Neerja Bhanot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Neerja Bhanot
Imagem de Neerja Bhanot em um selo postal indiano de 2004
Conhecido(a) por Voo Pan Am 73
Nascimento 7 de setembro de 1963
Chandigarh, Índia
Morte 5 de setembro de 1986 (22 anos)
Karachi, Sindh, Paquistão
Nacionalidade Índia Indiana
Parentesco Rama Bhanot
Harish Bhanot
Ocupação Comissária de voo, Modelo
Prêmios Lista completa

Neerja Bhanot, AC, (Punjabi: ਨੀਰਜਾ ਭਨੋਟ; Hindi: नीरजा भनोट; Chandigarh, 7 de setembro de 1963Karachi, 5 de setembro de 1986)[1][2] foi uma modelo e comissária de voo da companhia aérea Pan American World Airways. Ela perdeu a vida tentando salvar passageiros no Voo Pan Am 73, que foi sequestrado por terroristas durante uma escala em Carachi, Paquistão, em 5 de setembro de 1986. Postumamente, ela se tornou a mais jovem receptora do prêmio mais alto de paz da Índia por bravura, o Prêmio Ashok Chakra. Sua vida e heroísmo inspiraram uma biografia lançada em 2016; Neerja, dirigido por Ram Madhvani. Ela foi baleada enquanto ajudava os passageiros a escapar pelas saídas de emergência.[2][3].

Vida e educação[editar | editar código-fonte]

Bhanot nasceu em Chandigarh, na Índia, mas cresceu em Mumbai, em uma família Punjabi.[4] Ela era filha de Harish Bhanot, jornalista de Mumbai e de Rama Bhanot. Ela tinha dois irmãos: Akhil e Aneesh Bhanot.[5] Recebeu educação adiantada na escola secundária sênior do coração sagrado em Chandigarh. Quando a família se mudou para Bombaim (mais tarde rebatizada para Mumbai), ela continuou seus estudos na Bombay Scottish School; e depois se formou no St. Xavier's College, em Mumbai.[1] Foi em Mumbai, onde ela foi vista pela primeira vez para um teste de modelagem que começou sua carreira de modelo.[6] Ela era uma grande fã do ator Rajesh Khanna e costumava se referir a citações de seus filmes ao longo de sua vida.[7]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Bhanot candidatou-se para um trabalho de comissário de bordo na Pan Am, quando em 1985 decidiu ter uma tripulação de cabine toda indiana para suas rotas de Frankfurt para a Índia. Após a seleção, ela foi para Miami para o treinamento como comissária de bordo, mas retornou como uma comissária de voo.[1][8] Ela também teve uma carreira de modelo bem sucedida simultaneamente durante seu trabalho na Pan Am.

Sequestro[editar | editar código-fonte]

Bhanot era Chefe de Cabine do voo Pan Am 73 que voava de Mumbai aos Estados Unidos, quando o avião foi sequestrado por quatro homens armados em 5 de setembro de 1986 no aeroporto de Karachi em Paquistão. A aeronave estava transportando 361 passageiros e 19 membros da tripulação. Os terroristas queriam voar para Chipre com o objetivo de libertar prisioneiros palestinos. Bhanot foi capaz de alertar a tripulação do cockpit assim que os sequestradores embarcaram no avião. Enquanto o avião estava no asfalto, a tripulação da cabine: o comandante, o co-piloto e o engenheiro de voo deixaram a aeronave através de uma escotilha da cabine. Como o membro mais antigo da tripulação da cabine, Bhanot assumiu a situação dentro do avião.[8][9][10]

Os sequestradores faziam parte da Organização Abu Nidal, uma organização terrorista apoiada pela Líbia; eles estavam alvejando americanos e ativos americanos. Nos primeiros minutos do sequestro, eles identificaram um cidadão americano, o arrastaram para a saída, o mataram e jogaram seu corpo no asfalto. Os terroristas então instruíram Bhanot a recolher os passaportes de todos os passageiros para que pudessem identificar os outros americanos a bordo. Ela e os outros atendentes sob seu encargo esconderam os passaportes de 41 americanos a bordo; alguns debaixo do assento e o resto por uma rampa de lixo para que os sequestradores não pudessem diferenciar passageiros americanos e não americanos.[8][9][11]

Após 17 horas, os sequestradores abriram fogo e dispararam explosivos. Bhanot abriu uma das portas do avião e começou a ajudar os outros passageiros a escapar. De acordo com um passageiro sobrevivente "ela estava guiando os passageiros para a saída de emergência,enquanto os terroristas estavam atirando constantemente. Eles viram Neerja tentando incansavelmente ajudar os passageiros a saírem e foi quando eles a pegaram pelo seu rabo de cavalo e atiraram contra ela."[12]Ela foi baleada enquanto protegia três crianças americanas de uma chuva de tiros dos terroristas. De um total de 41 passageiros americanos, dois foram mortos durante o sequestro. Uma criança sobrevivente que estava a bordo, então com sete anos de idade, hoje é capitão de uma grande companhia aérea e afirmou que Bhanot foi sua inspiração e que ele deve todos os dias de sua vida a ela.[13] Ela foi reconhecida internacionalmente como "a heroína do sequestro" e se tornou a mais jovem destinatária do Prêmio Ashok Chakra, o prêmio de galanteria mais prestigiado da Índia por bravura durante o tempo de paz.[8][9][10]

