Neon (fintech)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a fintech brasileira. Para outros significados, veja Néon (desambiguação).
Neon
Razão social Neon Pagamentos S.A.
Nome(s) anterior(es) Banco Neon S.A. (2016-2018)
Empresa de capital fechado
Slogan A conta digital certa para cuidar bem do seu dinheiro
Atividade Serviços financeiros
Fundação 11 de julho de 2016 (5 anos) em Belo Horizonte, Minas Gerais
Fundador(es) Pedro Conrade
Sede São Paulo, SP, Brasil
Área(s) servida(s) Em toda parte do Brasil
Empregados 1.500 (2021)
Produtos Conta digital, cartão de crédito, cartão virtual, investimentos, empréstimo pessoal e carteira digital
Serviços Conta digital, cartões, investimentos e empréstimo
Website oficial www.neon.com.br

Neon é uma fintech brasileira fundada em 2016 autorizada pelo Banco Central do Brasil, que atua nas modalidades de emissão de moeda eletrônica e emissão de instrumento pós-pago. A Neon oferece cartões de débito e crédito com a bandeira Visa em parceria com o Banco Votorantim.[1]

Pioneira em inovações tecnológicas bancárias, a Neon foi a primeira empresa de serviços financeiros da América Latina a oferecer transferências bancárias via Siri,[2] a primeira a lançar um serviço de identificação via selfie para autenticação de compras na internet como segunda verificação de segurança.[3] e é por isso que é considerada a primeira conta 100% digital do Brasil.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A Neon foi fundada no dia 11 de julho de 2016 e surgiu após a indignação do fundador da Neon, Pedro Conrade, que, depois de estourar R$ 1 da sua conta corrente, descobriu que seu banco iria cobrar R$ 46 de tarifa para início de uso do cheque especial.

Ao investigar suas faturas, Pedro se deu conta que gastava anualmente um salário mínimo em tarifas bancárias, enquanto seu salário era pouco mais do que isso ao mês. Indignado, Pedro pensou sobre os milhares de brasileiros que perdem seu dinheiro todo ano com taxas abusivas e, a partir daí, surgiu a Neon, a primeira conta digital do Brasil e também com o primeiro cartão virtual do país.

A Neon foi fundada com o propósito de unir tecnologia e design para redesenhar e simplificar a experiência financeira das pessoas, além de ajudá-las a gerir melhor o próprio dinheiro.

Em junho de 2017, a empresa lançou uma modalidade de planejamento financeiro e investimento chamada de "Objetivos", uma opção com rendimento maior do que a poupança (aplicando-os em CDB), com liquidez diária e aporte mínimo de R$ 10.[5]

Com o passar dos anos, a Neon foi se consolidando como uma das maiores fintechs do mundo, oferecendo aos clientes um portfólio completo com cartão de débito e crédito sem anuidade, empréstimo pessoal, consignado, investimentos de maneira simples em CDB e CDI, cashback no débito, diversas formas de pagamento, entre outros produtos pensados para os trabalhadores brasileiros e sem taxas abusivas.

Além disso, com a MEI Fácil, a empresa oferece serviços financeiros e educação para microempreendedores individuais de todo o Brasil.

Hoje a Neon possui mais de 15 milhões de clientes, assim como a empresa cresceu três vezes em 2021 em faturamento. Para 2022, a expectativa é mais que dobrar sua receita. Além disso, a empresa movimenta mais de R$ 5,8 bilhões por mês em transações.

Em 2022, a Neon alcançou a categoria “unicórnio” após o recebimento de um aporte de R$ 1,6 bilhão (US$ 300 milhões) em sua rodada Série D.

O propósito da Neon é diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante. Seu objetivo hoje é ser o principal parceiro do brasileiro trabalhador.

