Neil Martin (engenheiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Neil Martin
Nascimento 3 de setembro de 1972 (46 anos)
Cidadania Reino Unido
Alma mater Universidade de Southampton
Ocupação engenheiro

Neil Martin (3 de setembro de 1972) é um estrategista britânico de Fórmula 1, ex-chefe do departamento de pesquisas de operações da Scuderia Ferrari.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Depois de estudar matemática e ciência da computação na Universidade de Southampton, Martin escreveu seu trabalho de pesquisa de MSc sobre avaliação de riscos. Originalmente pretendendo procurar um emprego na cidade de Londres, ele mostrou o papel para a McLaren Racing, que lhe ofereceu um emprego.[2] Martin foi responsável na McLaren pela direção do desenvolvimento estratégico de tecnologia e estratégias de corrida, desenvolvendo software para fornecer acesso instantâneo a dados sobre componentes específicos do carro enquanto em pista.[3] Seu papel veio à proeminência pública no Grande Prêmio de Mônaco de 2005, quando ajudou Kimi Räikkönen ganhar a corrida ao fazer uma chamada estratégica no momento chave durante a entrada do carro da segurança devido a um incidente.[4]

Objeto de interesso da Red Bull Racing em maio de 2005, ele se juntou à equipe como estrategista chefe em janeiro de 2006.[3] Em janeiro de 2011, depois que a Ferrari fez uma chamada estratégica errada durante o Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2010 que fez o piloto Fernando Alonso perder o Campeonato Mundial de 2010 para Sebastian Vettel da Red Bull, Martin mudou-se para a Ferrari junto com ex-engenheiro de McLaren Pat Fry em uma renovação promovida pela Ferrari em suas operações de corrida e equipe de engenharia.[5] Ele deixou a Scuderia Ferrari no fim de 2014.[6]

Referências

  1. «Ferrari continua reestruturação e demite seu diretor de estratégia de corrida». Portal Race. 18 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de março de 2017. Arquivado do original em 7 de março de 2017 
  2. James Allen (2 de setembro de 2008). «Planning success» (em inglês). FT. Consultado em 6 de março de 2017 
  3. a b «Southampton Graduate Hired for Formula 1» (em inglês). University of Southampton. Maio de 2006. Consultado em 6 de março de 2017. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2010 
  4. Kevin Garside (23 de maio de 2005). «E-mail keeps Raikkonen on road to glory» (em inglês). Daily Telegraph. Consultado em 6 de março de 2017 
  5. «Pat Fry replaces Chris Dyer in Ferrari reshuffle» (em inglês). BBC Sport. 4 de janeiro de 2011. Consultado em 6 de março de 2017 
  6. «Rivoluzione a Maranello: Hamashima lascia la Ferrari, fuori anche Neil Martin» (em inglês). fanpage.it. 17 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de março de 2017