Além de salvar a vida de muitos reféns, Bhanot também ajudou a impedir que o avião saísse do solo. Postumamente recebeu concessões múltiplas pela sua coragem do governo dos Estados Unidos, e Tamgha-e-Insaniyat do Paquistão, um prêmio dado para mostrar a grande bondade humana.[9][14][15]

Identidade dos sequestradores[editar | editar código-fonte]

Os sequestradores eram membros da Organização Abu Nidal.[9] Todos os sequestradores foram presos pelas autoridades paquistanesas e enviados para a prisão. Em 2001, um deles, Zayd Hassan Abd Al-Latif Masud Al Safarini, foi libertado sob um acordo do Paquistão e capturado pelo FBI em Bangkok, na Tailândia, um dia depois. Um relatório da Associated Press de 2009 afirmou que quatro homens foram libertados depois de completarem a pena de prisão e deportados para os territórios palestinos contra o desejo do governo dos Estados Unidos, mas há ambiguidade sobre seus paradeiros.[16] O FBI então anunciou uma recompensa de US$ 5 milhões pela captura deles. Em janeiro de 2010, oficiais da inteligência paquistaneses anunciaram que um ataque com drone na região tribal do Waziristão do Norte matou um dos sequestradores libertados, Jamal Saeed Abdul Rahim. Sua morte nunca foi confirmada e ele permanece nas listas do FBI Most Wanted Terrorists e Rewards for Justice Program.[17][18]

Legado[editar | editar código-fonte]

"Sua lealdade aos passageiros do avião em perigo será para sempre um tributo duradouro às melhores qualidades do espírito humano".

—Ashok Chakra citation[1]

Por sua bravura, o Governo da Índia concedeu postumamente a Bhanot o Prêmio Ashoka Chakra, o mais alto da Índia, pela bravura contra um ataque durante o tempo de paz. Ela é a receptora mais jovem e a primeira mulher a receber este prêmio.[1][19][20] Em 2004, o Serviço Postal Indiano lançou um selo comemorativo dela.[21][22]

Após sua morte, sua família montou o Neerja Bhanot Pan Am Trust com dinheiro do seguro e uma contribuição igual da Pan Am. O Trust apresenta dois prêmios todos os anos, um para um membro da tripulação de voo, em todo o mundo, que age além do chamado de dever e outro, o Prêmio Neerja Bhanot, a uma indiana que diante da injustiça social, enfrentou corajosamente a situação e ajudou outras mulheres em sofrimento social semelhante. O prêmio inclui uma soma de INR 1,50,000 (aproximadamente $ 2,000 USD) um troféu e uma citação.[8][23][24]

O irmão de Bhanot, Aneesh, foi a Washington, DC., em 2005 para receber o "Prêmio Justiça para Crimes" concedido postumamente a ela como parte da Semana Anual de Direitos Criminais em uma cerimônia realizada no escritório do Procurador dos Estados Unidos no Distrito de Columbia.[25] Em 2006, ele e algumas tripulantes de voo Pan Am 73, juntamente com o diretor de vôo da Pan Am foram para o Paquistão e receberam o prêmio de Coragem Especial pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos.[15]

A Casa Bhanot da escola Austrey foi nomeada em sua honra.[26][27]

O Ministério da Aviação Civil da Índia concedeu uma honra a Bhanot em 18 de fevereiro de 2010, em Nova Deli, por ocasião do lançamento das comemorações do centenário da aviação indiana.

Em 2 de julho de 2016, o Prêmio Bharat Gaurav foi conferido a ela em uma cerimônia realizada na Câmara dos Comuns, Parlamento do Reino Unido, em Londres, Inglaterra.[28]

Vida pessoal e família[editar | editar código-fonte]

Bhanot teve um casamento arranjado em março de 1985 e juntou-se ao seu marido em Doha, Qatar. Entretanto, o casamento deteriorou-se logo após a pressão alegada do dote e retornou à casa dos seus pais em Mumbai dentro de dois meses.

