Nelson Teich

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nelson Teich
Nelson Teich
48.º Ministro da Saúde do Brasil
Período 17 de abril de 2020
até 15 de maio de 2020
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor Luiz Henrique Mandetta
Sucessor Eduardo Pazuello
Dados pessoais
Nome completo Nelson Luiz Sperle Teich
Nascimento 24 de julho de 1957 (63 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Alma mater UERJ
Profissão médico oncologista

Nelson Luiz Sperle Teich (Rio de Janeiro, 24 de julho de 1957) é um médico oncologista, consultor em saúde e empresário brasileiro.[1][2] Foi ministro da Saúde do Brasil de 17 de abril até 15 de maio de 2020.[3]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Nascido em uma família judaica,[4] foi criado na Rua Pedro de Carvalho, localizada no Méier, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro.

Teve uma carreira expressiva no futebol de salão de base como goleiro na década de 1970. Defendendo o Sport Club Mackenzie, tornou-se tricampeão estadual infantil e infanto-juvenil, algo que o levou à seleção carioca, onde também foi campeão brasileiro.[5]

O pai foi o representante comercial Pedro Francisco Teich Filho, falecido em 12 de junho de 2013, aos 81 anos de idade. As causas apontadas para a morte foram pneumonia, bronquiectasia, câncer de pâncreas e Parkinson. Deixou de herança para o filho três imóveis, que somam 158 mil reais.[6]

Tem seis filhos, sendo que uma das filhas é diretora de Economia da Saúde do Hospital Israelita Albert Einstein.[7]

Formação acadêmica[editar | editar código-fonte]

É formado em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), fez residência médica pelo Hospital de Ipanema (1987) e em Oncologia Clínica pelo Instituto Nacional de Câncer (1990).[8] Em 1998, concluiu MBA em Administração de Saúde pelo Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (COPPEAD) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em 2006, também concluiu MBA em Gestão de Negócios pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC).[9]

Na Universidade de Iorque, onde está realizando seu PhD, é orientado por Laura Bojke e Mike Drummond.[10] Sua pesquisa é focada no tratamento de câncer no Brasil e na melhoria da eficiência técnica. Na própria Universidade, realizou um mestrado em Avaliação Econômica para Avaliação de Tecnologias em Saúde.[1]

É membro do corpo editorial do American Journal of Medical Quality.[11]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Fundou o Grupo Clínicas Oncológicas Integradas (COI), em 1990, e foi seu presidente até 2018[2] (em 2015, a empresa foi comprada pela UHG/Amil). Em 2009, fundou a organização não governamental COI Instituto de Gestão, Educação e Pesquisa, da qual é presidente pro bono, com o objetivo de realizar pesquisas clínicas e projetos, execução de programas de treinamento e educação em diversas áreas ligadas ao cuidado com o câncer.[1]

Entre 2010 e 2011, prestou consultoria na área de economia da saúde ao Hospital Israelita Albert Einstein.[1][12]

É sócio do Teich & Teich Health Care, empresa que presta apoio à gestão de saúde, e diretor executivo da MedInsight. Também atuou como consultor informal na campanha presidencial de Jair Bolsonaro em 2018, sendo cotado para assumir o Ministério da Saúde, que inicialmente foi assumido por Luiz Henrique Mandetta. Entre setembro de 2019 e janeiro de 2020, atuou como assessor do secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério, Denizar Vianna, de quem foi sócio na empresa MDI Instituto de Educação e Pesquisa (que funcionou entre março de 2009 e fevereiro de 2019).[1][2]

Ministro da Saúde[editar | editar código-fonte]

Foi nomeado ministro da Saúde, em 16 de abril de 2020, devido à demissão de Luiz Henrique Mandetta, que havia semanas que apresentava divergências com o presidente Jair Bolsonaro acerca da política de isolamento social durante a pandemia de COVID-19.[13] Aceitou o cargo após reunião com o presidente no mesmo dia,[14] sendo oficialmente empossado no dia seguinte.[15]

Crítica à compra de equipamentos médicos[editar | editar código-fonte]

Em vídeo para o canal do Grupo Oncologia Brasil, questiona a compra de equipamentos médicos para o atendimento às vítimas da pandemia de COVID-19.[16][17]

Referente a quarentena, Nelson Teich é defensor de um modelo semelhante ao da Coreia do Sul, que visa o isolamento horizontal como forma de conter os avanços da epidemia do novo coronavírus.[4]

Demissão[editar | editar código-fonte]

Em 15 de maio de 2020, Nelson Teich pediu demissão do Ministério da Saúde,[18][19] após ser contrariado pelo presidente Jair Bolsonaro acerca do uso da cloroquina em pacientes com sintomas leves de coronavírus e da adoção de uma política de isolamento horizontal no país.[20]

