editar | editar código-fonte]

  • A Encalhada (5 de julho a 25 de agosto de 2011)
  • Semana da Pátria: Especial Dia de Independência com Coxinha (7 de setembro de 2011)
  • Especial de Natal I (25 de dezembro de 2011)
  • Dia do Nordestino I (8 de outubro de 2012)
  • Semana da Pátria: Peripécias de Tizil (2 a 6 de setembro de 2013)
  • Dia do Nordestino II (8 de outubro de 2013)
  • Especial de Natal II (25 de dezembro de 2013)
  • Dia do Nordestino III (8 de outubro de 2015)
  • Especial de Natal III (25 de dezembro de 2015)
  • Nas Garras da Patrulha - Ao Vivo (19 de setembro de 2016)
  • Hilário Eleitoral Gratuito/Horário Eleitoral Arrendado (época de eleições)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]