Bhanot teve dois irmãos, Akhil e Aneesh. Seu pai, Harish Bhanot, trabalhou como um jornalista com The Hindustan Times por mais de 30 anos e morreu no Ano Novo de 2008 em Chandigarh, aos 86 anos. [29] Sua mãe morreu em 5 de dezembro de 2015, sobrevivendo assim sem sua filha por quase três décadas e seu marido por quase oito anos.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • The Neerja I Knew – um coffee table book conceituada por seu irmão Aneesh Bhanot e publicada como uma homenagem a Bhanot composta de vários capítulos escritos por pessoas que a conheciam.[30][31]
  • Neerja – um filme biográfico na indiana língua-hindi de drama de suspense 2016 escrito por Saiwyn Quadras ae dirigido por Ram Madhvani estrelando Sonam Kapoor no papel principal de "Head Purser" Neerja Bhanot.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Vij, Illa (13 de Novembro de 1999). «Brave in life, brave in death». The Tribune. Tribune Trust 
  2. a b «'I saw Neerja being shot in the head' - Times of India». The Times of India. Consultado em 3 de dezembro de 2016 
  3. Mohan, Megha (31 de março de 2016). «Inside a hijack: The unheard stories of the Pan Am 73 crew». BBC News (em inglês). Consultado em 3 de dezembro de 2016 
  4. «The glamorous lives of '80s air hostesses in India». Quartz 
  5. Avantika Bhuyan (5 de março de 2016). «It is incredible how blessed this project has been: Atul Kasbekar» 
  6. «'The Sky Was Her Limit». The Indian Express. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  7. «Neerja: A fond tribute to a forgotten hero». Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  8. a b c d e «The story of India's bravest flight attendant» 
  9. a b c d e «Neerja Bhanot – The Indian Flight Attendant Who Saved 360 Lives». The Better India 
  10. a b «The hijack heroine» 
  11. «MY STORY: I Survived the Pan Am Hijack During Which Neerja Bhanot Lost Her Life». The Better India (em inglês). 22 de fevereiro de 2016. Consultado em 3 de dezembro de 2016 
  12. «'I saw Neerja being shot in the head' - Times of India». Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  13. «Who is Neerja Bhanot & How Pan Am-73 flight was hijacked in Sept 1986?». www.oneindia.com. Consultado em 11 de dezembro de 2016 
  14. «Home». Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  15. a b c «Special Courage Awards: Pan Am Flight 73 flight attendants and the Pan Am Director for Pakistan». United States Department of Justice. Arquivado do original em 13 de março de 2008 
  16. «Here's What Happened to the Hijackers of Neerja's Pan Am Flight 73». Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  17. «Most Wanted Terrorists». Wanted by the FBI. Federal Bureau of Investigation 
  18. «Wanted for Terrorism». United States Department of State 
  19. «Nominations invited for Neerja Bhanot Awards». The Indian Express. Indian Express Limited. 5 de setembro de 2006 
  20. «The times of India» 
  21. «Stamp on Neerja released». The Tribune. Tribune Trust. 9 de outubro de 2004 
  22. Jaffry, Nasir (4 de janeiro de 2008). «Pak frees Pan Am hijack quartet». The Telegraph. ABP Group 
  23. «NeerjaTrust – Neerja Bhanot Pan Am Trust». Karmayog. Arquivado do original em 26 de julho de 2011 
  24. «Mumbai based Chanda Asani to get Neerja Bhanot Award 2008». Business Standard. 16 de setembro de 2008 
  25. a b «America honours Neerja Bhanot». The Times of India. The Times Group. 13 de abril de 2005 
  26. «Cópia arquivada». Consultado em 19 de abril de 2017. Arquivado do original em 8 de novembro de 2015 
  27. «Ermine Schools - Ermine». Consultado em 14 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 2 de julho de 2017 
  28. «Neerja Bhanot Conferred 'Bharat Gaurav Award' In London». Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  29. «Journalist, former MC member Harish Bhanot passes away». The Indian Express. Indian Express Limited. 2 de Janeiro de 2008 
  30. «Book in the memory of Neerja released.» 
  31. «The Neerja I Knew: 'This book is tribute to my younger sister who showed true meaning of courage'». 18 de Fevereiro de 2016. Consultado em 14 de Janeiro de 2017 
  32. Sengupta, Durga M (11 de fevereiro de 2016). «Pakistan bans Neerja now. But why then did they award the Pan Am hero?». Consultado em 10 de abril de 2016. Arquivado do original em 20 de abril de 2016 
  33. «FSF Heroism Award». Flight Safety Foundation. 2011. Consultado em 10 de abril de 2016 
  34. «Centre honours Neerja Bhanot». The Times of India. 19 de fevereiro de 2011. Consultado em 10 de abril de 2016 
  35. «Civil Aviation Ministry honours air hostess Neerja Bhanot who was killed by terrorists». Journalism of Courage Archive. The Indian EXPRESS. 19 de fevereiro de 2011. Consultado em 10 de abril de 2016 
  36. http://m.ndtv.com/india-news/neerja-bhanot-conferred-bharat-gaurav-award-in-london-1427538

Ligações externas[editar | editar código-fonte]