Uma semana após a sua demissão, foi convidado para retornar ao Ministério da Saúde, mas dessa vez como membro do conselho.[21] Teich negou o convite e pelo Twitter declarou que: "Não seria coerente ter deixado o cargo de Ministro da Saúde na semana passada e aceitar a posição de Conselheiro na semana seguinte”.[22][23]

Referências

  1. a b c d e Turbiani, Renata (16 de abril de 2020). «Quem é Nelson Teich, médico e empresário que substituirá Mandetta no Ministério da Saúde». BBC News Brasil. Consultado em 16 de abril de 2020 
  2. a b c «Cotado para substituir Mandetta, Nelson Teich chega a Brasília e se reúne com Bolsonaro no Planalto». G1. 16 de abril de 2020. Consultado em 16 de abril de 2020 
  3. Soares, Ingrid; Souza, Renato (16 de abril de 2020). «Mandetta cai e Nelson Teich assumirá o Ministério da Saúde». Correio Braziliense. Consultado em 16 de abril de 2020 
  4. a b «Médico judeu Nelson Teich, assume o Ministério da Saúde». Folha de Cametá. 16 de abril de 2020. Consultado em 27 de abril de 2020 
  5. Braz, Bruno (18 de abril de 2020). «Ministro da Saúde foi goleiro campeão no Rio e surpreendia: 'Pegava muito'». UOL. Consultado em 22 de abril de 2020 
  6. Marques, Hugo (21 de abril de 2020). «A luta do ministro da Saúde para receber a herança do pai». Veja. Consultado em 22 de abril de 2020 
  7. «Alexandre Garcia explica quem é Nelson Teich, novo ministro da Saúde». Canal Rural. 16 de abril de 2020. Consultado em 22 de abril de 2020 
  8. «Nelson Teich é o primeiro ministro da Saúde ex-residente do INCA». 20 de abril de 2020. Consultado em 25 de abril de 2020 
  9. Teich, Nelson (28 de agosto de 2014). «Nelson Luiz Sperle Teich». Currículo Lattes. Consultado em 16 de abril de 2020 
  10. «Nelson Teich» (em inglês). Centre for Health Economics of University of York. Consultado em 16 de abril de 2020. Arquivado do original em 1 de abril de 2020 
  11. «Editorial Board» (em inglês). SAGE Journals. Consultado em 16 de abril de 2020 
  12. Turbiani, Renata (16 de abril de 2020). «Quem é Nelson Teich, médico e empresário que substitui Mandetta no Ministério da Saúde». BBC News Brasil 
  13. Shalders, André (16 de abril de 2020). «Mandetta é demitido do Ministério da Saúde após um mês de conflito com Bolsonaro: relembre os principais choques». BBC News Brasil. Consultado em 16 de abril de 2020 
  14. BRASIL, Decretos de 16 de abril de 2020⠀nº 73-A, de 16 de abril de 2020, Seção 2. Diário Oficial da União, Brasília , p. 1.
  15. Andrade, Hanrrikson de (17 de abril de 2020). «Teich vê população "com medo" e diz que falta de informação é desafio». UOL. Consultado em 23 de abril de 2020 
  16. a b Oncologia Brasil (7 de abril de 2020). O Impacto da COVID-19 no Mercado de Saúde - Entrevista com Dr. Nelson Teich e Pedro Bernardo. Consultado em 19 de abril de 2020 
  17. Teodoro, Plinio (18 de abril de 2020). «Em vídeo, Nelson Teich critica compra de "grande quantidade" de respiradores: "O que você vai fazer com eles depois?"». Revista Fórum. Consultado em 23 de abril de 2020 
  18. Andrade, 15/05/2020 (15 de maio de 2020). «Teich deixa o Ministério da Saúde antes de completar um mês no cargo». G1. Consultado em 15 de maio de 2020 
  19. Ribeiro, Luci (15 de maio de 2020). «Nelson Teich pede demissão; general assume». O Estado de São Paulo. Consultado em 15 de maio de 2020 
  20. Tognolli, Claudio (15 de maio de 2020). «Nelson Teich: 'Dei o melhor de mim no período em que estive aqui' | Claudio Tognolli». Consultado em 15 de maio de 2020 
  21. ‘Meio inusitado’, diz Valdo Cruz sobre convite a Nelson Teich - GloboNews - Vídeos - Catálogo de Vídeos, consultado em 24 de maio de 2020 
  22. Matos, William (23 de maio de 2020). «Teich recusa convite para voltar ao Ministério da Saúde». Jornal de Brasília. Consultado em 24 de maio de 2020 
  23. «Ex-ministro da Saúde Nelson Teich nega convite e diz que 'não seria coerente' aceitar ser conselheiro da pasta». G1. 23 de maio de 2020. Consultado em 24 de maio de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata

Precedido por
Luiz Henrique Mandetta
Ministro da Saúde do Brasil
2020
Sucedido por
Eduardo Pazuello