Nawal al-Sa'dawi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nawal al-Sa'dawi
Nascimento 27 de outubro de 1931
Kafr Tahla (Reino do Egito)
Morte 21 de março de 2021 (89 anos)
Cairo
Residência Cairo
Cidadania Reino do Egito, República do Egito, República Árabe Unida, Egito
Cônjuge Sherif Hatata
Alma mater
Ocupação psiquiatra, médico escritor, ginecologista, romancista, política, escritora, ativista
Prêmios
  • Seán MacBride Peace Prize (2012)
  • Prêmio Stig Dagerman (2011)
  • Prêmio Norte-Sul (2004)
  • 100 Mulheres (2015)
  • Prêmio Internacional Catalunha (2003)
  • Doutor Honoris Causa da Universidade de St Andrews (1997)
  • Doutor honorário da Universidade Livre de Bruxelas (2007)
  • honorary doctor of the University of Tromsø
  • honorary doctor of the University of Chicago
Empregador Universidade Duke
Obras destacadas Woman at Point Zero, The Fall of the Imam
Religião Islão

Nawal al-Sa'dawi, (em árabe: نوال السعداوي, Nawāl as-Saʿdāwī) (Kafr Tahl, 27 de outubro de 193121 de março de 2021) foi uma escritora, médica, psiquiatra e feminista egípcia.[1]Escreveu muitos livros sobre o tema das mulheres no Islã, prestando especial atenção à prática da mutilação genital feminina em sua sociedade. Ela foi descrita como "a Simone de Beauvoir do mundo árabe".[2]

Ela foi fundadora e presidente da Associação de Solidariedade das Mulheres Árabes (AWSA) [3] e co-fundadora da Associação Árabe para os Direitos Humanos.[4] Ela recebeu graus honorários em três continentes. Em 2004, ganhou o Prêmio Norte-Sul do Conselho da Europa. Em 2005, ganhou o Prêmio Internacional Inana na Bélgica e em 2012, o International Peace Bureau concedeu-lhe o Prêmio Sean MacBride da Paz.[5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1931, em uma pequena vila nos arredores do Cairo, chamada Kafr Tahl,[6] nos arredores do Rio Nilo, no seio de uma tradicional família egípcia, e quando criança, sofreu mutilação genital feminina. Era a segunda entre os nove irmãos. Seu primeiro livro foi escrito com 13 anos de idade. Seu pai era um funcionário do governo, enquanto sua mãe vinha de uma família rica.[7]

Estudou medicina na Universidade do Cairo, onde graduou-se em 1955.[8]

Trabalhando como médica em Kafr Tahl pôde observar as dificuldades e desigualdades que enfrentavam as mulheres, em especial as camponesas. Depois de mostrar interesse em proteger as mulheres e tentar proteger uma de suas pacientes de violência doméstica, Sa'dawi foi enviada ao Cairo. Lá, conseguiu o cargo de diretora de Saúde pública e encontrou seu terceiro marido, Sherif Hetata, que havia sido preso político durante treze anos.[9]

Sa'dawi foi demitida do cargo no Ministério da Saúde como consequência de suas atividades políticas. Estas atividades também custaram-lhe os cargos de chefe de redação de um jornal de saúde da Secretaria Geral Adjunta da Associação Médica do Egito. Entre 1973 e 1976 trabalhou na investigação de neurose nas mulheres da África pela Universidade de Ain Shams, e entre 1979 e 1980 foi assessora das Nações Unidas para o Programa da Mulher Africana (CEP) e de Oriente Próximo (CEPA).

Vista como polêmica e perigosa pelo governo egípcio, Sa'dawi foi presa em setembro de 1981, junto com outros egípcios opostos aos acordos de Paz de Jerusalém do presidente Anwar al-Sadat. Foi liberada no ano seguinte, um mês depois do assassinato do presidente Sadat.

Em 1991, após receber ameaças de morte por parte de terroristas islâmicos, exilou-se nos Estados Unidos, onde passou a lecionar na Universidade de Washington. Em 1996 retornou ao Egito, onde continuou suas atividades em favor dos direitos da mulher, especialmente a partir de sua obra escrita.[10]

Em 2003 foi premiada pela Generalidade da Catalunha com o Prêmio Internacional Catalunha e em 2004 com o Prêmio Norte-Sur concedido pelo Conselho da Europa. Em 2010 outorgou-se com um doutorado Honoris causa pela Universidade Nacional Autônoma do México.

Morte[editar | editar código-fonte]

Nawal morreu em 21 de março de 2021, aos 89 anos de idade.[11]

Principais obras traduzidas em língua inglesa[editar | editar código-fonte]

  • Memoirs of a Woman Doctor (1958)
  • Women and sex (1969)
  • God Dies by the Nile and Other Novels (1974)
  • Woman at Point Zero (1975)
  • The Hidden Face of Eve: Women in the Arab World (1980)
  • Memoirs from the Women's Prison (1983)
  • The Fall of the Imam (1987)
  • Love in the Kingdom of Oil (1993)
  • Walking through Fire: The Later Years of Nawal El Saadawi, In Her Own Words (1998)
  • A Daughter of Isis: The Early Life of Nawal El Saadawi, In Her Own Words (2009)
  • Off Limits: New Writings on Fear and Sin (2019)

Referências

  1. «Nawal El Saadawi | Egyptian physician, psychiatrist, author and feminist». Encyclopedia Britannica (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2020 
  2. «Nawal El Saadawi -Egyptian physician, psychiatrist, author and feminist». Encyclopædia Britannica. Consultado em 7 de Fevereiro de 2018 
  3. «Arab Women's Solidarity Association United». Lokashakti. Consultado em 7 de Fevereiro de 2018 
  4. Nawal El Saadawi, "Presentation by Nawal El Saadawi: President's Forum, M/MLA Annual Convention, November 4, 1999", The Journal of the Midwest Modern Language Association 33.3–34.1 (Autumn 2000 – Winter 2001): 34–39.
  5. «International Peace Bureau». web.archive.org. 25 de setembro de 2015. Consultado em 9 de outubro de 2020 
  6. «Nawal El Saadawi». faculty.webster.edu. Consultado em 9 de outubro de 2020 
  7. Jasmine Taylor-Coleman (ed.). «Nawal El Saadawi: Feminist firebrand who dared to write dangerously». BBC. Consultado em 22 de março de 2021 
  8. «Nawal El Saadawi: Egypt's radical feminist». the Guardian (em inglês). 15 de abril de 2010. Consultado em 9 de outubro de 2020 
  9. Página personal de Nawal al-Sa'dawi.
  10. Reseña de su obra "La mujer que buscaba" (em castelhano).
  11. Saad, Mohammed (21 de março de 2021). «Renowned Egyptian feminist, writer Nawal El-Saadawi dies at the age of 89». Al-Ahram (em inglês). Consultado em 21 de março de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]