Aportes recebidos[editar | editar código-fonte]

A Neon recebeu mais de R$ 3,7 bilhões em investimentos. O primeiro foi no valor de R$ 72 milhões[6] em série A, em maio de 2018, com Propel Venture Partners, Monashees, Quona Capital e Flourish Ventures. Esse foi o maior aporte de Series A já registrado no Brasil até então e possibilitou o crescimento e expansão da empresa.

Em novembro de 2019, na série B, levantou R$ 400 milhões em rodada liderada por General Atlantic e Banco Votorantim, mas também contou com investimento de alguns acionistas como a Propel.

Já em setembro de 2020, na Série C, a Neon recebeu o aporte de R$ 1,6 bilhão liderado pela General Atlantic, que teve ainda a participação dos investidores BlackRock, Vulcan Capital, PayPal Ventures, Endeavor Catalyst e Propel.

Em 2022, recebeu aporte de R$ 1,6 bilhão (US$ 300 milhões) em sua rodada Série D. A rodada foi feita pelo BBVA, grupo global de serviços financeiros com franquias líderes na Espanha, América Latina e Turquia, entre outros mercados.

Expansões[editar | editar código-fonte]

Nos últimos anos, a Neon realizou diversas aquisições estratégicas. Em janeiro de 2022, a Neon adquiriu a financeira Biorc, permitindo que a empresa atue diretamente em operações de crédito e financiamento para aquisição de bens e serviços.

Em 2020, a Neon comprou a Magliano Invest[7], primeira corretora de valores da Bovespa. No mesmo ano, a Neon fortaleceu o seu portfólio de empréstimo consignado com a compra da ConsigaMais+[8], principal empresa do setor.

Em 2019, a empresa comprou a MEI Fácil[9], líder em serviços financeiros e educação para microempreendedores individuais.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Revelo Awards 2020 - Empresa Mais Atrativa +500 - 1º lugar[10]
  • LinkedIn Top Startups Brasil 2020 - 4º lugar[11]
  • LinkedIn Top Startups Brasil 2021 - 2º lugar[12]
  • Forbes - Melhores Bancos do Brasil 2021[13]

Referências

  1. Site oficial da Neon
  2. Banco digital Neon passa a permitir transferência de dinheiro por comando de voz UOL Economia, visualizado em 29 de junho de 2017
  3. «Visa e Banco Neon lançam serviço de identificação digital com selfies». epocanegocios.globo.com 
  4. Padrão, Consumidor Moderno-Grupo (14 de julho de 2016). «Nasce o primeiro banco 100% digital no Brasil». Consumidor Moderno. Consultado em 31 de julho de 2021 
  5. Novo recurso do banco Neon ajuda cliente a realizar sonhos Exame, visualizado em 29 de junho de 2017
  6. «R$ 72 milhões: Neon recebe maior investimento Série A do Brasil». Computerworld. 3 de maio de 2018. Consultado em 31 de julho de 2021 
  7. «Neon Pagamentos compra Magliano, a corretora mais antiga do país». InfoMoney. 16 de julho de 2020. Consultado em 31 de julho de 2021 
  8. made, Por. «Neon compra ConsigaMais+ e embarca no mercado de crédito consignado - Consiga Mais». Consultado em 31 de julho de 2021 
  9. Neon, Time. «Agora a MEI Fácil é Neon». focanodinheiro.neon.com.br. Consultado em 31 de julho de 2021 
  10. «Confira como foi a premiação do Revelo Awards 2020!». Blog da Revelo. 20 de novembro de 2020. Consultado em 31 de julho de 2021 
  11. «LinkedIn Top Startups 2021: as 10 empresas em alta no Brasil». pt.linkedin.com. Consultado em 16 de março de 2022 
  12. «LinkedIn Top Startups 2021: as 10 empresas em alta no Brasil». pt.linkedin.com. Consultado em 16 de março de 2022 
  13. Gara, Antoine (13 de abril de 2021). «Os melhores bancos do Brasil: Nubank mantém liderança». Forbes Brasil. Consultado em 31 de julho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]