Neil Gaiman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Neil Gaiman
Neil Gaiman em 2009
Nome completo Neil Richard MacKinnon Gaiman
Nascimento 10 de novembro de 1960 (56 anos)
Portchester, Hampshire, Inglaterra,  Reino Unido
Nacionalidade Reino Unido britânico
Cônjuge Mary McGrath (1985-2007)
Amanda Palmer (2011-presente)
Filho(s) Michael Gaiman, Holly Gaiman, Madeleine Gaiman e Anthony Gaiman
Ocupação Escritor, romancista, roteirista de banda desenhada/quadrinhos e de televisão
Influências
Prémios Medalha Newbery (2009)

Medalha Carnegie (2010)

Gênero literário fantasia, horror, ficção científica, dark fantasy, não-ficção
Magnum opus Sandman, Deuses Americanos, Stardust, Coraline

Neil Richard MacKinnon Gaiman (nascido Neil Richard Gaiman; Portchester, Reino Unido, 10 de novembro de 1960)[1] é um autor britânico de romances, banda desenhada e roteiros.

Entre suas obras em prosa estão American Gods e Good Omens, a segunda em parceria com Terry Pratchett;[2] e sua criação quadrinística mais conhecida é Sandman, que tem como personagens principais Sandman, a personificação antropomórfica do Sonho, também é conhecido como Morpheus, numa referência à mitologia grega e seus irmãos, Morte, Destino, Delírio, Desejo, Desespero e Destruição.[3]

As capas da revista foram desenhadas pelo parceiro artístico e amigo de Neil Gaiman, Dave McKean (com quem trabalhou em outras histórias em quadrinhos como Violent Cases, Orquídea Negra e Mr. Punch).[4] Em seus trabalhos cinematográficos, encontramos MirrorMask, seu filme ao lado de Dave McKean e a Jimmy Hensons Company que estreou em maio de 2005[5] e Neverwhere, minissérie para televisão que escreveu, e foi exibida pela BBC em 1996. No mesmo ano foi lançado o romance homónimo baseado na série.[6] Em 2007, entrou em cartaz a animação Beowulf, co-roteirizada por ele[7], além do longa de Stardust, uma de suas mais aclamadas obras, realizada ao lado de Charles Vess.[8]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Neil Gaiman nasceu em Portchester no condado de Hampshire. O seu pai, David Bernard Gaiman trabalhava numa cadeia de supermercados criada pelo avô de Neil tornando-se, mais tarde relações públicas da Igreja da Cientologia,[9] e a sua mãe, Sheila Gaiman era farmacêutica. Neil tem duas irmãs mais novas, Claire e Lizzy.[10] Quando Neil tinha cinco anos, a família mudou-se para a vila de East Grinstead no condado de West Sussex. Aí os seus pais estudaram Dianética num centro de Cientologia.[11] Neil afirmou que não é um cientologista e que essa é a religião da sua família e não dele.[12] Sobre a religião, Neil afirmou: "Acho que se pode dizer que Deus existe no universo da DC. Não sou o tipo de pessoa que iria pregar aos sete ventos que Deus existe no nosso universo. Não sei. Acho que é provável que haja 50% de hipóteses que Ele exista. Não é uma coisa que me interesse muito".[13]

Neil aprendeu a ler com quatro anos. Segundo o próprio: "Eu era um leitor voraz. Adorava ler. Ler dava-me prazer. Era muito bom na maioria das disciplinas na escola não porque tinha algum tipo de aptidão para elas, mas porque normalmente davam-nos os manuais no primeiro dia de aulas e eu lia-os, o que significava que sabia o que se ia ensinar a seguir porque já tinha lido tudo".[14] Alguns dos livros que o marcaram mais durante a infância foram The Ka of Gifford Hillary e The Haunting of Toby Jugg de Dennis Wheatley, O Senhor dos Anéis de J. R. R. Tolkien[15] e The Chronicles of Narnia de C. S. Lewis. Neil também já afirmou que Alice no País das Maravilhas vai ser sempre um dos seus livros preferidos e que em criança o leu várias vezes, ao ponto de o saber de cor.

