Nelson Pereira dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção se refere ou tem relação com alguém que morreu recentemente.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (Editado pela última vez em 25 de abril de 2018.)
Twemoji 1f464.svg
Nelson Pereira dos Santos Academia Brasileira de Letras
Nelson, em 1998.
Nascimento 22 de outubro de 1928
São Paulo, SP
Morte 21 de abril de 2018 (89 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Diretor de cinema
Prêmios

1977: Melhor diretor, por Tenda dos Milagres 1977: Melhor filme (Tenda dos Milagres)

1964: Prêmio OCIC, por Vidas Secas 1984: Prêmio FIPRESCI, por Memórias do Cárcere

1975: Melhor filme (O Amuleto de Ogum)

1984: Gran Coral por Memórias do Cárcere

1985: Melhor filme: Memórias do Cárcere

Nelson Pereira dos Santos (São Paulo, 22 de outubro de 1928Rio de Janeiro, 21 de abril de 2018) foi um diretor de cinema brasileiro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Considerado um dos mais importantes cineastas do país, seu filme Vidas Secas, baseado na obra de Graciliano Ramos, é um dos filmes brasileiros mais premiados em todos os tempos, sendo reconhecido como obra-prima.

Nelson é bacharel em direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, na turma de 1952. Foi um dos precursores do movimento do Cinema Novo, além de ser o fundador do curso de graduação em Cinema da Universidade Federal Fluminense, sendo professor do Instituto de Arte e Comunicação Social da UFF.

Olivenkranz.png Academia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

Em 2006 foi eleito para a Academia Brasileira de Letras (ABL), ocupando a cadeira 7, cujo patrono é Castro Alves. É o primeiro cineasta brasileiro a se tornar membro da ABL.

Morte[editar | editar código-fonte]

Morreu em 21 de abril de 2018, aos 89 anos, em decorrência de um câncer de fígado diagnosticado há 40 dias. e falência múltipla de órgãos em consequência de uma pneumonia.[2] O velório aconteceu na Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro, o enterro foi no mausoléu da ABL, no Cemitério São João Batista, Zona Sul do Rio. Nelson ocupava a cadeira de número 7 da Academia Brasileira de Letras (ABL), desde 2006.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote


Precedido por
Sérgio Correia da Costa
Olivenkranz.png ABL - nono acadêmico da cadeira 7
2006 — 2018
Sucedido por