National Security Archive

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A National Security Archive é uma instituição não governamental sem animo de lucro localizada na Universidade George Washington em Washington, DC nos Estados Unidos da América.

Fundada em 1985 por Scott Armstrong, esta instituição arquiva e publica os documentos desclassificados pelo Governo dos Estados Unidos relacionados com a política exterior de dito país. O arquivo recoleta e analisa os documentos de várias instituições do governo obtidas graças à Lei de Liberdade de Informação (Freedom of Information Act).O arquivo seleciona-os para fazê-los públicos em forma de manuscritos e microfichas, ao mesmo tempo em que os publica na sua página web, que recebe cerca de meio milhão de descarregas diárias.[1]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Segundo o coronel da Força Aérea dos EUA Robert Chandler, em seu livro Shadow World, a National Security Archive é um braço do think-thank de esquerda Institute for Policy Studies, operando sob a fachada da Universidade George Washington. Sua função seria a de garimpar os arquivos dos acervos do governo americano para expor ao público um mosaico de informações com lacunas e dados inflados[2]. Peter Kornbluh, o diretor da ONG, manteve relações com sandinistas apoiados pela inteligência cubana durante a revolução nicaraguense nos anos 80[3]. Kornbluh é o personagem principal do documentário do jornalista Flávio Tavares, O Dia Que Durou 21 Anos, e é apresentado como o responsável por prover todos os documentos que comprovam a intervenção americana no Golpe de 1964. Flavio Tavares foi um terrorista que pertenceu à Ação Libertadora Nacional de Carlos Marighela e que, segundo os arquivos do Instituto para o Estudo dos Regimes Totalitários da República Tcheca, teria sido um agente recrutado pelo serviço secreto comunista da StB de codinome LENCO[4].

Financiadores[editar | editar código-fonte]

O National Security Archive é financiada por meio de doações de pessoas físicas e doações de ONGs como a Samuel Rubin Foundation, Carnegie Corporation de Nova York, a Fundação Ford, a Fundação William e Flora Hewlett, o John S. e James L. Knight Foundation, o John D. e Catherine T. MacArthur Foundation e a Open Society [5].

Referências

  1. Carlson, Peter (8 de maio de 2008). «Eyes Only: (redacted) - In Its (redacted) Offices, the National Security Archive Houses Stockpiles of (redacted), Gotten From the Government by (redacted)». The Washington Post. Consultado em 9 de maio de 2008. 
  2. Chandler, Robert (2008). Shadow World: Resurgent Russia, the Global New Left, and Radical Islam. Washington, DC: Regnery Publishing. 287 páginas. ISBN 978-1-59698-561-2 
  3. Powell, Scott Steven (1987). Covert Cadre: Inside the Institute for Policy Studies. New York: Green Hill Publishers. 425 páginas. ISBN 978-0915463398 
  4. Kraenski, Mauro; Petrilák, Vladimír (2017). 1964 O Elo Perdido. O Brasil nos arquivos do serviço secreto comunista. Campinas: Vide Editorial. 219 páginas. ISBN 978-85-9507-027-1 
  5. «Funders and Supporters» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]