Nat Turner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nat Turner
Turner (na esquerda) sendo encontrado.
Conhecido(a) por Rebelião de escravos de Nat Turner
Nascimento 2 de outubro de 1800
Condado de Southampton, Estados Unidos
Morte 11 de novembro de 1831 (31 anos)
Jerusalém, Virgínia, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americano
Etnia Afro-americano
Cônjuge Cherry
Causa da morte Executado por enforcamento

Nat Turner (2 de outubro de 1800 – 11 de novembro de 1831) foi um escravo americano que liderou uma rebelião de escravos e negros livres no Condado de Southampton, na Virgínia (no leste dos Estados Unidos), em 21 de agosto de 1831, que resultou na morte de 55 a 65 brancos. Em retaliação, milícias e gangues de brancos mataram mais de 200 negros no processo de sufocar a revolta (e depois executaram mais 50).[1]

Turner nasceu escravo e passou sua infância e adolescência trabalhando em plantações. Extremamente religioso, ele afirmava receber visões de Deus. Passava muito tempo pregando e lendo a bíblia para outros escravos, e chegou a receber o apelido de "O Profeta". Assim, de certo modo, a rebelião que ele iria liderar era, na sua interpretação, uma ação orientada pelo divino. Um grande orador, Turner chegou a receber apoio de pessoas brancas também.[2]

A rebelião de escravos liderada por Turner começou em 21 de agosto de 1831 e terminou em fracasso. Centenas de pessoas foram mortas e outras dezenas foram capturadas e executadas na forca. Turner conseguiu evadir as autoridades por dois meses, mas foi encontrado, julgado e condenado a morte, sendo enforcado logo depois. Uma das respostas a esta revolta por parte dos governos estaduais foi a adoção de leis mais duras, mirando os afro-americanos (escravos ou libertos). Entre as medidas tomadas, estavam a proibição da educação para negros, restrição da liberdade de reunião para escravos libertos e proibição do direitos deles de terem armas e votar. Brancos também deveriam estar presentes em reuniões religiosas de negros.[3]

Nat Turner é lembrado em alta conta pela comunidade afro-americana e pelo movimento anti-escravagista, sendo reconhecido como um líder de resistência que levantou seu povo em revolta para a liberdade.[4]

Referências

  1. "Biography: Nat Turner - (1800–1831)". Página acessada em 13 de outubro de 2016.
  2. «Nat Turner's Rebellion». Africans in America. PBS. 1998. Consultado em 17 de julho de 2016. 
  3. Gray White, Deborah (2013). Freedom on my mind: A history of African Americans. [S.l.]: New York Bedford/St. Martin's. p. 225 
  4. Higginson, Thomas Wentworth. «Nat Turner's Insurrection: An account of America's bloodiest slave revolt, and its repercussions». The Atlantic. The Atlantic Monthly Group. Consultado em 20 de outubro de 2013. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.