Neil foi educado em várias escolas anglicanas, incluindo na Fonthill School em East Grinstead, a Ardingly College e a Whitgift School em Croydon.[16] O emprego do seu pai de relações públicas da Igreja da Cientologia fez com que Neil, na altura com sete anos de idade, não fosse aceite numa escola privada.[9] O autor viveu vários anos em East Grinstead, entre 1965 e 1980 e entre 1984 e 1987 e conheceu a sua primeira mulher, Mary McGrath quando ela estudava Cientologia nessa vila. Os dois casaram-se em 1985 depois de ela dar à luz o seu primeiro filho, Michael.[12]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Primeiros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Após ter sido rejeitado muitas vezes por editores, Neil adotou o jornalismo como meio de fazer conexões que ele esperava o ajudassem a ser publicado mais tarde, então começou entrevistando pessoas e escrevendo crítica literária.[17] Durante este tempo escreveu seu primeiro livro, uma biografia da banda Duran Duran, e um grande número de artigos para a Knave Magazine.[17] Nos fim dos anos 1980 escreveu Don't Panic: The Official Hitchhikers Guide to the Galaxy Companion.[18] Na sua opinião o livro é o que conduziu à sua colaboração com Terry Pratchett no romance Good Omens.[19]

Historias em quadrinhos e romances gráficos[editar | editar código-fonte]

Após ter se tornado amigo do famoso roteirista Alan Moore (e vale destacar que quando se tornaram amigos, ambos ainda esperavam pela fama), Gaiman começou a escrever HQ's (historias em quadrinhos).[20] Escreveu duas histórias com seus colaborador favorito e amigo de longa data Dave McKean: Violent Cases e Signal to Noise. Mais tarde, firmou um contrato com a DC Comics que resultou na minissérie Orquídea Negra.[17]

Escreveu uma quantidade enorme de HQ's para várias editoras, mas seu trabalho mais conhecido é a série Sandman, que narra as aventuras de Morpheus, a personificação do sonho. A série foi e ainda é uma sensação cultural, arrebanhando fãs ardorosos e tornando os quadrinhos respeitáveis a novos públicos. A série começou em 1988 e terminou em 1996, quando Gaiman anunciou simplesmente que a história que começou na primeira edição havia terminado seu curso natural. Todas as 75 edições da série regular foram organizadas em 10 volumes que ainda são impressos e vendem bem.[21]

Neil Gaiman (Novembro de 2004)

Gaiman recebeu um prêmio do Fantasy World Award em 1991 por Sandman - Sonho de uma Noite de Verâo (parte do arco de histórias intitulado Dream Country), e como depois disso uma regra foi alterada, impedindo que quadrinhos concorram, ele é o único autor a receber este prêmio com um roteiro de histórias em quadrinhos.[22]

Em 1991, Gaiman publicou The Books of Magic, uma minissérie em quatro partes que relata uma excursão às partes mágicas e mitológicas do Universo DC. Com uma história focada num adolescente inglês que descobriu que tem por destino talvez se tornar o maior mago do mundo. A minissérie foi popular e rendeu uma série regular escrita por John Ney Reiber.[23] Muitas pessoas notaram similaridades entre Tim Hunter (protagonista da série) e o personagem criado mais tarde por J.K. Rowling, Harry Potter.[24] Ao ser interpelado sobre essa semelhança, Gaiman respondeu que um jovem como feiticeiro tem precedentes na literatura. Até nos quadrinhos da DC Comics já existia este conceito de "menino bruxo"; Klarion um dos personagens usado por Grant Morrison na minissérie Seven Soldiers, na qual foi criado em 1973.[25]

Em 2004 escreveu para a Marvel Comics a minissérie 1602 (que mostrava uma realidade alternativa em que os personagens principais da Marvel habitavam a época da inquisição) e assinou o contrato para mais um trabalho futuro para a editora.[26]

