Ne me quitte pas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

"Ne me quitte pas" é uma canção francófona escrita pelo cantor e compositor belga Jacques Brel, publicada em 1959 pela Warner-Chappell.

Composição[editar | editar código-fonte]

Foi escrita em decorrer da separação de Brel e de Suzanne Gabriello e, ao longo das décadas, interpretada por muitos outros artistas em francês ou em versão em outros idiomas. A letra original foi escrita seguindo uma métrica.

Segundo Brel, a música não é sobre o amor, mas sobre a covardia dos homens.

Reprises e adaptações[editar | editar código-fonte]

A canção foi interpretada na versão original em francês por Simone Langlois, Frida Boccara, Nina Simone, Sylvie Vartan, Serge Lama, Nana Mouskouri (no álbum Hommages de 1997), Yuri Buenaventura (versão salsa, em 1999), Maysa, Estrella Morente, Cássia Eller, Maria Gadú, Brian Molko (vocalista do Placebo) e por Céline Dion (álbum Sans attendre). A interpretação de Simone Langlois (1959) foi possivelmente a primeira gravação: Brel teria dado a ela prioridade em gravar a primeira versão. [1].

Há outras versões de "Ne me quitte pas" nos mais diversos idiomas, algumas memoráveis são os títulos: "If you go away", "Don´t leave me", "Bitte, geh nicht fort", "Non andare via" (em língua italiana, interpretada por Dalida), "Não me vás deixar" (letra adaptada pelo poeta David Mourão-Ferreira) por Simone de Oliveira, "Não me Deixes Mais" por Fagner, "Se Você Partir" por Agnaldo Timoteo, e por Altemar Dutra, "Laat me niet alleen", "Al tilchi mikan", "Ne ovstavljaj me", "No me dejes", "No em deixis mai", dentre outras.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências