Nessahan Alita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Nessahan Alita foi o pseudônimo de um escritor amador anônimo, autor de uma série de livros voltada à abordagem de relacionamentos amorosos e sociais.

Com uma abordagem masculinista e gnóstica combinada com bom humor, passou a ser um dos principais nomes de referência dos atuais movimentos masculinistas brasileiros observados na internet,[1][2] apesar de nunca ter citado o tema em suas obras.[3] Sua leitura também é comum em comunidades de sedução (pick-up artists).[4]

Expondo diversas críticas a vários comportamentos femininos no âmbito romântico e sexual, os livros tornaram-se altamente controversos e, embora muitos leitores associem as suas ideias a movimentos misóginos,[5] o autor afirma em suas obras não pertencer a qualquer tipo de movimento, afirmando também que "...não é mestre e não quer discípulos nem seguidores" e "desaprova a formação de quaisquer grupos que pretendam representá-lo ou às suas idéias" e suas obras são iniciadas com a afirmação de que devem ser lidas sob a "perspectiva do humor e da solidariedade, jamais da revolta", salientando inclusive que suas críticas "não se aplicam a todas as mulheres" e dedica seu trabalho àqueles que "sofrem na busca incansável pela sinceridade no amor".

Nessahan escreveu seu primeiro livro intitulado O Magnetismo nas Relações Sociais em 2002[6] no formato e-book, que assim como todos os demais foi disponibilizado gratuitamente apenas neste formato.[2] Em 2005, iniciou a série O Sofrimento Amoroso do Homem, pelo volume Como Lidar com Mulheres.[6]

Apesar de não terem sido distribuídos por nenhuma editora, seus livros e pensamentos se tornaram amplamente populares, principalmente em blogs, fóruns de discussão online e na extinta rede social Orkut.[2]

Conforme descrito nos livros, os mesmos não possuem fins lucrativos, e são apenas um meio de auxílio frente às dificuldades modernas em manter relacionamentos estáveis com todas as exigências e mudanças no modelo tradicional familiar.

Capa da edição 2005 do livro Como Lidar com Mulheres

Entre as influências que mais motivaram Nessahan Alita encontram-se Jung, Schopenhauer, Nietzsche,Eliphas Levi, Esther Vilar, Daniel Goleman, Francesco Alberoni, Samael Aun Weor, Nicolau Maquiavel, a Bíblia. Uma extensa bibliografia, assim como vários artigos, alguns deles científicos, que visam corroborar as teorias do autor, são mencionados no final de cada livro, este fato foi um diferencial entre outros autores anônimos que surgiram em situação semelhante.[7]

Obras [6][nota 1][editar | editar código-fonte]

  • O Magnetismo nas Relações Sociais - A Submissão do Ser Humano Através de suas Fraquezas (2002)
  • Como Lidar com Mulheres - Apontamentos sobre um Perfil Comportamental Feminino nas Relações Amorosas com o Homem (2005)
  • A Guerra da Paixão - As Artimanhas e os Truques Ardilosos das Mulheres no Amor (2006)
  • O Profano Feminino - Considerações sobre uma Face da Mulher que Ninguém quer Encarar (2007)
  • Reflexões Masculinas sobre a Mulher e o Amor - Algumas Heresias que Faltaram Dizer (2008)
  • Textos Complementares - Amor Passional, Desenvolvimento Interior, Magnetismo (2008)
  • Textos Complementares II - Desenvolvimento Interior, Sexualidade, Sentimentos (2009)

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Por se tratarem de obras amadoras não possuem ISBN, nem editora, local de escrita desconhecido e o conteúdo pode divergir dependendo do local de descarrego.

Referências

  1. Feltrin, Camilla (1 de março de 2013). «Os meninos que não amam as mulheres». Fórum (revista). Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  2. a b c Randmer, Caroline; de Oliveira, Fábio (24 de abril de 2014). «Masculinistas lutam por achar que feminismo foi longe demais». Universo Online. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  3. J Wells, Felipe (1 de maio de 2014). «Uma introdução sobre Direitos dos Homens». A Voice for Men. Consultado em 20 de agosto de 2017 
  4. Franco, César Bueno (2015). “Como conquistar mulheres?” - Masculinidade e subjetivação em uma comunidade virtual (Tese de Mestrado). Universidade Federal do Paraná. p. 91 
  5. Aronovich, Lola (2 de novembro de 2012). «Em homenagem ao dia dos mortos, vamos falar de Nessahan». Lola Aronovich. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  6. a b c «Lista de livros». Skoob. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  7. Campos, Myatã (2017). “O Culto ao Macho Alpha na Irmandade da Sedução: Um Estudo Sobre a Construção da Masculinidade em um Fórum Online (Tese de Graduação). Universidade Federal de São Carlos. p. 63 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]