Em 2006 foi divulgado o seu novo trabalho para a Marvel: Uma ressurreição dos Eternos (The Eternals) personagens criados por Jack Kirby nos anos 1970 e praticamente esquecidos depois do fim da série. The Eternals por Neil Gaiman (roteiro) e John Romita Jr. (desenhos) é uma minissérie em 7 edições, tendo seu início em Junho de 2006 e conclusão em Fevereiro de 2007.[27]

A HQ continua a ser um dos meios de escrita preferidos de Neil e ele continua a colaborar com várias editoras. Em 2009 escreveu uma história em duas partes de Batman para a DC Comics, "Wharever Happened to the Cape Crusader" e em 2013 criou a personagem de Angela para o Universo Marvel. A sua personagem foi apresentada na minissérie Age of Ultron.

Gaiman é um membro da direção do Comic Book Legal Defense Fund (Fundo de Defesa Legal dos Quadrinhos) e regularmente participa de arrecadações de fundos para o grupo, incluindo na criação de material como a história Snow, Glass and Apples (cujo direito autoral foi entregue ao CBLDF).[28]

Romances[editar | editar código-fonte]

O primeiro romance de Neil Gaiman, Good Omens, foi lançado em 1990 em colaboração com Terry Pratchett. Os dois autores afirman que todo o romance foi um trabalho de equipa e que a maioria das ideias pode ser atribuída a ambos, porém Terry Prachett escreveu e editou uma grande maioria do livro uma vez que Neil estava ocupado com Sandman.[29]

O seu segundo romance e primeiro a solo, Neverwhere, é uma adaptação do roteiro de uma minissérie que Neil escreveu para a BBC em 1996. Originalmente o romance servia como uma espécie de acompanhante da série de TV e já foi revisto duas vezes desde o seu lançamento. A primeira revisão foi feita para o público norte-americano que não tinha conhecimento dos locais de Londres e a segunda porque Neil não estava completamente satisfeito com o texto original.

Em 1999 o autor lançou Stardust. O romance teve duas versões: uma normal e uma ilustrada e foi adaptado ao cinema em 2007 com Robert De Niro e Michelle Pfeiffer no elenco.

Quando Gaiman escrevia o livro American Gods, seus editores criaram um site promocional que consistia de um blog no qual Gaiman descreveria o processo cotidiano de escrever (e também revisar, publicar, promover) a novela. Depois de o romance ser publicado, o Web site evoluiu em um Web site oficial mais geral sobre Neil Gaiman, e desde então ainda adiciona textos regularmente ao weblog, descrevendo o processo cotidiano de ser Neil Gaiman e de escrever qualquer que seja o projeto atual. Partes do blog foram extraídas para a publicação na coleção Adventures in the Dream Trade.

Lançado em 2001, American Gods teve um grande sucesso comercial e junto da crítica. Em 2002 venceu o prémio Hugo e o prémio Nebula. Em 2011 foi lançada uma versão comemorativa do 10º aniversário do romance com mais 12 000 palavras do que o original.

Apesar de nunca ter escrito uma continuação direta de American Gods, Neil Gaiman já escreveu para algumas das suas personagens. No romance Anansi Boys, Neil desenvolve a personagem de Mr. Nancy (Anansi) através da relação com os seus dois filhos: um semi-divino e o outro um inglês normal. Quando foi lançado, o romance estreou-se em primeiro lugar da lista de livros mais vendidos do New York Times.

Em 2003 participa, com Alan Moore, Moorcock e outros na colectânea The Thackery T. Lambshead Pocket Guide to Eccentric & Discredited Diseases - a doença contribuída por Neil é a "Crupe dos Doenceiros".

No final de 2008, Neil lançou um livro juvenil, The Graveyard Book. O livro segue as aventuras de um rapaz chamado Bod que é criado pelos habitantes sobrenaturais de um cemitério depois de a família ser brutalmente assassinada. O livro foi bastante influenciado por O Livro da Selva de Rudyard Kipling e valeu o segundo prémio Hugo a Neil Gaiman, para além das medalhas Carnegie e Newbery. Foi também um sucesso comercial, tendo permanecido na lista de livros mais vendidos do New York Times durante várias semanas.[30]

Em 2013 foi lançado The Ocean at the End of the Lane. Apesar de ser considerado um livro infantil, Neil já afirmou que o livro se destina a "toda a gente que já teve sete anos de idade".[31] O romance segue a história de um homem que regressa à sua terra-natal para o funeral do pai e recorda os acontecimentos estranhos que ali tiveram lugar quarenta anos antes e das aventuras que viveu com Lettie Hempstock e a sua família pouco usual. Este foi considerado o LIvro do Ano pelos British National Book Awards.[32]

Neil também já lançou vários livros infantis, tais como The Day I Swapped My Dad for Two Goldfish (1997), Odd and the Frosty Giants (2008), Blueberry Girl (2009), Fortunately the Milk (2013) e The Sleeper and the Spindle (2014).

Lançou ainda vários livros de contos, sendo os mais populares Smoke and Mirrors (1998), Fragile Things (2006) e Trigger Warning (2015).

Cinema e televisão[editar | editar código-fonte]

Neil Gaiman já escreveu vários roteiros para o cinema e para a televisão. Em 1996 escreveu o roteiro da minissérie Neverwhere da BBC, que viria a adaptar para o seu primeiro romance a solo.[33]

Gaiman é amigo do escritor de quadrinhos e ficção científica J. Michael Straczynski, criador da série de televisão Babylon 5. Ele é também o único escritor à exceção de Straczynski que fez contribuições as três últimas temporadas da série. Na quinta temporada, ele escreveu o episódio clássico "Day of the Dead".[34]

Em 2005 escreveu o roteiro do filme MirrorMask com seu amigo de longa data Dave McKean.[35] Também escreveu o roteiro para língua inglesa do filme Princesa Mononoke.

Em 2007, Robert Zemeckis fez o filme de Beowulf, baseado em um roteiro escrito por Gaiman e por Roger Avary.[36]

Neil escreveu o roteiro de dois episódios da série Doctor Who. O primeiro, "The Doctor's Wife" foi transmitido em 2011 durante a sexta temporada da série e o segundo, "Nightmare in Silver" foi transmitido em 2013 na sétima temporada.[37] "The Doctor's Wife" valeu mais um prémio Hugo a Neil na categoria de Melhor Apresentação Dramática (Curta).[38]

Em 2016 estreia a série Lucifer no canal Fox cujas personagens são baseadas na HQ Sandman. Ainda em 2016, estreia a minissérie Neil Gaiman's Likely Stories no canal Sky Arts. A minissérie vai consistir na adaptação de quatro contos do autor para a televisão.[39]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Amanda Palmer e Neil Gaiman em Viena (2011)

Neil Gaiman mudou-se para os Estados Unidos em 1992 para poder estar mais próximo da sua ex-mulher Mary McGrath. Ele tem três filhos com ela, Michael, Holly e Madeleine.[40][41][42]

Atualmente Neil é casado com a cantora e artista Amanda Palmer.[43] O casal assumiu publicamente o namoro em 2009[44] e o noivado em 2010.[45] Os dois casaram-se em 2011. Neil adotou o nome do meio de Amanda, MacKinnon, com o casamento.[46] Em março de 2015 o casal anunciou que esperava o primeiro filho para setembro desse ano.[47] Anthony nasceu em 16 de setembro de 2015.[48]

Gaiman forjou uma intensa amizade com a cantora Tori Amos, ainda antes dessa se tornar famosa. Ela já o mencionou em mais de uma música e ele escreveu os contos que acompanham seu álbum Strange Little Girl (que aparecem no encarte do cd). Houve um boato de que Gaiman baseou o personagem Morte em Tori Amos e que já foi desmentido. Um outro personagem, no entanto, ele baseou na cantora - Delirium, também dos Perpétuos. A aparência da personagem Morte é baseada em Siouxsie Sioux.

Obras[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

Ano Título Título no Brasil Título em Portugal
1990 Good Omens Belas Maldições Bons Augúrios
1996 Neverwhere Lugar Nenhum Neverwhere - Na Terra do Nada
1999 Stardust O Mistério da Estrela: Stardust O Mistério da Estrela Cadente
2001 American Gods Deuses Americanos Deuses Americanos
2002 Coraline Coraline Coraline e a Porta Secreta
2005 Anansi Boys Os Filhos de Anansi Os Filhos de Anansi
2007 InterWorld Entremundos
2008 The Graveyard Book O Livro do Cemitério A Estranha Vida de Nobody Owens
2013 The Ocean at the End of the Lane O Oceano no Fim do Caminho O Oceano no Fim do Caminho
The Silver Dream Sonho de Prata

Livros infantis[editar | editar código-fonte]

Ano Título Título no Brasil Título em Portugal
1997 The Day I Swapped My Dad for Two Goldfish 'O Dia em que Troquei Meu Pai por Dois Peixinhos
2003 The Wolves in the Walls Os Lobos Dentro das Paredes
2005 Melinda
2008 Odd and the Frost Giants Odd e os Gigantes de Gelo Odd e os Gigantes de Gelo
The Dangerous Alphabet O Alfabeto Perigoso
2009 Blueberry Girl Menina Iluminada
Crazy Hair Cabelo Doido
2010 Instructions Instruções: Tudo Que Você Precisa Saber Durante Sua Jornada
2013 Chu's Day O Dia de Chu
Fortunately, the Milk "Felizmente, O Leite" Por sorte, o leite
2014 Chu's First Day of School
Hansel and Gretel João e Maria
The Sleeper and the Spindle A Bela e a Adormecida

Livros de contos[editar | editar código-fonte]

Ano Título Título no Brasil Título em Portugal
1993 Angels and Visitations: A Miscellany
1998 Smoke and Mirrors Fumaça e espelhos
2006 Fragile Things: Short Fictions and Wonders Coisas Frágeis
2007 M is for Magic
2009 Who Killed Amanda Palmer: A Collection of Photographic Evidence
2015 Trigger Warning: Short Fictions and Disturbances Alerta de Risco

HQs (obras principais)[editar | editar código-fonte]

Ano Título
1988 - 1989 Black Orchid
1989 - 1996 Sandman
1990 - 1991 The Books of Magic
1993 - 1994 The Children's Crusade
1994 The Tragical Comedy or Comical Tragedy of Mr. Punch: A Romance
2005 Marvel 1602 (1-8)
2007 Eternals (1-7)

Não-ficção[editar | editar código-fonte]

Ano Título Título no Brasil
1984 Duran Duran: The First Four Years of the Fab Five
1985 Ghastly Beyond Belief
1988 Don't Panic: The Official Hitchhiker's Guide to the Galaxy Companion Não Entre em Pânico: Douglas Adams & o Guia do Mochileiro das Galáxias
2013 Make Good Art Faça Boa Arte

Referências

  1. «Happy Birthday! Neil Gaiman Turns 55 Today». Comicbook.com. Consultado em 2016-01-07. 
  2. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Books | Good Omens». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-07. 
  3. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Comics | The Sandman Vol. 1: Preludes %26 Nocturnes». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-07. 
  4. Hoad, Phil. «Neil Gaiman and Dave McKean: how we made The Sandman». the Guardian. Consultado em 2016-01-07. 
  5. «Mirrormask (2005)». IMDb. Consultado em 2016-01-07. 
  6. «Neil Gaiman's Neverwhere: new TV series in development». Den of Geek. Consultado em 2016-01-07. 
  7. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Films | Beowulf». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-07. 
  8. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Films | Stardust». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-07. 
  9. a b «Scientology in the UK Media: Archived news item». cosmedia.freewinds.be. Consultado em 2016-01-07. 
  10. «Neil Gaiman's Journal: December 2008». journal.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-07. 
  11. Lancaster, James. . ""Everyone has the potential to be great".". The Argus (Brighton).
  12. a b «Kid Goth». The New Yorker. Consultado em 2016-01-07. 
  13. Whitaker, Steven. . ""Neil Gaiman interview"". FA.
  14. Cherie D., Abbey (2010). Biography Today General Series [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-7808-1058-7. 
  15. «Before there was Ian Fleming, there was Dennis Wheatley». Bloomsbury Reader. Consultado em 2016-01-07. 
  16. «Exclusive Books». 2008-12-04. Consultado em 2016-01-07. 
  17. a b c Abbey p. 68 [S.l.: s.n.] 
  18. «Science Fiction Weekly Interview». 2008-06-12. Consultado em 2016-01-07. 
  19. «BBC - Radio 4 to make first ever dramatisation of Good Omens - Media Centre». www.bbc.co.uk. Consultado em 2016-01-07. 
  20. Olson, Steven P. (2005-01-01). Neil Gaiman The Rosen Publishing Group [S.l.] ISBN 9781404202856. 
  21. Hoad, Phil. «Neil Gaiman and Dave McKean: how we made The Sandman». the Guardian. Consultado em 2016-01-10. 
  22. «1991 World Fantasy Award Winners and Nominees». www.worldfantasy.org. Consultado em 2016-01-10. 
  23. «THE BOOKS OF MAGIC». www.vertigocomics.com. Consultado em 2016-01-10. 
  24. «Neil Gaiman and Harry Potter's Forgotten Predecessor». The Atlantic (em inglês). plus.google.com/109258622984321091629. Consultado em 2016-01-10. 
  25. «Neil Gaiman's Journal: Fair Use and other things». journal.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  26. «Agora imagine Neil Gaiman recriando o Universo Marvel em 1602!». Consultado em 2016-01-10. 
  27. «Eternals - Marvel Universe Wiki: The definitive online source for Marvel super hero bios.». marvel.com. plus.google.com/108523337373444601877/posts. Consultado em 2016-01-10. 
  28. «Bid on Neil Gaiman Rarities to Benefit CBLDF! | Comic Book Legal Defense Fund». cbldf.org. Consultado em 2016-01-10. 
  29. «The Annotated Pratchett File v9.0 - Words from the Master». www.lspace.org. Consultado em 2016-01-10. 
  30. «Neil Gaiman's Journal: Beyond tea». journal.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  31. «Neil Gaiman - The Ocean at the End of the Lane». Literary Ladies!. Consultado em 2016-01-10. 
  32. Association, Press. «Neil Gaiman novel wins Book of the Year». the Guardian. Consultado em 2016-01-10. 
  33. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Television | Neverwhere». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  34. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Television | Babylon 5: Day of the Dead». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  35. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Films | Mirrormask». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  36. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Films | Beowulf». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  37. «Neil Gaiman  |  Neil's Work | Television | Doctor Who: The Doctor's Wife». www.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  38. «The 2012 Hugo Nominations have been announced!». io9 (em inglês). Consultado em 2016-01-10. 
  39. Barnett, David. «Neil Gaiman's Likely Stories to begin filming for TV». the Guardian. Consultado em 2016-01-10. 
  40. «Neil Gaiman's Journal: All Questions, All the Time». journal.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  41. «Furor keeps building over author's $45,000 speech fee». Star Tribune. Consultado em 2016-01-10. 
  42. «A writer's life: Neil Gaiman». Telegraph.co.uk. Consultado em 2016-01-10. 
  43. «Amanda Palmer Gets Intimate». www.out.com. Consultado em 2016-01-10. 
  44. «Amanda Palmer, Neil Gaiman Perform Together in NYC | SPIN». Spin. Consultado em 2016-01-10. 
  45. «Neil Gaiman's Journal: Telling the World: An Official Announcement». journal.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 
  46. «Neil Gaiman And Amanda Palmer’s Wedding In TwitPics». Bleeding Cool Comic Book, Movie, TV News. Consultado em 2016-01-10. 
  47. «Amanda Palmer is pregnant - The Boston Globe». BostonGlobe.com. Consultado em 2016-01-10. 
  48. «Neil Gaiman's Journal: Our Not-So-Humble Bundle.». journal.neilgaiman.com. Consultado em 2016-01-10. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Neil Gaiman